Etiqueta: <span>dor crônica</span>

FASCITE PLANTAR, O QUE É E COMO IDENTIFICAR?

O que é fascite plantar?

fascite plantar ou fasceíte plantar é a inflamação da fáscia plantar dos pés. O pé é um estrutura fascinante que suporta todo o peso do nosso corpo, sofrendo, dessa maneira, um impacto intenso e constante.

A facite plantar tem um dos motivos mais frequentes de problemas nos pés em relação com dores no calcanhar. Microtraumatismos no osso calcâneo podem levar à formação do esporão. As mesmas lesões que, normalmente, desencadeiam o surgimento de uma condição chamada fascite plantar, isto é, inflamação da fáscia plantar – tecido que recobre a musculatura da sola do pé.

A fascite plantar ou fasceíte plantar é a inflamação da fáscia plantar dos pés. O pé é um estrutura fascinante que suporta todo o peso do nosso corpo, sofrendo, dessa maneira, um impacto intenso e constante.

A planta do pé é composta por estruturas elásticas (músculo) e rígidas (fáscia) que aumentam a eficiência do impulso da marcha e potencializam a força dos músculos. O esporão de calcâneo é caracterizado por um calo ósseo na base do osso calcâneo (na sola do pé) ou ainda na região posterior do calcâneo, bem próximo à inserção do tendão de Aquiles. 

Pessoas com a curvatura dos pés acentuada, que sofrem com o sobrepeso ou que trabalham em pé durante muito tempo têm forte tendência a apresentar o problema. 

Fascite plantar – causas

Embora as causas da fascite plantar não sejam completamente conhecidas, alguns fatores de risco para o desenvolvimento da doença são conhecidos:

• Obesidade (excesso de peso) – índice de massa corporal (IMC) maior que 30
• Atividades esportivas (corrida, salto, dança), ou quando as pessoas estão de pé por longos períodos de tempo;
• A velhice;
• Pé cavo/ pé plano/padrões anómalos de marcha;
• Redução da dorsiflexão do tornozelo (menos de 0°)
• Retração dos músculos gastrocnêmio-soleo e bíceps femorais;
•Doenças inflamatórias secundárias a nível sistêmico.


É controverso se a presença do esporão do calcanhar contribui para os sintomas. Deve-se notar que entre 11 e 46% dos pacientes com esporas de calcanhar são assintomáticos, e em 32% dos pacientes com fascite plantar a presença do esporão de calcanhar não é encontrada.

Outros fatores de risco para o surgimento do esporão de calcâneo como usar, excessivamente, salto alto ou calçados que sejam pouco apropriados para os pés. Praticar esportes com forte impacto nos pés. Dança e corrida, por exemplo; pisar com o pé torto por longos períodos também podem desencadear esse problema.

Fascite plantar – tratamento

O tratamento para o esporão e para a fascite plantar é controlar a inflamação com repouso e gelo local. Mas nos casos em que há resistência, a melhor forma de tratamento é a fisioterapia que oferece exercícios e alongamentos bem específicos para os pés e as panturrilhas. A grande maioria dos pacientes responde muito bem ao tratamento com fisioterapia, assim como liberações miofasciais e manipulações de osteopatia e quiropraxia. A acupuntura pode ser associada sendo uma grande aliada no controle dos sintomas de dor.

Fascite plantar – prevenção

A prevenção deve ser enfatizada como a melhor das opções, portanto controlar o excesso de peso do próprio corpo para reduzir o estresse provocado sobre os pés; usar calçados adequados nas práticas esportivas e no dia-a-dia; evitar permanecer de pé por longos períodos e fortalecer, regularmente, a musculatura da planta do pé, certamente irão contribuir para que o problema não ocorra.

Gelol, para que serve? Quando usar?

Olá pessoal!

Venho através deste trazer semanalmente informações sobre a área da saúde e bem-estar para vocês.

Em Franca tanto na área da Fisioterapia, quanto na osteopatia, quiropraxia e acupuntura tenho muitos pacientes e potenciais pacientes, e entendam isso como “atletas” de final de semana, que me queixam a respeito do uso de adesivos e sprays a base, quase sempre de cânfora para lesões e dores.

Quando usar? Para que serve? qual o melhor momento?então decidi falra sobre isso essa semana.

Bom, para entender melhor a indicação é necessário entender primeiro, o que é, certo?

Composição

Então, esse tipo de composto que associa normalmente mentol, salicilato de metila e cânfora tem o objetivo de gerar vasodilatação no local. Isso quer dizer que os vasos sanguíneos que chegam ao local a ser aplicado vão aumentar de calibre e com isso facilitar a chegada de sangue no local, ponto.

O aumento do aporte de sangue local traz consigo oxigênio e nutrientes, ao mesmo tempo, levar embora as toxinas provenientes da lesão, acelerando o processo de cicatrização.

Prós e Contras

Porém, como nem tudo são flores, o que não é noticiado na propaganda da TV é que em lesões articulares agudas, isto é, aquela lesão que esta “aquecida” pela inflamação não responde bem ao calor. Óbvio, pois o calor, nesse caso iria aumentar a inflamação local, sendo necessário, nesse caso, o uso do gelo.

Em dores musculares em que não ocorre uma inflamação significativa ou em dores mais cronificadas, isto é, dores “antigas” com mais de 3 dias, o uso desse tipo de pomada, ou spray é sim recomendada.

Recapitulando: Lesões ou traumas, pancadas, torções, pisões, caneladas, quedas usa-se gelo no momento e sprays depois de 3 dias.

Cãimbras, contraturas, estiramento (muito comuns em pernas de pau que “furam” a bola na pelada), nesse caso o spray é com certeza uma boa opção associado by the way  com uma massagem local, ok? 

Após sessões de osteopatia e quiropraxia também podem ser uteis para aliviar pequenos espasmos que tenham permanecido.

Espero que esse artigo seja de alguma utilidade e caso queiram me procurem no facebook ou no meu blog.

Boa semana a todos!

Para saber mais assistam o vídeo : 

2° Pilar da quiropraxia – Saúde emocional

 

2° Pilar – Saúde emocional

A saúde não se encontra apenas no que se vê, mas também no que se sente. A saúde emocional é tão ou mais importante que a saúde física (1° pilar da quiropraxia), pois as emoções podem desencadear somatizações que são justamente sintomas físicos decorrentes de desequilíbrios psíquicos.

Nosso organismo se comunica seguindo uma hierarquia bem específica, sendo o cérebro o grande “chefe” que gerencia todas as funções orgânicas. Ele atua tanto de forma consciente, como por exemplo a ativação muscular ou inconsciente, como o bater do coração. Dessa forma todo o processo de vida passa primeiro pelo cérebro.

A comunicação que o cérebro usa para enviar mensagens para o corpo é feita através de um sistema chamado endócrino, que tem hormônios como mensageiros dessa comunicação. A cada tipo de solicitação do nosso dia a dia ou de nossas emoções, são enviados mensageiros como adrenalina, cortisol, insulina, para que cumpram uma função específica num local específico, como por exemplo quando estamos em situação de perigo, nesse caso a adrenalina nos prepara para lutar ou correr; em situações de estresse ou irritação constante o hormônio cortisol age como anti-inflamatório atuando nas pequenas inflamações comuns na parte celular do corpo, e ainda a conhecida insulina que é liberada para auxiliar a entrada da glicose na célula. Dessa forma o cérebro consegue se comunicar e controlar todas as funções do corpo.

O segundo pilar da quiropraxia entende que esse mecanismo deve estar em harmonia, funcionando em homeostase e equilíbrio, favorecendo a saúde.

Quando nossas emoções estão alteradas e esse quadro se instala por um longo período de tempo, de forma crônica, nosso cérebro permite a liberação anormal de hormônios fazendo com que o corpo entre em conflito consigo mesmo, gerando problemas diversos como dores musculares e articulares, problemas reumatológicos que atacam olhos, pele, articulações, irritações gástricas, intestinais, desarranjos variados e causando o que chamamos anteriormente de somatizações no corpo físico.

Nosso pensamento tem um poder muito grande e ele está diretamente ligado a liberação de hormônios como vimos, portanto, para quebrar o ciclo vicioso entre dor e estresse é preciso entender o processo patológico e com isso procurar uma terapia adequada para cada casos.

A psicoterapia aliada a um conjunto de modificações na rotina diária tem um poder transformador, e é essa a chave pra a melhora de um paciente somático.

Acupuntura, osteopatia e quiropraxia no SUS

Olá pessoal!

Hoje trago pra vocês um assunto que vai além do que hoje podemos ter nos dias atuais.

O SUS brilhante na teoria, fere os direitos oferecidos na prática por não se estruturar corretamente prevendo as necessidades de cada um a fim de evitar o gargalo nos plantões e emergências espalhadas pelo pais.

O SUS tem um sistema que abrange a cobertura de “terapias complementares” ao repasse do sistema aos municípios. Porem são pouco os que atuam de forma correta nessa questão, liberando profissionais das áreas de Acupuntura, Osteopatia, Quiropraxia, Massoterapia, para a realização de procedimentos iniciais em um sem número de casos em que poderia desafogar as queixas simples de dores crônicas, psicossomáticas e leves que tanto custam ao sistema.

Espero que algum dia o sistema corresponda ao que ele foi criado e de uma chance aos profissionais não médicos atuarem de forma multidisciplinar no combate a escassez de saúde no Brasil.

Como sua personalidade influencia sua postura?

 

Trago hoje essa coluna com um assunto de grande interesse a grande parte das pessoas, e em especial às mulheres. Como a postura influencia na personalidade?

Na rotina de um consultório nos deparamos com certos tipos de casos que são mais comuns e outros nem tanto, sendo assim gostaria de compartilhar com você uma queixa que é bastante comum, a famosa barriguinha saliente, aquela que independe de estado geral de peso e é inclusive mais incidente em magros.

O interessante nesse caso é que em muito dos indivíduos analisados a barriguinha desaparece quando colocamos em alinhamento postural correto, portanto essa barriguinha não indica que há algum excesso de circunferência abdominal e sim que sua postura está de tal forma que provoca a projeção da região abdominal a frente.

A postura inadequada quando permanece por um longo período de tempo gera padrões de encurtamento e fraqueza de grupos musculares, fixando essa posição e deixando a pessoa acostumada a esse alinhamento incorreto.

O padrão postural de cada indivíduo está intimamente ligada a sua personalidade. Por exemplo, pessoas tímidas tendem a ter os ombros mais anteriorizados, isto é, fechados para frente, como se tentassem se esconder, gerando encurtamentos no pescoço e nos peitorais.

Tipos mais relaxados ou até mesmo descuidados tendem a projetar a barriga pra frente e também a sentar-se dessa maneira largada, gerando a barriguinha acentuada e curvaturas lombares aumentadas.

Pessoas confiantes e desafiadoras conferem um padrão de estufar o peito e erguem o queixo, gerando encurtamentos nos paravertebrais.

Enfim, é fácil associarmos as personalidade há um tipo único, específico, quase como uma impressão digital da pessoa, revelando seus padrões de encurtamentos e fraquezas musculares.

Fisioterapeutas especialistas na área postural, osteopatia e quiropraxia possuem ferramentas e técnicas para diagnosticar e tratar qualquer tipo de problema resultante dessas alterações e com isso gerar um uma melhor qualidade de vida para as pessoas.

 

Frederico Soares

Fisioterapeuta

dor no tornozelo

Dor no Tornozelo: Causas e Tratamentos

Introdução Você já teve dor no tornozelo? Se sim sabe como é limitante e como é difícil levar uma vida normal com …

Qual Esporte Escolher Para Evitar Dor nas Costas?

Você sabia que quatro em cinco pessoas sofrerão em algum momento de suas vidas de dor nas costas? Mas isso não significa …

CLÍNICA DE FISIOTERAPIA O QUE É? E COMO ENTENDER SUAS ESPECIALIDADES?

Bom, quando se pensa em clínica de fisioterapia logo vem a mente um espaço grande, com muitos aparelhos e pessoas indo …