Categoria: <span>Geral</span>

Melhor material para sua poltrona

Os melhores materiais para sua poltrona

Conheça os principais gêneros de tecidos usados para esse tipo de revestimento.

Seja na sala de estar, no quarto, escritório ou até mesmo na varanda, ter uma boa poltrona traz um conforto extra para o espaço onde ela está localizada, isso sem falar da sofisticação, a depender do modelo e do material.

Quem pretende adquirir um móvel desse tipo ou ainda mudar o forro da poltrona, no entanto, precisa conhecer melhor os principais tecidos e materiais usados, a exemplo do revestimento de couro natural ou sintético, suede e sarja.

Vale lembrar que o tipo de ambiente — sala de estar, escritório ou varanda —, qual o uso e a disponibilidade financeira são os principais fatores para escolher os materiais e tecidos da sua poltrona.

A poltrona ideal para cada ambiente

Quando se ouve a palavra poltrona, provavelmente, as primeiras imagens que vêm à nossa mente são daqueles modelos reclináveis, conhecidos como “cadeira do papai”, ou o clássico de couro com acabamento em capitonê, muito presente nas casas de nossos avós.

Esse tipo de móvel é super usado nas salas de estar ou de visitas, sendo uma cadeira mais confortável e com apenas um assento. Porém, não é apenas nesses ambientes que as poltronas podem estar dentro de uma casa.

No quarto do bebê é muito comum a presença de poltronas usadas durante a amamentação, por exemplo. Em escritórios, um belo modelo serve para dar mais conforto na hora da leitura. Na varanda, um conjunto delas oferece um conforto extra para ver o pôr do sol ou apreciar o amanhecer.

Seja onde for, as poltronas são móveis que já não se restringem ao espaço da sala, por isso mesmo, precisam de cuidados para manter sua beleza e conforto. Por essa razão, considere onde elas vão ficar, se receberão luminosidade ao longo do dia, o quanto serão usadas para avaliar o melhor material da sua poltrona.

Analisando esses aspectos fica muito mais fácil escolher o material mais adequado para forrar a sua poltrona ou mesmo na hora de comprar uma nova.

Tipos de material e tecido para poltronas

Couro

Um dos tecidos mais antigos da história da humanidade, o couro animal é ainda muito usado como revestimento de sofás e poltronas. O maior benefício é sua durabilidade ilimitada (desde que seja devidamente cuidado), mas o preço é bem salgado.

Couro sintético

Como o próprio nome já diz, o couro sintético é um material artificial que reproduz a aparência e o toque do couro de verdade. Esse material é bem mais barato, porém, com uma qualidade bem inferior ao original. O ideal é saber se a marca é de qualidade antes de comprar para sua poltrona.

Chenille

Um tecido de um excelente custo-benefício é o chenille. Por ser resistente e macio ao mesmo tempo, ele é muito usado em ambientes de uso contínuo como sala de estar. Mas não é muito indicado para quem tem animais peludos e é alérgico, pois o material tende a acumular mais sujeira que os demais.

Lona

Se você quer economia, a lona pode ser uma excelente alternativa exatamente por ser bem mais barata. Ela é um material bem resistente e pode ser usada em ambientes externos, além de ser impermeável e oferecer praticidade na hora da limpeza.

Jacquard

Sinônimo de luxo, o jacquard é uma opção para quem está disposto a investir um bom dinheiro para ter a poltrona dos sonhos. Ele é super resistente e fácil de limpar, além de não acumular muita poeira. Ponto para os alérgicos de plantão.

Sarja

Quem tem crianças e animais domésticos ficará encantado com os benefícios da sarja. Esse gênero de tecido, além de maleável, é resistente e não absorve tanto a sujeira. Isso sem falar que a sarja traz uma sensação extra de conforto e elegância para qualquer ambiente.

Suede

Outro material que é sinônimo de excelente custo-benefício é o suede, uma camurça sintética super confortável e de fácil manejo para limpar. No entanto, é um tecido que precisa ser impermeabilizado, já que o contato com líquidos pode acabar causando manchas definitivas.

Escoliose o que é e como tratar?

A escoliose se caracteriza por uma curvatura “anormal” no sentido lateral da coluna vertebral, podendo ser em C (quando ha apenas uma curva) ou em S (quando ha 2 curvas). É facilmente detectável quando analisamos a pessoa olhando pelas costas ou pela frente, principalmente quando é solicitado a flexão de tronco (mãos tocando os dedos dos pés) e aparece um desnível no dorso apontando a parte convexa da curva, chamada de Giba ou Gibosidade.

Curvaturas 

Existem outras curvaturas que são “normais” e importantes no complexo vertebral mas estas se orientam no sentido antero-posterior, isto é, aquelas que vemos quando a pessoa esta de lado. São elas a lordose lombar, a cifose torácica e a lordose cervical.

Motivo da Escliose

Voltando a escoliose é importante saber, entre outras coisas, sua origem, ou seja, o motivo que ocasionou essa curvatura a aparecer. Temos 3 motivos principais: Congênito (nascença), neuromuscular (causado por alguma doença, por exemplo a poliomielite) ou as chamadas idiopáticas (sem causas aparentes), sendo estas últimas responsáveis por mais da metade dos casos.

Em se tratando de escoliose idiopática, podemos entender ao menos 2 complicações que, ao meu ver, são as mais importantes.

Orientações

Uma é a falta de orientação e prevenção em crianças durante a fase do segundo estirão do crescimento. Nessa fase as crianças são submetidas a grandes mudanças de origem hormonal e com isso a estrutura muscular, ligamentar não acompanha em termos de estabilização o crescimento ósseo agudo. Esse fator faz com que o índice de escolioses em adolescentes dos 14 aos 17 anos seja incrivelmente alto, o que poderia ser evitado ou minimizado pelo acompanhamento de fisioterapeutas.

Posturas e Correções

Uma segunda forma de escoliose idiopática é a postural, sendo essa a de solução mais simples porém, a de maior participação do paciente, pois as orientações dadas pelo fisioterapeuta devem ser seguidas em casa e no trabalho a risca, por um período de no mínimo 6 meses. Sendo assim, o numero de desistência é alto o que acaba por enfraquecer a percepção geral dos resultados obtidos. O trabalhando se baseia principalmente na estabilização de músculos fracos e alongamento de músculos encurtados.

Espero ter ajudado com alguma dúvida e qualquer coisa comentem que respondo assim que possivel!!

Grande abraço

Saiba mais no vídeo abaixo :

Mochilão pelo Nordeste: quais destinos você não pode deixar de visitar

Conhecida como uma das áreas que mais atraem turistas no país, esta região oferece inúmeros atrativos turísticos, como praias, serras, chapadas, ilhas e uma deliciosa gastronomia.

O Nordeste brasileiro é reconhecido pela sua diversidade cultural, gastronômica e paisagística. Seu extenso litoral é marcado por águas transparentes e mais quentes, ilhas paradisíacas, como Fernando de Noronha, dunas, chapadas, cachoeiras e serras.

Sendo uma das regiões mais visitadas por turistas (nacionais e estrangeiros) no Brasil, o Nordeste oferece os mais variados atrativos turísticos: desde construções históricas, que remetem ao século XVI, e comidas típicas, como o baião de dois e o escondidinho de carne seca, até manifestações culturais, como o forró, o maracatu, o afoxé, o bumba-meu-boi e o samba de roda.

Por isso, antes de comprar a sua passagem no Expresso Guanabara, confira alguns lugares que você não pode deixar de conhecer na próxima viagem ao Nordeste brasileiro.

Sul da Bahia

Esta região é famosa pelas diferentes praias e pela forte presença do povo indígena pataxó. Comece por Cumuruxatiba, uma pequena vila de pescadores, situada próxima às fronteiras com o Espírito Santo. Ela tem praias paradisíacas, com grandes paredões rochosos.

Além dessa vila, existem outras localidades famosas, como Porto Seguro (marcada pela vida noturna agitada e diversos estabelecimentos comerciais), Itacaré (praia adorada por quem gosta de surfar), Trancoso (orla com inúmeras feiras de artesanato e forte influência do turismo) e Caraíva (pequena vila em que o mar se une ao rio, adorada por quem gosta de dançar forró).

Costa dos Corais

Conhecida como “o Caribe brasileiro”, esta área se estende desde a capital alagoana (Maceió) até Tamandaré (no litoral sul-pernambucano). O nome faz jus às águas cristalinas e de coloração azul turquesa. 

Além das piscinas naturais, é possível passear de buggy e praticar mergulho. As praias possuem uma areia branca e fina, ótima para quem gosta de permanecer deitado, tomando sol. Também vale provar a deliciosa peixada alagoana, um dos pratos típicos da região.

Jericoacoara

Este é outro ponto imprescindível para visitar no litoral cearense. A vila de pescadores oferece inúmeras atrações, como as redes dispostas nas águas do mar cristalino, além de práticas de esportes, como wind e kitesurfe. O pôr do sol visto das dunas é um dos principais cartões postais de Jeri.

Apesar de o mês de julho ser marcado por maiores ocorrências de chuvas em diferentes áreas do Nordeste, em Jericoacoara, há uma redução dos índices pluviométricos neste mês. Isso acaba abrindo uma temporada de “veraneio” no meio do ano, sendo uma boa época para visitar a vila. 

No entanto, o acesso a ela dá um pouco mais de trabalho. Saindo da capital Fortaleza, pegue um carro ou ônibus até Jijoca. Nesta pequena cidade, é necessário ter um veículo 4×4 para chegar até Jericoacoara.

Lençóis maranhenses

Outro lugar imperdível é o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. Marcada por 155 mil hectares de dunas de areia branca e algumas porções de água, que remontam a verdadeiros oásis, com coloração que alterna entre o azul e o verde, esta área é o local perfeito para quem gosta de apreciar um belo pôr do sol.

Para quem quer ver as lagoas interdunares, que são únicas, é preciso estar atento à época do ano em que for visitar o parque. O período mais recomendado é entre abril e agosto, logo depois que a temporada de chuvas diminui. De outubro a dezembro, quase todas as lagoas desaparecem, e a paisagem remete a um grande deserto.

Delta do Parnaíba

Esta é uma das principais atrações situadas no Piauí. O delta é a foz do rio Parnaíba, que se transforma em inúmeros igarapés, canais e ilhas, à medida que se aproxima do mar.

São mais de 70 ilhas para conhecer. A maior delas é Ilha Grande, em que está localizado o Porto dos Tatus, de onde saem os passeios de barcos. Ao passar por ali, vale comer um bom caranguejo, prato típico da região.

Mulher entrando no carro

Por que a Fiat é a marca de carros mais popular entre os jovens?

Entenda o que a Fiat tem de especial para cativar os condutores mais jovens no Brasil e no mundo.

Nascida na Itália, em 1899, a Fiat é uma marca colecionadora de modelos, primeiros lugares e prêmios. Assídua no topo dos rankings de vendas do Brasil e do mundo, a italiana de Turim é uma montadora que atua com excelência de ponta a ponta.

Preços acessíveis, veículos para todos os gostos, manutenção fácil e vendas tranquilas: os modelos Fiat costumam surgir no mercado sempre como os novos favoritos.

A marca italiana dominou o ramo de picapes e é cada vez mais uma excelente postulante ao topo na categoria de compactos também. Além disso, não podemos deixar de lado os sedãs, visto que o Siena tem números bastante expressivos.

Veja, a seguir, alguns dos principais pontos que tornam a montadora uma fábrica de sucessos.

Razões que fazem a Fiat ser especial

Consumo, design, campanhas publicitárias e custo-benefício: é difícil apontar um único motivo pelo qual a marca se destaca tanto no mercado. Contudo, quem já esteve atrás de um Fiat Uno, pelo menos uma vez, sabe bem como a empresa cativa novos consumidores.

O modelo é um dos maiores e mais longevos sucessos de vendas no setor. O Uno ganhou inúmeras versões ao longo dos anos — como o Turbo 1.4, de 1994, e o novo Uno, de 2010 — e, mesmo após quase quatro décadas de seu lançamento, continua sendo o queridinho dos brasileiros.

No entanto, a Fiat vai muito além do Uno. Dentre tantos outros modelos de sucesso, o Toro ganha um destaque especial nos últimos anos. A picape italiana tem números e desempenhos muito expressivos em termos de vendas e satisfação.

Para provar sua elasticidade e abrangência, podemos destacar um modelo de outra categoria, que cresce cada vez mais no gosto do público por sua qualidade: o Fiat Argo.

O modelo estreou em 2017 com a árdua missão de substituir o Punto e o Palio, outros dois gigantes da marca. Por isso, o Argo concorre em dois segmentos: compacto premium e hatch popular.

Embora seus números ainda estejam abaixo de seu parente, Toro, o modelo já figura entre os automóveis de passeio mais vendidos do país.

Relação da marca com o público jovem

Além de todas as qualidades dos produtos, a montadora ainda conta com um relacionamento bastante interessante com seu público, sobretudo, o jovem, abrangendo desde campanhas publicitárias até pós-venda.

A cultura Fiat conquistou uma legião de jovens e, pelos números, esta é uma relação que tende a permanecer assim por longos anos — vale a pena lembrar que este relacionamento começou no fim dos anos 1970, com o emblemático Fiat 147.

A abordagem publicitária é vencedora não só por atingir seus objetivos comerciais, mas também pela repercussão gerada entre a crítica especializada do ramo. Ao longo dos anos, as campanhas construíram uma relação de confiança e credibilidade com os consumidores.

A harmonia e a sinergia entre produto, marketing e publicidade são essenciais nesse processo. Não é à toa que a marca é uma das maiores vencedoras de prêmios publicitários da categoria.

Revenda e usados

Por melhores que sejam os carros da Fiat, chega uma hora que as necessidades, as possibilidades e as ambições do motorista mudam, sendo preciso se despedir do modelo querido.

O momento da venda é sempre temido pelos donos de carros, em especial, os usados, seja por desvalorização de mercado, desconfianças, concorrência, etc. Entretanto, a Fiat também é especial nesse quesito, já que é relativamente fácil vender um de seus carros.

Poderíamos nos estender por algumas horas para continuar pontuando os motivos e as características dessa gigante automobilística, porém, ainda assim, sempre haveria algo a acrescentar.

O que é Marketing Digital?

Digitalização das relações no mundo atual vem transformando o marketing e a propaganda.   Não é segredo que a …

8 dicas para combater espinhas e cravos

Bons hábitos de alimentação e produtos certos fazem parte da receita para ter uma pele lisa e saudável.   Você …

Por que o bairro de Campo Grande quase virou uma cidade do Rio de Janeiro?

O bairro situado na Zona Oeste carioca é antigo, passando por diferentes processos históricos e econômicos, o que motivou …