Etiqueta: <span>osteopatia</span>

Black Friday é um bom momento para comprar passagens?

A segunda maior data comercial no Brasil atualmente é uma boa oportunidade para comprar passagens mais baratas, mas confira algumas dicas para fazer a aquisição com segurança.

A Black Friday é conhecida pelos grandes descontos que oferece, o que estimula muita gente a aproveitar os preços mais baratos. Embora vestuários e produtos eletroeletrônicos sejam os itens mais procurados, quem deseja viajar também pode aproveitar bem o dia 27 de novembro deste ano.

A data comercial oferece descontos em passagens de avião e ônibus, além de hospedagem e outros serviços do setor turístico. Contudo, é bom saber como pesquisar preços e sites confiáveis, a fim de não sofrer golpes.

Por isso, se você deseja viajar mais barato há tempos, confira algumas dicas do que fazer na Black Friday para arrasar na próxima viagem e economizar uma grana.

Comparação de preços

Um dos maiores clássicos da Black Friday é o anúncio de promoções falsas, feito por algumas empresas e lojas. Os estabelecimentos que adotam essa prática, considerada ilegal pelo Código de Defesa do Consumidor, aumentam o preço logo antes da data, reduzindo no dia do evento.

Por isso, é importante começar a comparar preços algumas semanas antes do dia 27 de novembro. Se perceber algumas promoções enganosas, denuncie a loja em questão para o Procon e busque outras opções.

Busca por sites confiáveis

Outra dica fundamental é verificar a segurança dos sites que anunciam as passagens. Páginas criptografadas, que preservam os dados bancários do cliente sob proteção contra o acesso de terceiros, contêm um pequeno cadeado no espaço em que o internauta digita o endereço. 

Além disso, verifique se a página em questão começa por “https”, sigla inglesa que se refere à expressão “Hyper-Text Transfer Protocol Secure”, que significa “protocolo de transferência de hipertexto seguro”, em português. Isso indica a adição de uma camada a mais de segurança ao usuário. 

Uma última precaução é verificar o site do Procon, que indica algumas plataformas que devem ser evitadas por várias razões, como vazamento de dados e não cumprimento de prazos ou entrega dos produtos. Portais como o Reclame Aqui também trazem informações de lojas e empresas que foram alvo de reclamações.

E-mails marketing

Se, por um lado, a internet permitiu a expansão do comércio e uma maior comodidade para os consumidores, por outro, ela também colabora para que novos crimes sejam feitos, o que exige precaução dos usuários das redes.

Por isso, tenha cuidado com e-mails vindos de pessoas ou páginas desconhecidas, principalmente, se eles anunciam um desconto vinculado à Black Friday e pedem seus dados bancários. Abra somente as mensagens de plataformas de compra de passagens em que você se registrou.

Este é um jeito de se livrar de roubos de informações confidenciais que permitem golpes bancários. Sempre se certifique do remetente e verifique se existe uma página oficial vinculada à página que enviou o e-mail. Se a mensagem foi diretamente para o aba de spam, nem sequer a abra.

Preços muito baixos

É verdade que a Black Friday é internacionalmente reconhecida por seus descontos, que, às vezes, chegam a 90% do preço original de um produto. Entretanto, fique atento para valores exageradamente baixos.

Outro golpe comum são anúncios com preços muito reduzidos, mas, quando o cliente vai efetuar o pagamento, o total que aparece no carrinho é maior que o visto na página. 

Por isso, até o final da compra, fique atento sobre o valor que aparece na tela e denuncie a plataforma para o Procon. Prefira sites conhecidos, que já foram utilizados por você anteriormente para comprar passagens.

Seleção de prioridades

É verdade que os preços reduzidos são uma verdadeira tentação para quem gosta de viajar. No entanto, a empolgação pode levar o consumidor a comprar por impulso, o que é ainda mais grave se tratando de viagens, que exigem planejamento e logística.

Por isso, na hora de comprar, tenha em mente algumas perguntas essenciais como: eu realmente preciso disso? Tem que ser agora? Posso pagar? Qual é a melhor forma de pagamento para eu não entrar no vermelho?

Tudo o que você precisa saber sobre dor ciática – Osteopatia

https://ortopediasp.files.wordpress.com/2013/10/ciatico.jpg

Nervo Ciático

O nervo ciático é o mais longo do corpo humano, nasce a partir da região lombar e desce até os dedos dos pés, sendo responsável pela sensibilidade e motricidade das pernas.

A dor ciática ocorre devido a processos inflamatórios ou compressivos de uma ou mais das raízes nervosas que o formam, bem como de possíveis lesões ao longo do trajeto do nervo.

A compressão das raízes nervosas é causada por distúrbios na coluna (artrose, fraturas, osteoporose, hérnias, tumores ou processos inflamatórios).

A dor costuma se manifestar ao longo do trajeto do nervo, ou seja, na região do quadril e irradia-se para a parte de traz da coxa e das panturrilhas, podendo afetar, inclusive, o pé, variando bastante em cada paciente na dependência de quais raízes ou porções do nervo sejam afetadas.

Hérnia de Disco

A hérnia de disco é a causa mais comum de dor ciática. A dor ciática costuma se caracterizar por uma dor lombar que se irradia para uma das pernas, na maioria dos casos.

Além da dor, o paciente pode sentir dormência, sensações como queimação ou formigamento ao longo do trajeto do nervo (parte posterior da perna e panturrilha) e diminuição da força de alguns músculos da perna, levando à sensação de fraqueza e dificuldade para alguns movimentos como caminhar e subir escadas.

Como resposta à dor, costuma haver espasmo dos músculos próximos da coluna lombar, gerando uma rigidez da região que dificulta ainda mais a mobilidade do indivíduo afetado.

Habitualmente, uma crise aguda de dor lombar/dor ciática costuma durar de três a seis semanas, mas até em um terço dos casos pode evoluir por mais tempo tornando-se uma dor crônica, limitando os movimentos e o retorno para às atividades habituais da pessoa, inclusive ao trabalho.

O Iico de Incidência

O pico de incidência, fase em que as crises de dor ciática costumam surgir, ocorre por volta da terceira e quarta década da vida, podendo se repetir ao longo de toda a vida do indivíduo, tendendo a piorar a intensidade e a frequência com o advento da idade avançada devido às mudanças degenerativas que ocorrem com o tempo, como perda de massa muscular e o processo de artrose da coluna.

Dor no Ciático

A dor no ciático, na maior parte dos casos, é de causa mecânica, relacionada com excesso de pressão exercida sobre as vértebras da coluna lombar pelo peso do corpo, que leva ao deslocamento e ruptura do disco intervertebral conforme mecanismo descrito anteriormente.

Situações que aumentam a pressão sobre a região lombar têm sido apontadas como fatores de risco para o desenvolvimento de dor ciática, como excesso de peso, posturas inadequadas, movimentos de elevação de carga acima da linha de cintura, fraqueza nos músculos de sustentação do tronco, principalmente os abdominais e da região lombar.

Essas situações devem ser evitadas através de atividade física regular, tanto aeróbica, para evitar o ganho de peso, quanto para o fortalecimento de musculatura localizada, correção de hábitos posturais inadequados durante trabalho, descanso e, mesmo ao dormir, e através de cuidados quando da  execução de movimentos de abaixar para apanhar objetos, carregar peso e torcer o tronco, particularmente nas pessoas que o fazem de forma repetitiva, seja no trabalho, nas atividade domésticas ou em práticas esportivas.

Tratamento da dor Ciática

O tratamento da dor ciática baseia-se na definição do diagnóstico etiológico da dor, ou seja, no mecanismo causador dela. Conforme citado acima, a dor é habitualmente de causa mecânica devido a deslocamentos dos discos intervertebrais, como também por processos degenerativos dos ossos e articulações da coluna, sendo considerado o fator físico da compressão sofrida pelas raízes nervosas o principal problema a ser tratado. 

Recomendações

A recomendação de tratamento inicial é reduzir a carga sobre essa região da coluna, o que se faz com um período de repouso em posição deitada, evitando-se movimentos de se dobrar para frente, torção lateral da coluna e carregar peso, medidas que, associadas ao uso de medicação sintomática como analgésicos, anti-inflamatórios e relaxantes musculares costumam ser eficazes na maior parte dos casos, levando a uma resolução completa dos sintomas em até três meses.

Métodos fisioterápicos analgésicos também são importantes aliados nessa fase para o alívio e o retorno mais precoce às atividades, assim como a acupuntura e massoterapia e, para alguns casos mais resistentes, métodos invasivos de controle de dor (bloqueios neurais e infiltrações), a serem executados por médico especialista.

O que precisa ser conscientizado pelo portador dessas condições é que o alívio da dor não significa cura, pois o processo mecânico de compressão neural ainda estará presente e, possivelmente, acompanhará o indivíduo por toda a vida.

Cabe, então, o tratamento de prevenção para se evitar novas crises, o que pode ser feito com mudanças de hábitos de vida, como perda de peso e atividades físicas que reforcem a musculatura abdominal e paravertebral, além de mudanças posturais durante o trabalho, atividades cotidianas, lazer e o sono, necessitando do acompanhamento de fisioterapeutas e educadores físicos.  

Para um pequeno número dos portadores de dor ciática, essas estratégias, acima descritas, não serão suficientes para trazer um melhora suficiente e duradoura, sendo candidatos aos tratamentos cirúrgicos existentes.

Nesses casos, cabe ao médico especialista ortopedista ou neurocirurgião, optar, entre as várias técnicas atualmente disponíveis, a que melhor convém àquele indivíduo específico.

Dicas para escolher o tamanho correto da sua cabeceira

Saiba escolher o tamanho da cabeceira de cama ideal para seu quarto e faça toda a diferença na decoração.

Um dos principais móveis que compõem a decoração do quarto é a cabeceira da cama. Este objeto impacta diretamente todo o ambiente, sendo bem mais que apenas um item decorativo. Além disso, a escolha de cabeceira de cama ajuda a otimizar o espaço.

No passado, as camas tradicionais já vinham com cabeceiras. No entanto, atualmente, a maioria das pessoas tem optado pela modernidade e pela praticidade das camas box, já que elas possuem uma grande variedade de modelos e tamanhos de cabeceiras, possibilitando inúmeros tipos de decoração.

Por isso, escolher uma cabeceira que esteja de acordo com a decoração do quarto é importante. Dentro desse meio, há vários fatores a seguir para tomar essa decisão, seja o tamanho, a praticidade, a elegância ou qualquer outro. Dessa forma, a seguir, confira dicas de acordo com suas necessidades.

Tamanho da cama

Na hora de escolher o tamanho da cabeceira, o primeiro ponto que deve ser levado em consideração é a dimensão da cama, pois a cabeceira não deve ser menor que ela. Na verdade, esteticamente falando, o ideal é que ela seja um pouco maior que a largura do colchão. Portanto, antes de tudo, verifique tanto o modelo quanto as dimensões do seu colchão. Depois, escolha o tamanho da cabeceira.

Dimensões do quarto

No quarto, não é apenas a decoração que importa. Saber adequar o tamanho da cabeceira às dimensões do cômodo também é fundamental. Após tirar as medidas do quarto, escolha a cabeceira de modo que o local seja otimizado, ou seja, não ocupe todo o espaço com o móvel e preveja a área necessária para a instalação.

Estilo da cabeceira

Na hora de escolher o tamanho da cabeceira, outro ponto relevante é o estilo que você deseja. Cabeceiras de madeira maciça, por exemplo, soam como clássicas. O ideal é que ela não seja tão grande para não contrastar com o restante do quarto.

Já as cabeceiras do tipo painel de madeira dão um ar mais simples e moderno, sendo possível optar por tamanhos maiores. De todo modo, é fundamental que você saiba adaptar o tamanho ideal da cabeceira ao estilo que você deseja.

Conforto

O ideal é que a cabeceira traga o máximo de conforto possível. Não há uma regra específica relacionada a isso, visto que essa é uma questão muito pessoal, mas recomenda-se que o tamanho da cabeceira seja suficiente para apoiar as costas de maneira confortável.

Roupa de cama

Tendo em mente o estilo de roupa de cama que será utilizado, assim como a proporção, não é difícil adequar esse ponto ao tamanho da cabeceira. Se você usar especialmente tons mais claros ou neutros, é possível optar por um tamanho mais modesto de cabeceira, pois essas cores ampliam visualmente tudo o que estiver em volta.

Por outro lado, se você optar por tons mais fortes e chamativos, pode usar cabeceiras um pouco maiores, visto que cores vibrantes chamam mais a atenção, tirando o foco da cabeceira e fazendo com que ela pareça visualmente menor.

Conclusão

Como já foi dito acima, há milhares de modelos de cabeceira para cama no mercado, sendo que todos eles têm tamanhos e cores diferentes. Por isso, não é fácil escolher aquela que se adeque ao que você precisa, mas também não é impossível.

Utilizando as dicas dessa publicação, qualquer um é capaz de escolher o tamanho de cabeceira ideal, unindo o conforto, a elegância e a praticidade, além de deixar o quarto ainda mais belo ao complementar a decoração já existente.

Degeneração discal e a Osteopatia / Quiropraxia

Ha algum tempo venho falando sobre os benefícios da osteopatia e quiropraxia, citando sempre as duas técnicas juntas pois aprendi as duas e fica quase impossível separa-las pois têm grande parte das manobras compartilhadas.

O grande leque de possibilidades que essas ciências abrangem demonstra que em se tratando principalmente de coluna e dores, não ha hoje melhor opção para o tratamento não invasivo, isto é, não cirúrgico. É claro que em alguns casos quando o problema se tornou demasiadamente grave essa opção não é descartada, tudo em vista da melhor qualidade de vida do paciente.

O assunto que trago hoje é sobre a degeneração discal. O disco intervertebral é uma estrutura fibrogelatinosa localizada nos espaços entre cada uma das vértebras da coluna, e tem a função de amortecer e flexibilizar a coluna, permitindo o movimento e ao mesmo tempo preservando as articulações do peso corporal.

Em casos quando o disco sofre, seja por excesso do uso, em casos de pessoas que fazem trabalho braçal, ou em casos em que a postura corporal é desleixada, fazendo o peso incidir sobre algum disco em detrimento de outros, algo deve ser feito. Para a osteopatia dois passos são fundamentais nesse processo, que são: remover os bloqueios acima e abaixo do local lesionado, e por fim direcionar o centro de gravidade para a posição ideal, a fim de dividir a tarefa para as dezenas de discos que ainda estão saudáveis e por consequência eliminar a sobrecarga sobre o disco lesionado.

Os procedimentos levam em torno de 2 meses e devem ser feitos regularmente para que ocorra a remissão dos sintomas. O sobre peso e o excesso em atividades do dia a dia devem ser diminuídos assim como o aumento das atividades preventivas e de manutenção como o Pilates e o RPG.

Todos os comprometimentos que afetam a coluna devem ser tratados com prioridade, pois é la que se encontram as informações e comandos que percorrem o corpo, além de ser o eixo central de todo o corpo humano, gerando estabilidade e afetando todo o organismo.

3° Pilar da quiropraxia – Saúde Espiritual

Ola a todos, gostaria de apresentar a vocês o terceiro e ultimo pilar da quiropraxia, que juntamente com a saúde física e emocional, a saúde espiritual esta associada a bloqueios tratados na quiropraxia, osteopatia e acupuntura. Todo bloqueio na mente ou no corpo etéreo gera somatizações, ja descritas aqui como a forma física do problema que inicia no plano energético.

A nossa vida é repleta de sonhos, ambições, realizações e frustrações. Todas essas emoções são oriundas de uma mesma insatisfação constante que tentamos preencher com bens, compras e pessoas. Essa insatisfação é inquietante e não se sacia por muito tempo, fazendo com que entremos em um ciclo vicioso de compulsão e tristeza, nunca completamente suprida por muito tempo.

A humanidade moderna perdeu um pouco do contato com as forças formadoras, com as forças que nos movem enquanto seres pensantes, forças que nos elevam a qualidade de responsaveis pelo nosso livre arbitrio, portanto, conscientes das nossas escolhas. É muito mais facil me sedar em frente a uma televisão ou da internet e deixar as coisas escondidas debaixo do tapete, a base de antidepressivos e outros venenos que nos anuvia a visão, mesmo sabendo que a montanha formada um dia nos engolirá.

É necessário encontrarmos um equilíbrio entre as forças que nos regem, e para isso o silencio e a interiorização são importantes. Meditação e Yoga são apenas algumas das tecnicas milenares propostas para entrarmos em conexão com o nosso intimo adormecido e despertar a verdade absoluta que esta em nosso inconsciente e que pode ser resgatada quando a mente dissipa as nuvens e os barulhos da superficialidade. A caridade também nos faz enxergar o mundo pelos olhos de outras pessoas e tirar a atenção do nosso ego exigente insaciável.

O trabalho de ajudar extrai aquilo que é importante em nos, pois é com isso que iremos trabalhar na orientação do outro, e esse processo nos faz refletir sobre quem realmente somos além do que mostramos e gostaríamos de mostrar na sociedade.

2° Pilar da quiropraxia – Saúde emocional

 

2° Pilar – Saúde emocional

A saúde não se encontra apenas no que se vê, mas também no que se sente. A saúde emocional é tão ou mais importante que a saúde física (1° pilar da quiropraxia), pois as emoções podem desencadear somatizações que são justamente sintomas físicos decorrentes de desequilíbrios psíquicos.

Nosso organismo se comunica seguindo uma hierarquia bem específica, sendo o cérebro o grande “chefe” que gerencia todas as funções orgânicas. Ele atua tanto de forma consciente, como por exemplo a ativação muscular ou inconsciente, como o bater do coração. Dessa forma todo o processo de vida passa primeiro pelo cérebro.

A comunicação que o cérebro usa para enviar mensagens para o corpo é feita através de um sistema chamado endócrino, que tem hormônios como mensageiros dessa comunicação. A cada tipo de solicitação do nosso dia a dia ou de nossas emoções, são enviados mensageiros como adrenalina, cortisol, insulina, para que cumpram uma função específica num local específico, como por exemplo quando estamos em situação de perigo, nesse caso a adrenalina nos prepara para lutar ou correr; em situações de estresse ou irritação constante o hormônio cortisol age como anti-inflamatório atuando nas pequenas inflamações comuns na parte celular do corpo, e ainda a conhecida insulina que é liberada para auxiliar a entrada da glicose na célula. Dessa forma o cérebro consegue se comunicar e controlar todas as funções do corpo.

O segundo pilar da quiropraxia entende que esse mecanismo deve estar em harmonia, funcionando em homeostase e equilíbrio, favorecendo a saúde.

Quando nossas emoções estão alteradas e esse quadro se instala por um longo período de tempo, de forma crônica, nosso cérebro permite a liberação anormal de hormônios fazendo com que o corpo entre em conflito consigo mesmo, gerando problemas diversos como dores musculares e articulares, problemas reumatológicos que atacam olhos, pele, articulações, irritações gástricas, intestinais, desarranjos variados e causando o que chamamos anteriormente de somatizações no corpo físico.

Nosso pensamento tem um poder muito grande e ele está diretamente ligado a liberação de hormônios como vimos, portanto, para quebrar o ciclo vicioso entre dor e estresse é preciso entender o processo patológico e com isso procurar uma terapia adequada para cada casos.

A psicoterapia aliada a um conjunto de modificações na rotina diária tem um poder transformador, e é essa a chave pra a melhora de um paciente somático.

Pilares da pura vida

PURA VIDA – 3 pilares da quiropraxia

1° Pilar – Saúde Física

Oi amigos e amigas, hoje venho pelo meu blog falar de um assunto relevante, principalmente após um período de final de um ano, natal, agradecemos pelo que conquistamos e repensamos no que melhorar. E para o ano que entra, afirmamos nossos compromissos e pedimos por bênçãos.

Grande parte das tradições nos faz para, nem que por um instante, e prestarmos atenção ao que realmente importa na nossa vida como filhos, família, saúde, dinheiro, sucesso, paz, amor. Todos essas partes integrantes de um único ser somos nós. Para que as coisas caminhem bem é necessário que nossa vida tenha equilíbrio entre 3 pilares simples, fonte de pura vida que todos buscamos. Hoje falaremos do primeiro pilar, a saúde física.

A saúde física é aquela que envolve o corpo propriamente dito, a parte de músculos, ossos, nervos e sangue. Se imaginarmos um carro, a parte física seria o motor, carroceria, bancos, volante, painel. O combustível, ou a fonte da energia será o segundo pilar, o químico.

Em um carro que fica muito tempo parado sem cuidados a tendência é que ele enferruje, e trave, em um que é usado demais sem descanso, a tendência é esquentar e fundir. Bom, qual o segredo para se ter um carro que dure bastante e seja confiável? Pergunte a um mecânico e ele vai lhe dizer que colocar óleo, andar com o tanque cheio para evitar sua corrosão, fazer as revisões, balancear, são importantes mas principalmente se deve andar com ele periodicamente a fim de manter todas as peças lubrificadas em harmonia, exatamente como o carro o nosso corpo precisa gerar movimento, ativação muscular tanto em força quanto em alongamento, usar as articulações em diferentes ângulos para que o corpo seja flexível, ativo e saudável. Movimentos sedentários, robotizado, acostumado apenas com um par de movimentos de levantar e sentar em carros, escritórios, sofás são péssimos para a saúde física.

A quiropraxia atua na manutenção e aprimoramento do alinhamento dos segmentos vertebrais no nosso esqueleto a fim de eliminar bloqueios que geram dores e limitam a qualidade de vida das pessoas.

Acupuntura, osteopatia e quiropraxia no SUS

Olá pessoal!

Hoje trago pra vocês um assunto que vai além do que hoje podemos ter nos dias atuais.

O SUS brilhante na teoria, fere os direitos oferecidos na prática por não se estruturar corretamente prevendo as necessidades de cada um a fim de evitar o gargalo nos plantões e emergências espalhadas pelo pais.

O SUS tem um sistema que abrange a cobertura de “terapias complementares” ao repasse do sistema aos municípios. Porem são pouco os que atuam de forma correta nessa questão, liberando profissionais das áreas de Acupuntura, Osteopatia, Quiropraxia, Massoterapia, para a realização de procedimentos iniciais em um sem número de casos em que poderia desafogar as queixas simples de dores crônicas, psicossomáticas e leves que tanto custam ao sistema.

Espero que algum dia o sistema corresponda ao que ele foi criado e de uma chance aos profissionais não médicos atuarem de forma multidisciplinar no combate a escassez de saúde no Brasil.

Trabalho Multidisciplinar em Franca

Olá a todos! É sempre um prazer vir aqui e esclarecer duvidas e expor conteúdo a respeito de saúde, esse assunto tão extenso e complexo.

Gostaria hoje de falar sobre o trabalho multidisciplinar. Isso é o trabalho feito em conjunto com profissonais de diversas áreas da saúde e que de alguma forma complementam o tratamento de um mesmo paciente, tendo o enfoque na orientação completa e multidirecional, abrangendo portanto todos os aspectos que estejam envolvidos em seu problema.

O tema pode ser de grande importancia e as vezes, tem-se a impressão que isso nao é bem seguido na nossa sociedade.

A tendencia muitas vezes tende a ser o isolamento de uma área segmentada e tão especifica que fica contido em um unico olhar, perdendo assim a complexidade que o individuo é :

Darei um exemplo do que acontece no cotidiano

Na área da fisioterapia, osteopatia e quiropraxia em Franca é muito comum recebermos pacientes indicados de outros profissionais como médicos e psicólogos, porque o individuo que adoece geralmente passa pelo médico que lhe encaminha a fazer exames e a tomar medicamentos.

Sintomas

Tais sintomas podem ser remissivos mas podem recidivar, ou seja, voltar, sendo necessário nesse caso o acompanhamento do fisioterapeuta.

Se esse paciente, por exemplo, deixa de (trabalhar, praticar esportes ou fazer algo que gostava antes de lesionar), possivelmente vai desenvolver um quadro de melancolia e isso pode gerar problemas psicologicos, sendo necessario o encaminhamento para o profissional da area.

Consequências e Soluções

Se esse paciente tem dificuldades em voltar a se relacionar em sociedade, seja por conta de sequelas do tratamento ou por conta de uma dificuldade fisica, entra ai a terapia ocupacional, importante na reestruturação social desse individuo.

Quando há de fato o interesse na recuperação integral do paciente é de suma importância o pensamento multidiscipinar, é impossivel e altamente enviesado que um único profissional seja capaz de abranger toda a necessidade de todos os casos de adoencimento de um indivíduo, pois é cada vez mais comum a especialização aguda em áreas de conhecimento e isso promove, de fato, um enfoque bem mais especifico nos problemas, mas também retira do foco areas que nao estao relacionadas.

Funções do Profissional

É preciso que o profissional reconheça os limites de sua atuação e conceda a outros colegas e ao paciente a oportunidade de dar continuidade com vistas ao bem estar e qualidade de vida do individuo que nos procura.

Hoje há ainda, infelismente, uma grande distancia entre as profissões, tanto por receio de não estar fazendo a coisa certa, ou por não conhecer o profissional certo para o caso, quanto por questões financeiras, entendendo que estaria “perdendo” aquele paciente.

Pensamentos Finais

Ora, a visão estreita sempre afeta aquela que mais precisa e menos entende, portanto é importante que o profissional esteja atento as outra profissoes complementares a fim de pode ter mais autonomia e confiança na indicação e obter feedbacks em troca, fazendo um acompanhamento de perto e com um olhar amplo para com quem nos procura.

Dor ciática ou dor no ciático? Causas, Sintomas e Tratamento

O que é do ciática? Como acontece? Como prevenir?

Dor ciática ou “dor no ciático” é uma condição dolorosa que afeta grande parte da população mundial, sendo altamente incapacitante. A dor é relatada como um “choque” que percorre a perna, do glúteo podendo chegar até o pé na parte de posterior (atrás) das pernas.

A ciatalgia, como é formalmente conhecida, não é uma doença, mas sim um sintoma que pode vir acompanhada de formigamentos, e diminuição de força e coordenação motora no membro afetado.

Para que o nervo doa é necessário que aja alguma força ou pressão o comprimindo, isto é, o nervo não se inflama do nada, sempre há algo por traz dessa inflamação e portanto deve ser tratada a sua causa e não apenas a dor.

Existem duas maneiras de compressão do nervo ciático, são elas:

1- Compressão da raiz nervosa: esse tipo de pressão ocorre na raiz do nervo, assim que ele sai da coluna e pode ser causado ou por hérnia de disco, espondiloartrose, espondilolistese, espondilólise, osteófitos (bicos de papagaio), tumores, fraturas, desidratação discal ou diminuição do espaço intervertebral.

2- Compressão no trajeto do nervo: Após sair da coluna o nervo passa por um trajeto sinuoso, próximo a articulações, ossos e músculos. Em qualquer ponto desse trajeto ele pode ser “incomodado”. As causas mais comuns pra disparar esse “incomodo” são: Espasmos musculares, principalmente do músculo piriforme, posições viciosas no trabalho ou em exercícios e bloqueios articulares, que são tratados com quiropraxia ou osteopatia.

Fatores de Risco da dor Ciática

Todos podemos estar sujeitos a ter uma dor ciática em algum momento de nossas vidas. Os fatores de risco que aumentam essa probabilidade são, idade avançada, sobrepeso/obesidade, jornadas de trabalhos desgastantes, exercícios feitos em excesso (overtrainning), e sedentarismo.

Tratamento da dor Ciática

No tratamento deve ser levado em conta, primeiramente, a desinflamação do nervo, usando para tanto medicamentos associados a fisioterapia anti-inflamatória. Após passada a inflamação inicial deve ser avaliado qual fator desencadeou essa compressão e nesse caso os exames de imagens são importantes ferramentas esclarecedoras e munidos disso a osteopatia, ou a quiropraxia são altamente resolutivas em poucas sessões.

A fisioterapia ortopédica é uma área em franco crescimento na cidade de Franca, surgem a cada dia novos estudos e técnicas eficazes no tratamento de diversas patologias como a osteopatia, a quiropraxia, a acupuntura, antes só resolvidas por meio de cirurgias, evitando assim o aumento do custo com saúde e ao mesmo tempo diminuindo o tempo de coalescência dos pacientes.

9 benefícios dos Coworkings para o bem-estar e o bem profissional

Os escritórios de coworking oferecem uma grande variedade de vantagens para quem começa sozinho, incluindo oportunidades …

Atendimento fisioterapêutico online: como realizá-lo da melhor forma

Existem diversas maneiras de conseguir aprimorar um negócio e graças às evoluções tecnológicas umas das áreas que …

Software de gestão: como pode auxiliar na organização de sua clínica

Vivemos a época da conexão 5G, da Internet das Coisas e dos smartphones, que podem trazer praticamente o mundo todo nas …