Etiqueta: <span>são paulo</span>

Saiba a diferença entre Osteopatia e Quiropraxia

Quiropraxia e Osteopatia, qual a diferença?

A história da terapia manual remonta o início da história escrita e provavelmente já havia algo assim, de forma mais rudimentar na pré história.

Pois, o toque e a própria reação instintiva de levar as mãos no lugar onde dói já indicam que a mão realmente tem potencial terapêutico.
Falando da história, as informações de terapias manuais mais antigas remontam da China, há cerca de 5000 anos.

Técnicas Do in para relaxar.
Técnicas Do in para relaxar.

La nasceram técnicas como o Anmá ou o Do In que são formas de tratar o doente usando os mesmos princípios da acupuntura porém sem agulhas.

Massagem Anmá

Eles acreditam que meridianos de energia, que hoje conhecemos como vasos sanguíneos e nervos, carregavam a energia vital Qi por todo o corpo, e a interrupção desse fluxo traria a doença. Fatos semelhantes também ocorria na cultura Hindú através do entendimento dos chakras energéticos, em que o bloqueio desses vórtices, como o chamavam, desencadearia desequilíbrio que a longo prazo poderia trazer patologias.

Esse apanhado histórico serve para contextualizar o raciocínio por trás da osteopatia e da quiropraxia, que muito longe do oriente em tempo e espaço, simpatizam com o mesmo objetivo, tratar regiões onde estão os bloqueios, e não exatamente a dor.

Como a Osteopatia e a Quiropraxia pode te ajudar?

Por que entendemos que o bloqueio seja ele articular, muscular, neural, vascular, facial, orgânico, visceral, emocional ou craniano são as causas primárias de desequilíbrio, que impedem o sistema de auto cura do corpo entrar em homeostase (equilíbrio) e provoca dores e disfunções orgânicas por todo o corpo.

Infográfico da história da terapia manual

Assim apresenta-se a história da terapia manual moderna, que teve seu início desenvolvido nos estados do centro oeste dos EUA por um cientista da saúde chamado Andrew Taylor Still na segunda metade do séc. XIX. Filho de um médico pioneiro e sempre fascinado pela anatomia humana a pela ciência da cura, Still dedicou sua vida ao estudo e a prática clínica, até eventualmente estabelecer a arte de cura da Osteopatia.

Still articulou primeiramente a ideia de melhorar a prática médica durante sua vida no Kansas em 1874. Na época ele teve um pensamento inspirador: O corpo humano possui muito em comum com uma máquina, que para funcionar bem precisa estar tudo em ordem.

Still era um típico médico de fronteira, que foi treinado como um aprendiz. E como muitos médicos de fronteiras, ele fez muitas coisas além da prática médica: agricultura, trabalho como mecânico e lutar na Guerra Civil.

Sua prática médica incluía cuidar dos colonos e dos índios americanos. Ele enfrentou epidemias como a da cólera, malária, pneumonia, varíola, difteria e tuberculose. Após a guerra, a meningite levou três de seus filhos, e então ele começou a buscar por um melhor sistema de prática médica.

Cuidando dos índios americanos

Esse novo sistema prometia simplesmente dar um suporte a mais a saúde, o que a princípio não parecia nada polêmico. Porém o final do século 19 era um tempo de muitas escolas de saúde, e na fronteira havia muita competição entre os médicos e uma grande desconfiança sobre novas ideias.

Assim Still se tornou um médico itinerante, primeiro no Kansas, depois no Missouri. Conversava com todos que estavam interessados em seus novos métodos, que se centrava no tratamento do corpo através da melhora das suas funções naturais. No princípio ele continuou utilizando alguns medicamentos, mas gradualmente ele atingiu bons resultados sem nenhum deles.

Com o tempo, ele começou a condenar quase todos os medicamentos usados na época.

Os métodos de tratamento de Still, que incluíam manipulações para melhorar a circulação e para corrigir a biomecânica alterada, começaram a apresentar resultados. Em 1889 o número de pacientes viajando para ver Still em sua recém-fundada enfermaria foi tão grande que ele foi forçado a ficar em Kirksville, Missouri, ao invés de viajar para ver seus pacientes. Ele se tornou atarefado e as pessoas começaram a falar dele com respeito.

Três anos mais tarde Still inaugurou a American School of Osteopathy (ASO). No início os estudantes aprendiam anatomia com William Smith, M.D., um escocês que havia estudado medicina em Edimburgo e se interessou pela osteopatia durante sua viagem nos Estados Unidos ele foi o primeiro a receber um certificado de D.O.. Still o que o possibilitou a ensinar osteopatia através de seminários, demonstrações e com prática com seus próprios pacientes.

A ASO concedeu 18 diplomas em março de 1894 e mais escolas abriram após a ASO, e graduados em osteopatia se espalharam pelo país com seus consultórios particulares.

Através da observação anatômica e da biomecânica resultante da interação entre essas mesmas peças anatômicas ele foi capaz, juntamente com diversos outros cientistas e colaboradores, de desenvolver um raciocínio clinico através de testes, palpações acuradas e quadro clinico (sinais e sintomas).

Esse raciocínio segue justamente a linha dos antigos “cientistas” orientais antigos, ou seja, que o bloqueio, ou melhor, a falta de movimento ou de fluidez corporal são as causas de “todas” as patologias e sendo assim a liberação dessa área cessaria o mal pela raiz, sendo assim evitável, inúmeros casos de medicações excessivas e cirurgias desnecessárias.

osteopatia-entenda-o-que-e-e-que-doencas-trata

Essa ciência criada por Still foi chamada de osteopatia (ostheophaty), e tem seu nome unicamente pelo fato de no início a maioria das manobras estar destinadas à parte óssea do corpo, muito porque se entendiam, não erroneamente, mas incompleto, que a noção da coluna abrigar a medula e de lá saírem toda a rede neural que conecta e da vida e movimento para o corpo.

É certo que o tratamento da parte esquelética é essencial na osteopatia justamente pelo que foi citado da sua relação neural, porem com o decorrer dos estudos verificaram que o chamado tecido mole também tem uma parcela extremamente valiosa na complicada interação biomecânica de todo o corpo humano, principalmente as fáscias.

Estas são responsáveis pela parte de preenchimento dos diversos compartimentos do corpo, separando, sustentando, unindo e permitindo a nutrição de todo o organismo, pois através das fáscias que passam os vasos e nervos de grande calibre do corpo, que então se ramificam e vão servir a diferentes tecidos dando-lhes a vitalidade necessária para funcionar.

A Distinção entre Quiropraxia e Osteopatia

Como foi dito, a osteopatia é uma ciência muito complexa por isso mesmo tem diversas linhas paralelas de abordagem. Alguns dão mais ênfase na parte musculoesquelética, outros nas funções do sistema nervoso autonômico (SNA), outros nas fáscias, desenhando suas linhas de pesquisas ou de atuação clínica para essas vertentes.

Consequentemente surgiram experts em áreas bastantes especificas e as subdivisões provenientes da osteopatia se encontram em orgânico desenvolvimento até hoje.

Exemplos mais conhecidos são a quiropraxia, que será explicada a seguir, a terapia miofascial de Jones, Sutherland, Dejarne, Maitland, Mulligan, entre outros. Cada qual com sua visão derivada da osteopatia de Still.

A quiropraxia foi uma das variações oriundas da osteopatia e foi sintetizada por David Palmer também nos EUA. A visão de Palmer era simplificar a osteopatia em técnicas mais diretas e sem muitos rodeios, indo direto para a área a ser tratada utilizando técnicas mais abrangentes e genéricas, cobrindo em uma manobra áreas inteiras que na osteopatia seriam descontruídas uma a uma.

Por isso diz-se que a quiropraxia é uma técnica mais reflexogena que a ostepatia, justamente por tratar áreas ao invés de pontos ela produz um efeito mais responsivo no corpo, ativando de forma mais poderosa o sistema de autocura do corpo.

Existe inclusive uma brincadeira para explicar essa diferença: diz-se que para diferenciar a atuação de um osteopata para um quiropata, ou quiropraxista é assim; como se faz para achar um gato em um balaio de coelhos? O osteopata palpa tudo e encontra o gato, o quiropata joga o balaio na parede e o que miar é o gato…

Isso serve para ilustrar que a osteopatia tem a finesa e o minimalismo dos movimentos a fim de atuar de forma precisa e sem excessos que podem gerar a famosa “ressaca” da consulta (dor causada pelos próprios ajustes que tendem a passar em 24h após).

A Filosofia da Quiropraxia

A quiropraxia tem uma abordagem quase que oposta nessa filosofia, eles entendem que gerando grande carga energética com as manipulações temos mais chances de acertar o que está errado no corpo, pois assim podemos tratar de forma mais rápida com movimentos mais agressivos que vão gerar grande quantidade de reações corporais e com isso resultar em mudanças mais radicais e rápidas.

O ideal para o terapeuta é entender as mais diversas vertentes das terapias manuais para que com ferramentas diversificadas fique mais fácil entender e atuar em cada corpo conforme as necessidades.

Para aqueles corpos mais delicados a osteopatia pode ser mais efetiva, enquanto que em grandes áreas de bloqueios e em corpos maiores a quiropraxia pode ser mais efetiva, até porque muitas vezes seja por dificuldade na palpação ou na correta avaliação, seja por dor ou falta de cooperação involuntária do paciente fica impossível chegar a alguma conclusão por testes.

O objetivo deste é informar sobre as principais dúvidas que aparecem em consultório e ajudar a esclarecer e facilitar a escolha de terapias ou exercícios para cada caso específico.

Pensamentos finais sobre: diferenças entre Osteopatia e Quiropraxia!

Para começo de conversa, ambas as técnicas tem muito mais coisas parecidas do que distintas.
São técnicas destinadas a correções de microlesões ou desajustes, como é usualmente chamado, que apesar de serem micro causam grandes problemas no funcionamento biomecânico do corpo, o que inevitavelmente leva a dores e perda da qualidade de vida.

Tais ajustes podem ser realizados em articulações, músculos, órgãos e vísceras, nervos e até mesmo artérias, sendo para tanto utilizado em inúmero arsenal de manobras, como manipulações (os famosos estalos), mobilizações (não produzem estalos), alongamentos, liberações fasciais e até mesmo choques verbais.

O que podemos salientar que existe na osteopatia e também na quiropraxia é a forma com que é entendido o processo de lesão primária.

Entende-se que a lesão primária não esta onde a dor aparece. Como em um escritório que não funciona bem, quem se queixa não é o que esta sem trabalhar, e sim o que trabalha dobrado para compensar a perda de uma função. Portanto, para isso, devemos trabalhar em zonas de ipomobilidade, ou seja, aquela que esta sem movimento.

Para a Quiropraxia o sistema nervoso é a fonte de toda a vida do organismo, sendo assim, com o sistema nervoso correto a saúde estará presente, sendo o contrário também verdadeiro.

Já na Osteopatia entende-se que a estrutura governa a função, sendo assim o tecido em sofrimento é o grande causador de dores, especialmente em função da disfunção do aporte sanguíneo.

Para a osteopatia o corpo possui uma característica inata de auto cura, sendo assim, quando este possui suas estruturas em ordem todo o organismo se reorganiza espontaneamente.

Cada técnica tem sua utilidade em sua devida hora, cabe ao terapeuta entender quando é hora de utilizar uma ou outra!!

Espero ter esclarecido alguma dúvida e comentem que será um prazer responder !!

Grande abraço a todos. Obrigado!!!

Frederico

Dor ciática ou dor no ciático? Causas, Sintomas e Tratamento

O que é do ciática? Como acontece? Como prevenir?

Dor ciática ou “dor no ciático” é uma condição dolorosa que afeta grande parte da população mundial, sendo altamente incapacitante. A dor é relatada como um “choque” que percorre a perna, do glúteo podendo chegar até o pé na parte de posterior (atrás) das pernas.

A ciatalgia, como é formalmente conhecida, não é uma doença, mas sim um sintoma que pode vir acompanhada de formigamentos, e diminuição de força e coordenação motora no membro afetado.

Para que o nervo doa é necessário que aja alguma força ou pressão o comprimindo, isto é, o nervo não se inflama do nada, sempre há algo por traz dessa inflamação e portanto deve ser tratada a sua causa e não apenas a dor.

Existem duas maneiras de compressão do nervo ciático, são elas:

1- Compressão da raiz nervosa: esse tipo de pressão ocorre na raiz do nervo, assim que ele sai da coluna e pode ser causado ou por hérnia de disco, espondiloartrose, espondilolistese, espondilólise, osteófitos (bicos de papagaio), tumores, fraturas, desidratação discal ou diminuição do espaço intervertebral.

2- Compressão no trajeto do nervo: Após sair da coluna o nervo passa por um trajeto sinuoso, próximo a articulações, ossos e músculos. Em qualquer ponto desse trajeto ele pode ser “incomodado”. As causas mais comuns pra disparar esse “incomodo” são: Espasmos musculares, principalmente do músculo piriforme, posições viciosas no trabalho ou em exercícios e bloqueios articulares, que são tratados com quiropraxia ou osteopatia.

Fatores de Risco da dor Ciática

Todos podemos estar sujeitos a ter uma dor ciática em algum momento de nossas vidas. Os fatores de risco que aumentam essa probabilidade são, idade avançada, sobrepeso/obesidade, jornadas de trabalhos desgastantes, exercícios feitos em excesso (overtrainning), e sedentarismo.

Tratamento da dor Ciática

No tratamento deve ser levado em conta, primeiramente, a desinflamação do nervo, usando para tanto medicamentos associados a fisioterapia anti-inflamatória. Após passada a inflamação inicial deve ser avaliado qual fator desencadeou essa compressão e nesse caso os exames de imagens são importantes ferramentas esclarecedoras e munidos disso a osteopatia, ou a quiropraxia são altamente resolutivas em poucas sessões.

A fisioterapia ortopédica é uma área em franco crescimento na cidade de Franca, surgem a cada dia novos estudos e técnicas eficazes no tratamento de diversas patologias como a osteopatia, a quiropraxia, a acupuntura, antes só resolvidas por meio de cirurgias, evitando assim o aumento do custo com saúde e ao mesmo tempo diminuindo o tempo de coalescência dos pacientes.

Medindo a barriga

Cuidado com sua Barriga Grande

Diferente do que a maioria das pessoas pensam, a obesidade não é uma doença.

É verdade que as pessoas acima do peso têm mais chances de enfrentar doenças como diabetes, hipertensão e colesterol alto, mas nem toda pessoa obesa tem problemas de saúde.

O grande sinal de perigo é na verdade, o tamanho da circunferência abdominal, ou seja, o tamanho da barriga.

Isso, sim, indica que o indivíduo está propenso a enfrentar sérios problemas de saúde.

Neste artigo, vamos falar por que ter um abdômen avantajado pode ser tão perigoso, principalmente para os homens.

Mostraremos, também, quais são as melhores formas de lidar com esse problema. Ficou interessado? Então continue com a gente!

Aprenda o modo correto de medir a circunferência abdominal

A circunferência abdominal diz respeito ao acúmulo de gordura presente na área do abdômen.

O tipo de gordura que se localiza nessa região do corpo é considerado a pior de todas, por ser um fator de risco para diversas doenças e a mais difícil de perder.

Quanto maior a circunferência abdominal, mais chances o paciente tem de sofrer alguma doença cardiovascular.

Mas, esse não é o único ponto que deve ser analisado. Existem outros fatores relevantes que devem ser levados em consideração como o peso e o índice de massa corpórea (IMC).

Para saber o seu IMC, é preciso fazer um cálculo. O resultado dele indica qual é o seu grau de obesidade.

Mesmo uma pessoa magra e de IMC considerado normal, precisa se preocupar com o tamanho de sua circunferência abdominal, porque há pessoas que estão no peso ideal e, mesmo assim, têm um abdômen avantajado, e nesse caso, existe maior risco de desenvolver uma doença cardiovascular do que alguém que esteja, simplesmente, acima do peso.

Como calcular o meu IMC

O cálculo para descobrir o IMC é muito simples: peso/altura x altura.

Caso você não confie nos seus cálculos matemáticos, basta utilizar um medidor de IMC na internet.

Há vários sites que disponibilizam esse medidor e ainda mostram qual é a classificação do seu IMC. A tabela padrão de índice de IMC é:

  • abaixo de 18,5 kg/m2: desnutrição
  • entre 18,5 e 24,9: faixa do peso saudável
  • entre 25 e 29,9: excesso de peso
  • 30 ou mais: obesidade

Como medir a aminha circunferência abdominal

Medir a circunferência abdominal é bem simples.

Basta posicionar uma fita métrica ao redor de sua barriga, mais precisamente sobre o seu umbigo.

O ideal é que as mulheres tenham uma circunferência abdominal abaixo de 88 cm e os homens abaixo de 102 cm.

Qualquer valor acima desses, representa um risco elevado para o indivíduo.

Agora com essas duas informações em mãos, analise a sua situação.

Lembre-se de que o IMC calcula o seu grau de obesidade, entretanto, não indica onde a sua gordura se localiza.

Portanto, esse cálculo e o seu peso não devem ser os únicos fatores a serem levados em consideração.

Os riscos da circunferência abdominal aumentada

A gordura abdominal é um tipo de gordura visceral, ou seja, ela fica muito próxima a vários órgãos essenciais do corpo humano, como coração, fígado e pâncreas.

Além disso, essa gordura também favorece a produção de substâncias pró-inflamatórias, aumentando o risco de ateroscleroses.

A aterosclerose, por exemplo, acontece quando há o acúmulo de gordura ou qualquer outra substância nas paredes das artérias, deixando-as mais estreitas e dificultando a passagem do fluxo sanguíneo.

Em suma, a aterosclerose compromete a irrigação sanguínea do órgão dependente daquela artéria, se a artéria em questão for a do coração, então o paciente tem grande risco de sofrer um ataque cardíaco.

A gordura abdominal também favorece o surgimento de doenças como hipertensão arterial, diabetes, colesterol e triglicérides alto, além de tromboses e vários outros problemas.

É preciso ficar atento aos fatores de risco, ou seja, características que agravam as chances de uma dessas doenças surgir, como: tabagismo, histórico familiar e consumo de álcool.

Veja também : 17 dicas para trincar de uma vez por todas  seu abdômen.

Os homens precisam estar mais atentos ao tamanho de seu abdômen, pois os riscos de morte por doenças cardiovasculares são maiores em homens do que em mulheres.

Como diminuir a circunferência abdominal?

Antes de citar as melhores formas de acabar com a gordura localizada no abdômen, é necessário esclarecer uma dúvida comum entre a maioria dos pacientes: a lipoaspiração ou abdominoplastia eliminam a barriga?

É claro que esses procedimentos acabam com a barriga esteticamente, mas não solucionam o problema de circunferência abdominal aumentada.

Tanto a lipoaspiração quanto a abdominoplastia retiram apenas a gordura subcutânea, aquela que fica embaixo da pele, e não a gordura visceral que se encontra próxima aos órgãos.

A melhor maneira de acabar com a gordura do abdômen é seguindo aquela antiga receita tão adorada pelos nutricionistas: dieta balanceada e exercícios físicos.

Aqui, é válido mencionar que a dieta balanceada é fundamental para a perda de peso e a melhor opção para quem pretende eliminar esse tipo de gordura especificamente.

A gordura que se aloja no abdômen é proveniente de alimentos gordurosos e calóricos, então, se você deseja diminuir a sua circunferência abdominal, é preciso parar de ingerir alimentos que favoreçam o surgimento da gordura visceral.

Os exercícios ajudam na queima de calorias e no fortalecimento dos músculos, além de aumentar a resistência e melhorar a qualidade de vida do indivíduo. Aliando a alimentação balanceada, resulta em um combo de sucesso para a saúde.

Conheça as melhores atividades físicas para reduzir a circunferência abdominal

Muitas pessoas acham que o segredo para perder medida da barriga é fazer abdominal, mas isso não é verdade.

Os exercícios abdominais fortalecem os músculos do abdômen, mas sobre a placa de músculo está o tecido adiposo, a gordura.

Caso a gordura não seja eliminada, os músculos continuarão sem aparecer mesmo se estiverem fortalecidos.

Por isso, a melhor maneira de perder circunferência abdominal é associar exercícios aeróbicos aos exercícios localizados.

Os aeróbicos são um tipo de atividade que tem como finalidade aumentar o fluxo sanguíneo e fazer o coração trabalhar mais do que o normal.

Esses exercícios são intensos e ideais para quem pretende queimar gordura.

A seguir:

6 Atividades que ajudam a diminuir a circunferência abdominal

1.    Pular corda

É muito indicado para quem deseja queimar gordura abdominal. Além de queimar mais de 300 calorias em 30 minutos, também ajuda a tonificar os músculos da coxa, do abdômen e do bumbum.

2.    Caminhada ou corrida

Esses são ótimos exercícios para perder gordura visceral. Eles intensificam os batimentos cardíacos e aceleram o metabolismo.

Para obter resultados, é necessário que sejam feitos ao menos 30 minutos diariamente.

3.    Ginástica funcional

Muito indicado para quem deseja emagrecer, perder gordura e definir os músculos. A ginástica funcional consiste em exercícios utilizando o peso do próprio corpo, pequenos pesos e bolas, e auxílio de cabos elásticos, sem a necessidade de aparelhos de academia.

4.    Andar de bicicleta

Esse exercício pode queimar até 400 calorias por hora, além de trabalhar a parte cardiovascular e provocar intensa queima de gordura.

É indicado para quem deseja diminuir a gordura visceral e é recomendado, ao menos, 30 minutos três vezes por semana.

5.    Crossfit

É uma atividade de alta intensidade e ideal para quem deseja queimar gordura. Por ser muito dinâmico, melhora a capacidade física, fortalece os músculos e aumenta a resistência.

6.    Dançar

Ótimo exercícios aeróbico, quando praticado ao menos 3 vezes na semana, é excelente para perder circunferência abdominal.

Além de poder queimar até 600 calorias em uma hora, melhora a postura, o equilíbrio e ajuda a combater a depressão.

É IMPORTANTE BUSCAR A AJUDA DE UM PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FISICA ANTES DE COMECAR A PRATICAR ALGUMA ATIVIDADE FÍSICA.

7 Alimentos que te ajudam a reduzir a circunferência abdominal

A alimentação balanceada é o principal aliado para reduzir a circunferência abdominal.

Então criamos uma lista com os 7 principais alimentos que podem ser incluídos na dieta para auxiliar na diminuição da gordura abdominal:

Veja também : Principais  Alimentos Queimadores de calorias.

1.    Chia

Rica em antioxidantes, auxilia a acelerar o organismo e na queima de gorduras. Os melhores horários para ingerir são no café da manhã e lanche da tarde.

2.    Abacate

Fonte de gordura monoinsaturada, ajuda a diminuir o acúmulo de células de gordura no abdômen. Pode ser consumido da maneira que preferir, 1 vez ao dia.

3.    Pimenta vermelha

graças à capsaicina, tem ação termogênica, o que ajuda a acelerar o metabolismo. É indicada a ingestão de 3 gramas, todos os dias.

4.    Vinagre de maçã

Tem ácido acético, que evita picos de insulina, reduzindo o acúmulo de gordura, e diminui a fome. Para o consumo, dilua 2 colheres de sopa em um copo de água e beba antes do almoço e do jantar.

5.    Gengibre

Rico em gingerol, substância que ajuda na queima de gordura e acelera o metabolismo. Ele pode ser ingerido cru, refogado ou em forma de chá, sendo um pedaço de 2 cm por dia.

6.    frutas vermelhas

As frutas vermelhas, como morango e amora, são ricas antocianina que tem ação antioxidante e auxilia na queima de gordura. Deve-se consumir 2 colheres de sopa por dia, de preferência frescas.

7.    Iogurte

Os probióticos presentes ajudam a regular o intestino. Além disso, o cálcio interfere nas células de gordura diminuindo o volume dentro delas. Coma 1 ou 2 porções todos os dias, de preferência desnatados e sem açúcar.

Leia também: Segredos para se tornar uma máquina de queimar gordura

Não esqueça de deixar o seu comentário sobre o nosso artigo, dicas e sugestões são sempre bem vidas por aqui!

 

Grande abraço e até a próxima!

Fonte Original : https://blog.partmedsaude.com.br/circunferencia-abdominal-por-que-os-homens-devem-se-preocupar/

Mulher bebendo um copo de água

Quais Os Benefícios De Beber 2 Litros De Água Por Dia?

Você sabe quais são os benefícios de beber 2 litros de água por dia?

Sem dúvida, é de conhecimento geral que a água é um elemento essencial para os seres vivos.

Assim sendo, para que o nosso organismo tenha um bom desempenho, é importante consumir cerca de 2 litros de água por dia, de acordo com os especialistas.

De fato, a água pode garantir uma série de benefícios para a nossa saúde, quando passamos a consumi-la com frequência!

Portanto, continue lendo esse conteúdo para saber quais são os benefícios!

Quais os benefícios de beber 2 litros de água por dia?

Como dito antes, beber cerca de dois litros de água por dia pode garantir diversos benefícios à nossa saúde.

Isso porque, a água é uma das principais responsáveis por regular as funções do nosso organismo, hidrata tanto a pele quanto o cabelo, evita cálculos renais, aumenta a sensação de saciedade, dentre vários outros benefícios.

Ou seja, para que o nosso corpo tenha uma boa performance, a água é um elemento mais do que necessário.

O que acontece se eu tomar 2 litros de água?

Mas, afinal, o que acontece quando se toma 2 litros de água por dia? Bem, confira a seguir alguns dos principais benefícios!

 

1. Ajuda a perder peso:

Beber cerca de 2 litros de água por dia, pode ajudar a reduzir o peso.

Isso porque, após fazer qualquer exercício físico, a nossa temperatura corporal acaba aumentando e também perdemos bastante líquido.

Desse modo, para repor o líquido perdido e reequilibrar o organismo, o indicado é beber água gelada.

Pois, a diferença entre a temperatura da água, acelera o metabolismo para aquece-la, o que resulta no gasto calórico.

Além disso, beber água entre as principais refeições, pode ajudar a aumentar a sensação de saciedade, fazendo com que você coma menos.

2. Auxilia na absorção de nutrientes:

O consumo regular de água auxilia no transporte de nutrientes, uma vez que deixa o sangue mais fluido e, como resultado, ajuda a melhorar a absorção de minerais, vitaminas, e outros nutrientes pelo organismo.

3. Mantém a pele e o cabelo hidratados:

Devido a melhora de absorção dos nutrientes provocada pela água, além de repor o colágeno, que também faz com que a nossa pele e cabelo fiquem mais firmes e hidratadas.

Quando não ingerimos a quantidade de água adequada, a nossa pele começa a ficar seca, flácida, quebradiça e sem brilho. O mesmo acontece com o cabelo.

4. Melhora a digestão e regula o intestino:

Para quem tem problema de digestão, beber bastante água pode ajudar o seu intestino a trabalhar de forma correta.

Isso porque, a água ajuda na produção de saliva na quantidade necessária para auxiliar durante a mastigação e deglutição dos alimentos

Além disso, a água também ajuda a regular o intestino, uma vez que é essencial para o processo de absorção, digestão e excreção de alimentos.

Desse modo, com uma quantidade maior de água, o bolo fecal aumenta o seu volume, que favorece a expulsão do corpo.

 

5. Traz mais disposição e melhora a memória:

A água é um dos principais componentes no nosso sangue, desse modo, quanto mais água ingerimos, mais sangue teremos correndo em nossas veias, o que resulta no aumento de transporte de nutrientes por nosso corpo, incluindo o cérebro, o que acaba resultando em mais disposição e também melhora a nossa memória.

Por que devo beber água filtrada?

Bem, como você já sabe, beber água regularmente é importante para conquistar uma qualidade de vida mais saudável.

No entanto a água que chega até às nossas residências não é considerada confiável e nem ideal para o consumo.

Isso porque, possui uma variedade de diferentes tipos de bactérias, vírus, micróbios, cloro e outras substâncias que podem acabar causando uma série de problemas a nossa saúde, incluindo:

·   Dor de barriga;

·   Hepatite;

·   Náuseas e vômitos;

·   Diarreia;

·   Infecção intestinal;

·   Etc…

Assim sendo, o ideal é filtrar a água antes de consumi-la, através de um purificador de água. Só assim a água ficará mais saudável e pronta para o consumo, prevenindo doenças e contaminações.

Além disso, também reduz a pressão arterial e evita uma série de distúrbios, uma vez que um purificador de água reduz os níveis de sais e cloreto de sódio presente na composição da água.

E, por último mas não menos importante, contribui para o meio ambiente, uma vez que reduz o consumo de garrafas plásticas que causam um impacto negativo.

Conclusão

Em suma, beber água é essencial para que o nosso organismo possa trabalhar melhor e desempenhar as suas funções corretamente.

Mas, além disso, beber 2 litros de água por dia pode garantir muitos outros benefícios para a sua saúde, além de melhorar a sua qualidade de vida!

No entanto, como dito antes, a água mais indicada para o consumo é a filtrada, já que ela está mais pura e livre de quaisquer impurezas.

Por fim, gostou desse conteúdo? Foi útil para você? Então, deixe o seu comentário e compartilhe com os amigos!

Espondilolistese: o que é e quais são as suas causas?

Ola pessoal, hoje um novo assunto bem comum entre as causas de dores na coluna lombar principalmente. É a espondilolistese.

O nome vem do grego Espôndilo (vértebra) listese (escorregamento), portanto se trata de um deslizamento, escorregamento de uma vértebra sobre outra. Isso pode gerar muito incômodo e dores localizadas ou irradiadas, dependendo de onde ocorre a listese. Sendo este mais comumente localizado na coluna lombar. Entre outros fatores que contribuem para o maior acometimento da coluna lombar, o fato de ocorrer nesse segmento a curvatura lordótica, que naturalmente projeta o corpo vertebral anteriormente.

A espondilolistese pode ser classificada em até 5 graus, dependendo da intensidade do escorregamento, sendo que a primeira indica apenas uma leve anteriorização de um corpo vertebral sobre outro e a ultima uma ptose, isto é, uma luxação de uma vértebra sobre a outra, o que poderia acarretar inclusive a paraplegia.

Veja alguns tipos de causa da espondilolistese :

  • Degenerativa: geralmente causada por alterações na coluna pelo processo de envelhecimento. E pode ser mais comum em mulheres, normalmente atingindo a região lombar;
  • Ístmica: formada por defeito vertebral ou má formação. Pode aparecer mais em crianças e adolescentes;
  • Traumática: gerada por quedas e acidentes que resultam em fraturas ou traumas na região, levando ao deslizamento das vértebras;
  • Displásica: costuma ocorrer na região lombar, entre as vértebras L5 e S1. Pode ser mais comum em adolescentes e acontece quando os ossos não suportam a força exercida e deslizam;
  • Patológica: mais rara, é resultado de uma doença óssea ou tumor na região.

As mais comuns são as ístmicas e as degenerativas, sendo que essas últimas as que mais aparecem no consultório.

No tratamento deve ser considerado que até o grau 2 de escorregamento o prognóstico é muito bom, sendo que os sintomas de paresia e parestesia ainda se apresentam em grau leve e a dor pode ser eliminada após algumas sessões de osteopatia associada ao RPG.

Fortalecimento da região

O fortalecimento da região do CORE aumenta a resistência às oscilações vertebrais o que ajuda a “firmar” a vértebra em uma posição de maior estabilidade, mais difícil de se movimentar mediante solicitações ambientais.

Tratamento Cirúrgico

O tratamento cirúrgico deve ser solicitado quando os sintomas não cessam ou quando o grau de escorregamento é superior à 4. Nesse caso faz-se uma fixação das vértebras conhecido como artrodese e a mobilidade é reduzida drasticamente, comprometendo a qualidade de vida do paciente. Portanto, é necessário que aja consciência antes de encarar uma cirurgia desse porte e a fisioterapia tem o papel fundamental de prorrogar o quanto puder essa opção de risco.

Bom espero ter ajudado em algum esclarecimento e qualquer dúvida comentem!!

Abraço…

Acupuntura e fibromialgia

fibro

Ola pessoal, ai vai mais um post com algumas informações, hoje sobre fibromialgia.

A fibromialgia é uma doença muito frequente porém pouco entendida em sua complexidade.

É caracterizada por ser uma doença auto imune (reumática), que provoca dores generalizadas pelo corpo, normalmente bilaterais (dos dois lados do corpo), periarticulares (próximo de articulações como quadril, ombro, cotovelos e joelhos), fadiga crônica (desânimo e cansaço), e por vezes constipação intestinal.

A incidência observada no Brasil é de 3% da população feminina e 0,5% da população masculina. Por se tratar de uma doença psicossomática, isto é, de origem ou de agravamento emocional, a inatividade e tensão provocada pela dor constante gera mais estresse, que por sua vez provoca mais dor que gera mais estresse e assim inicia-se um ciclo vicioso que se retroalimenta e impede e dificulta a melhora dos sintomas, até que alguma parte dessa corrente seja quebrada.

A melhora da circulação sanguínea provocada por exercícios físicos (principalmente em água quente), e o tratamento energético da acupuntura, que promove a liberação de opióides endógenos na corrente sanguínea são armas poderosas para quebrar o ciclo vicioso da doença, e entrar em um ciclo virtuoso da qualidade de vida e saude.

Se querem saber mais sobre esse ou outros assuntos mandem comentários que logo respoderei.

Obrigado!!

Abraço a todos!!! 😉

 

ESPECIALISTA EM OSTEOPATIA, QUIROPRAXIA E ACUPUNTURA

Como a fisioterapia pode ajudar quem trabalha home office

Você já parou para pensar como a fisioterapia pode ajudar quem trabalhar home office? A pandemia de coronavírus fez com …

Mulher aplicando spray na perna.

Como prevenir as lesões na musculação e no esporte?

o prevenir as lesões na musculação e no esporte? Descrição: Os baques e eventuais lesões são frequentes em nossa vivência. …

Homem realizando a Acupuntura

Confira 5 benefícios alcançados com o tratamento da acupuntura

A acupuntua é um tratamento milenar tradicional. Ela faz parte da medicina oriental, e sua atuação de dá de diferentes …