Categoria: <span>Fisioterapia</span>

iOS: saiba tudo sobre o sistema do iPhone

Sistema é considerado um dos melhores por manter atualizações constantes.

 

Quem é usuário de dispositivos Apple ou conhece um pouco sobre a empresa, sabe que ela faz questão de manter certa exclusividade em todos os produtos. Com o iPhone não é diferente: o sistema operacional do smartphone é especialmente desenvolvido para oferecer uma experiência única de navegação.

 

Desde 2019, o iOS passou a ser exclusivo para o iPhone, com os iPads funcionando com o sistema iPadOS e os computadores com o macOS. Isso permite que cada dispositivo tenha suas funcionalidades otimizadas, bem como os softwares compatíveis com cada um deles.

 

A seguir você relembra um pouco da história do sistema operacional Apple, até chegar à versão 14.4.

iOS: os primeiros anos

A versão inicial do iOS funcionava no primeiro iPhone e nos iPods, até então os únicos dispositivos móveis fabricados pela Apple. Na época, as atualizações do sistema eram vendidas, separadamente, por cerca de $20.

 

As funcionalidades ainda eram limitadas:

 

  • duplo clique no botão inicial para ativar atalhos;
  • aplicativos;
  • reorganização da ordem dos apps na tela inicial;
  • alternância de conexões WiFi e EDGE.

 

A partir da versão 3.0, em meados de 2009, o iOS passou a ser compatível com os iPads, permitindo o compartilhamento de vídeos do YouTube no Facebook, compatibilidade com teclados sem fio e reprodução de vídeos em 720p.

 

iOS 9

A partir do iOS 9, que chegou com os iPhones 6 e 6S, as funcionalidades do sistema foram ficando mais próximas do que conhecemos hoje. As principais mudanças foram na navegação multitasking, introdução do 3D Touch e a compatibilidade com os Apple Watch e o aplicativo Saúde.

iOS 10 e 11

 

A versão 10 do iOS trouxe ainda mais recursos, como a interação da Siri, assistente inteligente da Apple, com diversos aplicativos, como o WhatsApp; pesquisa de imagens na biblioteca por palavras-chave, opções de acesso com a tela bloqueada e melhorias na câmera.

 

Comemorando os 10 anos do iOS, a Apple trouxe inúmeras novidades, como o reconhecimento facial para desbloqueio da tela, ligação de emergência com toques no botão de energia, modo retrato na câmera, emojis animados, relatório médico para acesso em emergência e ainda mais compatibilidade com acessórios da marca.

 

iOS 14

Lançado em 2020, o iOS 14 foi o que mais apresentou mudanças visuais no sistema, onde os usuários passaram a contar com a possibilidade de adicionar widgets na tela inicial, personalizando a navegação dos aplicativos mais usados. Eles também ganharam funções dinâmicas, que mostram informações em tempo real de acordo com as configurações do usuário.

 

Outro ponto relevante foi a biblioteca de apps, algo presente há muito tempo nos dispositivos Android, e que permitiu que os usuários de iOS tivessem uma lista completa dos aplicativos instalados, organizados automaticamente em pastas.

 

As notificações de ligações recebidas também passaram por mudanças, exibindo apenas um banner na parte superior da tela. Para quem está acostumado com o modo antigo, que ocupa toda a tela, “interrompendo” a navegação, a forma de notificação pode ser alterada nos ajustes do aparelho.

 

Outra grande novidade foi o PiP (Picture in Picture), que permite que vídeos sejam reproduzidos enquanto o usuário navega por outras tarefas no iPhone. Tanto vídeos de sites como chamadas do FaceTime podem ser ativados com o recurso.

 

O iMessage, aplicativo nativo de mensagens dos iPhones, também passou por mudanças, ganhando mais praticidade na hora de encontrar conversas, que podem ser fixadas; uso de emojis personalizados e opção de respostas diretas.

 

A função de traduzir línguas em tempo real também chamou a atenção dos usuários, que podem escolher a tradução por texto ou áudio. A Siri também ficou mais inteligente, oferecendo mais recursos e com visual mais compacto: quando está ativada, há apenas uma esfera colorida na parte superior da tela.

 

O que é geladeira frost-free? Conheça a tecnologia

 

Entenda as vantagens, facilidades e diferenças em relação aos outros modelos.

 

Quem não se lembra da bagunça na cozinha em dia de descongelar a geladeira? Porta aberta, alimentos espalhados pelo ambiente, chão alagado e até um ventilador ligado para acelerar o processo. Felizmente, com o desenvolvimento da tecnologia, esse tipo de cena é cada vez menos comum.

 

Quase todos os aparelhos vendidos hoje vêm com alguma função para facilitar o degelo, e uma das tecnologias mais modernas é a frost-free. Se você quer uma cozinha equipada e mais praticidade no dia a dia, uma geladeira desse tipo precisa estar no topo da sua lista de desejos.

 

Do inglês, o termo frost-free significa “livre de congelamento”. Isso quer dizer que esse é um sistema de refrigeração capaz de evitar o acúmulo de gelo no congelador, o que significa, basicamente, que você não terá que descongelar a sua geladeira.

Como funciona?

Está se perguntando como pode ser possível que os alimentos sejam congelados sem a formação de gelo? A gente explica: esse tipo de refrigerador tem um sistema que é ativado automaticamente em curtos intervalos de tempo, em um processo que se auto-sustenta.

 

Essa bomba ou resistência — dois tipos de sistemas mais comuns — funciona gerando calor, que derrete o gelo que está começando a se formar nas laterais do freezer. Essa água, então, é canalizada para um pequeno reservatório.

 

O “segredo” desse sistema, é que esse reservatório fica em cima do compressor da geladeira, ou seja, está sempre quente. Assim, essa água evapora e, por uma ventoinha, esse vapor circula dentro do próprio aparelho, não gerando nenhum tipo de vazamento ou resíduo.

Quais são as vantagens e desvantagens?

Basicamente, com uma geladeira frost-free você não terá que fazer nada além de limpá-la com um paninho de tempos em tempos. Uma vantagem e tanto. A outra é que, por conta do vapor que circula dentro do aparelho, a tendência a acumular odores dos alimentos é bem menor.

 

A principal desvantagem é que as geladeiras frost-free ainda costumam ser consideravelmente mais caras que as suas concorrentes. Além disso, justamente para sustentar esse sistema complexo, podem consumir mais energia.

 

Uma dica é sempre verificar o selo que fala sobre a eficiência energética do aparelho antes da compra, pois já existem modelos frost-free que também são econômicos. Pode valer a pena pagar um pouco mais por eles porque a economia no longo prazo compensa o investimento.

E os outros tipos de degelo?

A tecnologia frost-free é a mais moderna e prática, mas não é a única que facilita o processo de descongelar a geladeira. É importante conhecer como cada sistema funciona antes de fazer a sua escolha. Para te ajudar, listamos e explicamos os tipos de degelo mais comuns:

Cycle Defrost

Geladeiras com esse sistema acumulam menos gelo e precisam ser descongeladas com menor frequência — a promessa é apenas duas vezes ao ano. Porém, de vez em quando, você ainda precisará ter esse trabalho.

Degelo manual

É uma opção para quem não pode pagar muito por uma geladeira, mas não é tão prático porque, de tempos em tempos, você terá que desligar o aparelho da tomada para que o gelo derreta e seja retirado. Costuma ter um reservatório ou gaveta para armazenar essa água até que você a retire e esvazie.

Degelo semiautomático

Esse sistema se parece com o degelo manual, com a diferença de que não precisa desligar a geladeira da tomada. Em geral, você aciona um botão que permite que a geladeira continue funcionando enquanto o freezer descongela. A água cai num reservatório que você deve esvaziar no final do processo.

 

Degelo seco

Algumas geladeiras com degelo semiautomático possuem sistemas de degelo seco, que são um pouco mais práticos, já que a água não precisa ser retirada, pois cai em um local onde, na sequência, evapora sozinha.

 

 

 

 

 

 

Combinação de metal e madeira é tendência de decoração

Saiba mais sobre o estilo industrial e como aplicá-lo no seu espaço.

 

Combinação entre o rústico e o urbano, o chamado estilo industrial tem ganhado cada vez mais adeptos na decoração de ambientes internos. A presença de elementos como madeira, metal, concreto e tijolos aparentes é a sua principal característica.

 

Essa mistura pode se revelar tanto nos detalhes quanto no espaço como um todo. Um piso de cimento queimado, uma penteadeira de madeira com uma banqueta de aço escovado, papel de parede com tijolos vermelhos, são exemplos de elementos que podem trazer um ar industrial para o seu refúgio pessoal.

 

Seja nos móveis, paredes, piso ou na decoração, a mistura de metal e madeira — combinação que é uma das marcas do estilo industrial — é uma tendência que você pode incorporar ao seu quarto, por exemplo, sem medo de errar.

Um pouco mais sobre o estilo industrial

O chamado estilo industrial tem suas raízes nas décadas de 1950 a 1970, quando estúdios e galpões industriais, localizados na cidade de Nova Iorque, passam a ter uma nova funcionalidade, transformando-se em espaços para se morar, a exemplo dos famosos lofts residenciais.

 

O estilo chama atenção por mesclar elementos comuns das fábricas — aço, metal e concreto — com madeira e tijolos aparentes. Outro aspecto importante é a presença de espaços fluídos e funcionais, onde é possível ter uma amplitude maior e menos separações entre os ambientes.

 

Contudo, para adotar um estilo industrial em sua casa ou apartamento é preciso buscar certo equilíbrio, de modo que diferentes elementos consigam se comunicar de forma harmoniosa.

O estilo industrial no seu quarto

Se após conhecer um pouco mais sobre o estilo industrial você se encantou, provavelmente ele será uma excelente opção de decoração para o seu quarto. Nesse caso, vale a pena observar quais as mudanças que podem ser feitas e quais móveis podem ser trocados ou acrescentados ao espaço.

Pintura ou papel de parede

Se tem um elemento que pode mudar completamente um ambiente é a coloração. Você pode optar tanto pela pintura quanto pela aplicação de um papel de parede — cada um proporciona um efeito marcante.

 

Cores mais escuras como preto, cinza e tons terrosos são os mais comuns. Você pode, ainda, mesclar uma parede acinzentada com o restante do espaço mais neutro para dar mais claridade ao quarto.

Cama

A cama é um dos móveis que conseguem refletir essa mistura própria do industrial-urbano, exatamente por poder mesclar metal e madeira em um único móvel. Um modelo de cama em madeira com acabamento metálico ou ainda uma cama em aço com cabeceira de pallets são algumas das opções.

Escrivaninha

Móvel indispensável para quem usa o quarto como local de estudo ou trabalho, a escrivaninha também pode trazer esse tom urbano para o seu quarto. Mesas com pernas palito em madeira e tampo de metal (ou tampo de madeira e pernas de aço) são modelos interessantes. Outra possibilidade é usar uma mesa toda em madeira com uma cadeira de acabamento metálico.

Lâmpadas

As lâmpadas aparentes são outra característica marcante do estilo industrial. No quarto, elas podem ficar penduradas acima da cama. Prefira os modelos de filamento em LED que, além de serem mais econômicos, conseguem oferecer o mesmo design que os modelos mais antigos.

Prateleiras

Para organizar livros, CDs, porta-retratos e outros objetos decorativos, as prateleiras são uma excelente alternativa, já que unem praticidade e organização em um único elemento.

 

Para o efeito industrial, vale a pena investir em modelos de madeira com a sustentação em acabamento metálico. Caso a ideia seja reaproveitar, você pode usar pallets suspensos com peças de aço em formato triangular.

Penteadeira

Já pensou uma penteadeira toda em aço escovado com um espelho redondo ao centro e uma banqueta de madeira? Esse é um modelo bastante inusitado. Se o seu desejo, porém, é por algo mais clássico, invista em uma penteadeira em madeira e uma cadeira em aço. Simples assim.

 

 

 

Costa do Sauípe: melhor lugar para sua família

Resort all-inclusive conta com estrutura completa e alia diversão com relaxamento no litoral baiano.

 

Programar uma viagem em família é muito divertido, mas exige alguns cuidados para garantir que todos aproveitem o passeio. Isso significa que o destino escolhido precisa oferecer atividades que contemplem diferentes faixas-etárias, garantindo uma boa experiência tanto para os pais quanto para as crianças.

 

A boa notícia é que o Brasil tem um leque amplo de destinos, contemplando desde os amantes de praia até aqueles que preferem temperaturas geladas. O turismo na Bahia é uma boa opção para as famílias que querem aproveitar o litoral e, ao mesmo tempo, buscam uma imersão cultural durante a viagem.

 

Optar por um resort é uma das melhores opções para as famílias que querem sair do ritmo frenético da cidade. Assim, os pais podem relaxar, enquanto as crianças conseguem brincar o dia inteiro.

 

O Resort Costa do Sauípe está localizado a 76 km da capital baiana. Então, os hóspedes podem usufruir do sistema all-inclusive do complexo, fazendo passeios no estilo bate e volta em Salvador. A seguir, confira o que fazer no resort e quais são os passeios mais indicados.

Espaço Kids

É importante escolher um resort que tenha espaços dedicados aos pequenos. Isso porque eles precisam de diferentes estímulos, podendo cansar da rotina de praia e piscina.

 

Na Costa do Sauípe, as crianças utilizam a brinquedoteca e o playground, participam de oficinas de arte e culinária com os monitores, além de fazerem muitas outras atividades com os novos amigos.

Vila nova da praia

A Vila nova da praia imita uma cidadezinha baiana, trazendo aquela sensação de estar em um vilarejo. O local é o coração do resort e funciona como um ponto de encontro para todos os hóspedes, independentemente da ala em que eles estão hospedados.

 

A Vila nova da praia ganha vida quando o sol se põe. Lá, o turista aproveita as apresentações de música ao vivo e faz compras em lojinhas de artesanato. Também é possível tomar um sorvete ou jantar em um restaurante diferenciado (serviço separado do all-inclusive).

Praias e piscinas

Um bom resort para a família precisa oferecer diversas atividades para que todos fiquem entretidos durante o dia. Por isso, a Costa do Sauípe conta com diversas piscinas e três praias. Então, quem se hospeda no complexo realmente usufrui de uma estrutura completa.

 

Os hóspedes que preferem praia podem ficar nas espreguiçadeiras, fazer caminhada na areia e praticar esportes, como o vôlei. Entretanto, também é possível tomar sol na beira da piscina e participar de brincadeiras internas com monitores.

Quermesse da vila

A Quermesse da vila funciona como uma espécie de festa junina prolongada, já que funciona durante todo o ano. Ali, os hóspedes podem andar em uma roda gigante e brincar nas barracas de jogos, mas esses serviços são cobrados separadamente.

Vila assombrada

Quem disse que um resort só fornece atividades relaxantes? Na Vila assombrada da Costa do Sauípe, os hóspedes enfrentam as mais temidas lendas urbanas brasileiras. A casa tem ambientação inspirada em filmes de terror, criando um cenário assustador.

 

Essa atividade é para maiores de 10 anos. Crianças que possuem entre 10 e 14 anos devem estar acompanhadas de um adulto para participar.

Esporte, SPA e academia

Fazer exercícios físicos é muito importante para o corpo e para a mente. Então, quem quer praticar esportes durante as férias consegue fazer isso da melhor forma. Além da academia, o hóspede tem uma quadra de vôlei e outra de handebol à disposição, incluindo um campo de futebol society.

 

Por outro lado, quem está em busca de mais relaxamento pode procurar os serviços oferecidos pelo SPA do resort — que são cobrados à parte.

Passeios próximos ao resort

Os serviços citados anteriormente estão disponíveis aos hóspedes no resort.  Entretanto, também é possível fazer passeios no estilo bate e volta, conhecendo outros destinos baianos.

Salvador

Quem quer conhecer a capital baiana pode contratar o passeio no hotel. O roteiro abarca os principais pontos turísticos de Salvador: Elevador Lacerda, Pelourinho, Farol da Barra e Basílica do Senhor Bonfim, além da Igreja e do Convento São Francisco.

Projeto Tamar

O Projeto Tamar está localizado na Praia do Forte. Assim, o passeio inclui tanto a visita à praia quanto à iniciativa. Além disso, é importante saber que a praia da Costa do Sauípe é um local de desova das tartarugas. Por causa disso, o resort tem uma parceria que visa preservar as espécies.

Fisioterapia ortopédica: como funciona e 6 benefícios do tratamento

Uma das modalidades de tratamento que mais vem sendo requisitada nos últimos tempos, principalmente com o aumento do trabalho home office em todo o mundo, é a fisioterapia ortopédica, uma especialidade que traz diversas vantagens para seus pacientes.

Incluindo tratamentos, que vão desde a utilização de eletrochoques, até fisioterapias focadas em movimentos repetitivos, como pilates, a fisioterapia ortopédica pode melhorar o dia a dia ao mesmo tempo em que previne possíveis problemas futuros.

Ao longo deste artigo, conheça mais sobre a atuação de profissionais que trabalham com essa especialização e os benefícios trazidos para o corpo humano, bem como para atividades diárias, com o foco de seus tratamentos. Acompanhe!

O que é a fisioterapia ortopédica?

A fisioterapia ortopédica é uma modalidade dentro da fisioterapia focada em entender, prevenir e buscar os tratamentos certos para distúrbios nos ossos e músculos, trazendo maior satisfação diária para pacientes que sofrem com dores e indisposições.

Por exemplo, pacientes que sofreram acidentes, e após a recuperação interna (em um sentido de órgãos e estabelecimentos cerebrais) podem acabar apresentando problemas relacionados à locomoção e localização de ossos.

O profissional que trabalha nesse ramo é responsável em entender de perto os principais problemas e facilitar a melhoria de sensações, por meio de exercícios feitos em clínicas ou em academia com espaço kids, com acompanhamentos frequentes.

Algumas da principais modalidades de terapia intensiva são:

  • Eletroterapia;
  • Termoterapia;
  • Fototerapia;
  • Drenagem linfática;
  • Pilates.

Além de tratar questões pertinentes para movimentações comuns, como sentar e levantar de cadeiras repetidamente, profissionais podem trabalhar para melhorar possíveis problemas causados não no momento, mas com o tempo, como deficiências na coluna.

Como é a atuação do fisioterapeuta?

Um profissional que trabalha com a fisioterapia ortopédica atua tanto prevenindo quanto corrigindo problemas já existentes, algo que faz com que os tratamentos sejam tão variados, tanto para disposições quanto para gostos e diferentes valores.

Basicamente, dentro da fisioterapia, esses profissionais têm o conhecimento certo sobre a estrutura do corpo, bem como seus mecanismos, e de que forma cada parte pode ser tratada e modificada, visando uma melhor atuação.

São três os passos de trabalho de fisioterapeutas, começando com a identificação, a prevenção e o tratamento. Conheça mais sobre cada fase a seguir: 

Identificação

Em primeiro lugar, dentro de uma clínica especializada, um profissional da área de terapia ortopédica providencia uma bateria de exames, seja por meio de raio-x ou por movimentações em esteiras e o uso de diversos outros equipamentos.

A partir da verificação dos locais de possíveis problemáticas musculares ou ósseas, ocorrem exames mais aprofundados, que atestam a presença de fraturas ou deslocamentos, sendo então feita a preparação para o tratamento.

Prevenção

Ainda na questão de verificação de eventuais problemáticas que estimulam uma terapia, profissionais ortopédicos também verificam a possibilidade de fraturas e outras condições que podem apresentar pioras ao longo do tempo, causando futuras dores de cabeça.

Um desses potenciais problemas são posturas incorretas, ao sentar, deitar e ao praticar outras atividades, principalmente aquelas ligadas a movimentos repetitivos. Com isso, se estabelece uma preparação para tratamentos preventivos. 

Tratamento

Dentro do tratamento ortopédico, são inúmeras modalidades para cada caso e gravidade. Nessa fase, os especialistas geralmente trabalham com o fortalecimento de novas e posições mais corretas, que desafiam o corpo e incorporam um novo hábito.

Por exemplo, pacientes de causas de esforços repetitivos podem fazer tratamentos baseados em eletroterapia, onde raios elétricos conduzem energia para diferentes partes do corpo, fazendo com que movimentos possam ser melhor executados.

Principais benefícios dessa especialidade

Conheça abaixo alguns benefícios encontrados em realizar tratamentos com especialistas ortopédicos, questões essas que englobam vantagens essenciais para atividades diárias, como o trabalho e o estudo.

1. Alívio de dores

Muitas pessoas sentem dores em articulações e áreas do corpo mas acabam convivendo com essa realidade, inserindo no dia a dia o uso excessivo de medicamentos e outros produtos voltados para um alívio apenas momentâneo de situações graves.

Com o auxílio de profissionais da área da fisioterapia ortopédica, e após a averiguação do real problema existente, fisioterapias corretas, baseadas em tratamentos individuais, são capazes de facilitar um alívio permanente dessas dores e desconfortos existentes.

Além disso, uma Terapia manual ortopedica pode melhorar sensações de dor em pacientes com histórico de acidentes que impossibilitaram movimentos, ou em situações onde as dores podem provocar outras lesões e dificuldades, como na fala. 

2. Melhoria da mobilidade

Pacientes que sofrem acidentes vasculares, como o derrame, ou outros tipos de acidentes possuem uma maior dificuldade de mobilidade, algo que pode, com o tempo, ser ainda mais efetivo, causando consequências graves para outros órgãos.

Dessa forma, investir em uma terapias ortopédicas com profissionais e atividades de qualidade, como caminhadas diárias em esteira para academia, favorecem o contorno de situações onde a mobilidade foi prejudicada, podendo ainda melhorar essa condição.

Outra situação que é favorecida com tratamentos específicos para a melhoria da mobilidade é quando uma pessoa precisa dispor de grande energia e disposição para o corpo, como em apresentações de empresas ou até mesmo em longas viagens de avião.

3. Aumento da flexibilidade

Algo que incomoda na rotina de trabalho, ainda mais em situações como as de home office, onde pessoas passam excessivas horas do dia em frente a computadores, ainda que esteja com uma excelente cadeira alta para escritório, é a falta de flexibilidade do corpo.

Acontece que, no momento que nosso corpo passa horas e horas, ou até dias, sem movimentos constantes de atividades físicas, é possível que ele passe a enferrujar, ou em outras palavras, a não apresentar facilidade na hora da locomoção ou movimentação.

No trabalho de médicos especializados em tratamentos ortopédicos, algumas atividades e exercícios prioritários podem aumentar a flexibilidade, evitando com que movimentos bruscos acabem causando desde pequenas a graves lesões, trazendo desconforto.

Além disso, a flexibilidade é interessante para pessoas que praticam alguns determinados esportes, onde a movimentação e mudança de posição do corpo seja importante, como futebol ou vôlei, facilitando ainda o desempenho de atletas.

4. Fortalecimento de músculos

Uma das principais indicações quando um atleta procura um nutricionista esportivo é realizar procedimentos de terapia ortopédica para melhorar a disposição dos músculos, que podem ser tratados de maneira focada e sem riscos de danificação. Também pode ser o caso de contratar um médico ao domicílio.

Para pessoas que não trabalham com grandes disposições de corpo, como no caso de jogadores de futebol, essa também pode ser uma boa ideia, mais focada na melhor disposição do corpo em aguentar longas horas em pé ou sentado.

Essa também é uma realidade para pessoas que sofrem com problemas em tecidos corpóreos, e que além de fazerem acompanhamento e tratamento nutricional e médico, devem seguir restritos tratamentos de terapia manual nos músculos.

5. Alcance da postura correta 

Um dos principais sinais de falta de atividade física e movimentação do corpo de uma forma geral, em especial de pessoas que passam muitas horas na frente do computador, fazendo ações repetitivas com a mão, por exemplo, é o problema na postura.

Esse é um problema que aflige milhares de pessoas em todo o mundo, e muitas vezes começa nas escolas, em posturas incorretas na sala de aula, algo que, assim como um hábito, vai sendo alimentado e perpetuado ao longo dos anos.

Com tratamentos como o pilates, por exemplo, fisioterapeutas conseguem melhorar a postura dessas pessoas, até mesmo aquelas que já nasceram com problemas na estrutura óssea e muscular. 

Dessa maneira, melhora-se, ainda, possíveis disfunções relacionadas à disposição ou relaxamento.

6. Reflexos melhores

Imagine que um cartão de visita pessoal está caindo no chão, e ao tentar pegá-lo, você acaba não conseguindo alcançá-lo. Inúmeras questões podem estar relacionadas a isso, como o vento ou a distância, mas uma delas pode ser o reflexo.

Nossos reflexos corpóreos estão totalmente relacionados com a disposição e rapidez que nosso cérebro envia as informações de ações para nosso corpo, algo que pode ser mais lento ou mais rápido, dependendo da constante movimentação que nos faz mais rápidos.

Apesar de não ser uma questão comum, ela é importante dentro do tratamento de fisioterapeutas ortopédicos, já que quanto maior o treinamento de ações e movimentos, mais estaremos dispostos a nos atentar a ações rápidas, como desvios e corridas.

Conclusão

Investir em fisioterapia e um acompanhamento terapêutico para auxiliar ou prevenir problemas musculares e ósseos pode ser uma boa dica para a manutenção de uma vida mais saudável e com maior eficiência para a produtividade.

Aliar esse trabalho terapêutico a outras questões relacionadas ao bem-estar, como um plano alimentar individualizado, pode ser uma boa ideia para a incorporação de um dia a dia cada vez mais saudável, e o alcance de uma maior expectativa de vida.

Estamos em um bom momento para financiar imóveis?

Com juros reduzidos, o cenário para começar um financiamento é animador em 2021.

 

A crise sanitária trouxe instabilidade financeira para o Brasil em 2020. Com a mudança de rotina causada pelas especificidades do momento, muitas pessoas se viram diante de incertezas sobre seu futuro econômico. Isso as fez pensar se seria seguro realizar um grande investimento, como financiar um carro ou imóvel.

 

Apesar dessa insegurança, o momento para a aquisição de bens, como a casa própria, vive um cenário animador desde o último ano e no começo de 2021. Os financiamentos imobiliários bateram recorde nos meses finais de 2020, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

 

Por conta disso, o ano fechou com uma alta de 40% nesse interesse. Essa elevação é justificada pela criação de linhas de créditos imobiliárias por parte das instituições financeiras, assim como a redução dos juros cobrados. O isolamento social também contribuiu para que mais pessoas procurassem por um imóvel novo, em que pudessem ficar mais confortáveis.

Juros reduzidos

A redução dos juros é um fator fundamental que colaborou para esse aumento na procura do financiamento imobiliário. As taxas de juros cobradas pelos bancos são as mais baixas da história, o que torna o financiamento ainda mais atrativo e com mais vantagens para os clientes.

 

Essa redução tem duas consequências perceptíveis: o aumento do poder de compra, permitindo que as pessoas comprem imóveis melhores pagando um valor semelhante de prestação; e a redução do risco familiar, uma vez que o valor da prestação tem uma representação menor dentro da renda mensal da família.

 

Apesar dessa redução nos juros, é preciso ficar atento às taxas de juros cobradas por cada instituição, uma vez que elas variam de um para outro. Também é necessário ressaltar que essas taxas são maiores que a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic.

 

Quem faz esse alerta é Alberto Mattos de Souza, membro da Comissão de Negócios Imobiliários do Instituto Brasileiro de Direito Imobiliário (Ibradim). Ele explica que esse quadro mudou nos últimos anos, com os dois tipos de taxas invertendo de posição.

 

Para exemplificar, ele aponta que, em 2016, a taxa do financiamento era de cerca de 10,5% mais a Taxa Referencial (TR), enquanto a Selic terminou o ano com 13,75%. Em 2021, a modalidade do empréstimo com juros mais TR é de cerca de 7%, na média, enquanto a Selic se encontra em 2%.

 

Souza lembra que é preciso avaliar uma série de fatores antes de tomar a decisão pelo financiamento. A pessoa precisa se assegurar de que tem condições para pagar as parcelas do empréstimo, a fim de não assumir dívidas.

 

Outro conselho dado por ele é que a pessoa quite o financiamento o quanto antes, caso tenha condições para isso. Essa recomendação é a oposta ao que aconteceria no passado, quando era mais vantajoso aplicar o dinheiro em renda fixa.

Critérios para avaliação

Entre os principais critérios para avaliar se vale a pena iniciar um investimento, dois precisam estar no topo da sua lista. Um deles é o custo do financiamento e o quanto ele representa da sua renda mensal. A recomendação dos especialistas da área é que esse valor não ultrapasse 30% do que você ganha.

 

Outro fator é a comparação entre o aluguel e o financiamento. Normalmente, o valor de locação é em torno de 0,5% do valor total do imóvel. Assim, ao pesquisar sobre opções desejáveis, você pode checar o valor de mercado dele por essa métrica. Outra comparação importante é o valor da prestação com o pago pelo aluguel.

 

O fim que você tem em mente para o imóvel também pesa. Quem está comprando a primeira casa própria deve priorizar aspectos como localização, comércio local, acesso ao transporte público e proximidade com os mais variados serviços, como escolas.

 

Já quem pretende comprar um imóvel como um investimento, para ser uma renda complementar, deve avaliar outros aspectos, como a possibilidade de valorização no futuro. De qualquer forma, os critérios de escolha não são os mesmos nos dois casos.

5 dicas para decorar o escritório

Organização e iluminação do ambiente são alguns dos aspectos que precisam ser considerados.

 

Home office ou escritório corporativo, é importante que seja criado um ambiente apropriado para trabalhar. Ele deve ser confortável e sem incômodos, permitindo que o trabalhador não tenha sua produtividade prejudicada.

 

É preciso pensar em decorar o escritório para que ele seja um local elegante e aconchegante, que proporcione bem-estar aos seus usuários. Conheça algumas dicas valiosas de como decorar esse cômodo, corporativos ou residenciais.

Organização

A organização é um dos pontos-chave na decoração de um escritório. Ter um espaço próprio para cada objeto que o compõe é importante para não criar um ambiente desordenado. Além disso, quanto mais organizado, menos tempo se perde para encontrar o que se precisa, otimizando o tempo no trabalho.

 

Portanto, você pode escolher mesas que tenham gavetas, além de colocar estantes e prateleiras nas paredes. Outra boa solução é decorá-lo com caixas organizadoras, onde os funcionários podem guardar papéis e outros objetos, identificando cada caixa com etiquetas que facilitem a identificação.

Influência das cores

Um dos aspectos que precisam ser considerados é a cor dos objetos que fazem parte de um escritório, uma vez que elas têm certa influência sobre as pessoas. As cores mais fortes, por exemplo, ajudam no estímulo de ideias das pessoas, o que pode ser ótimo para escritórios de áreas como arquitetura, publicidade e design.

 

Por outro lado, se você planeja montar um escritório que seja mais calmo e sereno, o ideal é escolher cores mais claras. Esse tipo de decoração é uma boa indicação para escritórios de administração e advocacia. Essa dica também serve para aqueles que querem decorar um escritório em casa, de acordo com suas necessidades.

Cadeiras confortáveis e ergonômicas

Independentemente de você estar decorando um escritório em casa ou fora dela, é fundamental que você garanta que as cadeiras sejam confortáveis e ergonômicas. As pessoas passam a maior parte do tempo de trabalho sentadas nelas, portanto, é importante zelar por seu bem-estar e produtividade.

 

Por isso, antes de fazer a escolha, leve em consideração alguns critérios. As cadeiras dos trabalhadores devem ser preferencialmente giratórias, permitindo que eles tenham liberdade para se movimentar. A regulagem de altura também é fundamental, pois permite que cada pessoa possa posicionar a cadeira na melhor posição.

 

Também é desejável que a cadeira tenha um apoio para a cabeça e para os braços, além de ser inclinável. O encosto também deve ser agradável e ergonômico, para não prejudicar a postura.

 

Feita essa avaliação, você pode procurar por modelos que combinem com o restante da decoração. Por exemplo: optar por uma cadeira que tenha os pés no mesmo tom da mesa do seu escritório.

Espaço de convivência

O escritório corporativo não se resume ao espaço em que os funcionários trabalham. Você precisa pensar em criar um espaço de convivência agradável, no qual as pessoas possam conversar, trocar ideias e se sentir relaxadas.

 

Esses espaços ajudam a dar um toque de modernidade ao empreendimento. Além de prezar pelo bem-estar dos trabalhadores, é um local que propicia o surgimento de novas ideias e insights. Para isso, você pode investir na decoração com sofás e puffs coloridos, além de pensar em uma pintura de parede que seja distinta do escritório.

Iluminação

A iluminação é um aspecto muito importante em um escritório. Não é ideal que a pessoa trabalhe em um ambiente com pouca luz, onde deva forçar a vista para conseguir exercer suas atividades.

 

Assim, a recomendação é que você não poupe esforços para deixar o escritório bem iluminado. Posicionar mesas de trabalho próximas das janelas é uma das dicas, uma vez que, quanto mais iluminação natural, melhor. Caso você esteja construindo um escritório, opte por janelas grandes, que permitam a entrada de bastante luz.

 

Outra solução, principalmente para escritórios domésticos, é comprar uma luminária para a sua mesa de trabalho, já que ela permite que você tenha outro ponto de luz no cômodo. Nesse caso, vale a pena escolher uma que combine com a sua personalidade.

Como exercícios físicos podem te ajudar no seu período menstrual

Atividades físicas contribuem positivamente para o alívio das tensões menstruais.

 

Ainda que não possuam nenhuma doença ginecológica, a maioria das mulheres enfrenta diversos tipos de dores durante a menstruação. Para aliviar esses sintomas, a maior parte das mulheres faz uso de medicamentos.

 

No entanto, o que muitos não sabem é que a prática regular de atividades físicas pode proporcionar uma melhora significativa nos sintomas e na qualidade de vida de quem sofre todo mês com essas dores. Isso porque os exercícios trazem diversas vantagens para o organismo, que vão desde o aumento na taxa metabólica até a produção de hormônios benéficos para o corpo.

 

Portanto, mesmo com as dores, o mau humor e o desânimo típicos da TPM, vale a pena fazer um esforço físico extra para se sentir melhor.

Pesquisas apontam melhora nos sintomas

Diversos estudos científicos concluíram que a prática de atividades físicas ajuda a amenizar os sintomas do período menstrual. O principal deles, feito pela Universidade Politécnica de Hong Kong, na China, avaliou o efeito dos exercícios físicos em diversos campos afetados pelo ciclo menstrual.

 

No total, 70 mulheres — de 18 a 43 anos — com dores menstruais participaram do experimento. Elas foram divididas em dois grupos: o primeiro continuou vivendo normalmente, fazendo uso de analgésicos, e o segundo fez treinamento aeróbico em uma esteira elétrica 3 vezes por semana, durante 1 mês.

 

Depois desse período, os grupos foram orientados a seguir a mesma rotina em casa. Os exercícios eram praticados a partir do último dia do ciclo menstrual até o primeiro dia de menstruação.

 

Após 7 meses, as voluntárias foram questionadas a respeito das dores menstruais e o resultado foi o seguinte: o grupo que treinou afirmou sentir 20% menos dor em comparação ao grupo que somente fez uso de analgésicos. Além disso, quem praticou exercícios também relatou uma melhoria em relação à qualidade de vida e produtividade.

Mas, afinal, por que o exercício físico ajuda no período menstrual?

Dentre todos os benefícios gerados pela prática de exercícios durante o período menstrual, podemos destacar o aumento na taxa metabólica e a melhora na circulação sanguínea, que potencializa o transporte de oxigênio e de nutrientes essenciais para as funções vitais do organismo.

 

Além disso, outro fator que também pode explicar o alívio dos sintomas é a liberação de hormônios proporcionados pela prática de atividades físicas. Especialmente a endorfina, que está diretamente ligada às sensações de prazer e bem-estar.

Cólicas

A cólica é, certamente, a maior inimiga das mulheres durante o período menstrual. Quando ela ataca, a última vontade que surge é a de praticar exercícios. Entretanto, é importante saber que as atividades físicas, sobretudo os exercícios direcionados à região pélvica, geram um grande alívio para essas dores abdominais.

 

Um bom exemplo de exercício é deitar em um colchonete, apoiar os pés em uma bola ou estepe e elevar o quadril tirando o bumbum do chão, mas mantendo as costas apoiadas.

 

Embora não pareça, esse movimento ajuda a amenizar as cólicas e, junto a analgésicos, pode até fazer com que elas desapareçam efetivamente.

Mau humor, ansiedade e compulsão por doces

Ansiedade e alterações no humor também são bastante comuns durante o período menstrual e, felizmente, há atividades físicas que relaxam o corpo e a mente — como ioga, alongamento, técnicas de meditação e respiração —, contribuindo para amenizá-las.

 

No entanto, se o objetivo for diminuir a compulsão por doces, que é bastante comum durante o ciclo menstrual, o melhor a se fazer é investir em atividades aeróbicas, pois, além de impulsionarem a produção de endorfina, diminuem o cortisol — hormônio relacionado ao estresse, que pode aumentar o desejo por doces.

Centro-Oeste: o que conhecer?

Maravilhas naturais são alguns dos principais atrativos das cidades da região.

 

Muitas pessoas podem não ter essa impressão, mas o Centro-Oeste brasileiro é um ótimo destino turístico para quem planeja viajar pelo Brasil. Lar de incríveis maravilhas naturais, ele é a escolha certeira para quem procura fazer ecoturismo e se conectar com a natureza.

 

Outra vantagem é que, em relação a outras cidades turísticas do país, algumas das opções da região são exemplos de destinos baratos no Brasil. Assim, o visitante gasta menos e ainda consegue fazer uma viagem incrível. Neste texto, saiba quais são os principais destinos para visitar no Centro-Oeste.

Bonito (MS)

Se você quer se conectar com a natureza, precisa visitar a cidade sul-mato-grossense de Bonito. O município é uma das principais referências em ecoturismo no país, convidando turistas a realizarem trilhas que levam até piscinas naturais e rios. O passeio ainda permite que o visitante tome banho de cachoeira e possa se aventurar pelas corredeiras da região.

 

A prática de esportes radicais também é uma possibilidade, já que o turista pode fazer rapel ou andar de tirolesa. Um dos passeios mais recomendados é a exploração do Abismo Anhumas por meio de mergulho, permitindo que você conheça um lugar incrível.

 

Inclusive, os interessados em conhecer grutas têm muito a explorar na região. Uma das melhores indicações é a gruta do Lago Azul, uma das maiores cavidades inundadas do planeta.

Caldas Novas (GO)

A cidade goiana de Caldas Novas é conhecida no mundo todo pelas águas termais, portanto não poderia ficar de fora dessa lista. Como ela está localizada sobre o maior manancial hidrotermal do mundo, conta com piscinas de águas quentes, que variam entre 43º e 70º C. Assim, relaxar e descansar fica mais fácil para qualquer turista.

 

Os parques aquáticos da cidade também são um grande atrativo, garantindo a diversão com tobogãs, brinquedos e piscinas de variados tipos. Ao redor, ainda é possível praticar esportes radicais, como andar de jet ski e fazer canoagem.

 

O Parque Estadual da Serra de Caldas Novas é outra atração imperdível para quem procura se conectar com a natureza. Ele tem trilhas e cachoeiras, além de bonitos cenários naturais que irão encantar qualquer pessoa.

 

Cáceres (MT)

Você tem vontade de conhecer o Pantanal brasileiro? Então, o destino que você procura é a cidade mato-grossense de Cáceres. Localizada na fronteira com a Bolívia, ela atrai turistas pela natureza e pela prática de pesca esportiva.

 

O município fica às margens do Rio Paraguai, que serve de ponto de partida para navegar pelo Pantanal, conhecendo um pouco mais da fauna e da flora. Outro passeio recomendado é uma visita até Dolina Água Milagrosa, uma lagoa formada por água cristalina, localizada em uma gruta de 200 metros de altura.

 

Para conhecer mais da história do lugar, vale visitar a Catedral de São Luiz e o Marco de Jauru, localizados no centro da cidade.

Brasília (DF)

A capital nacional é um dos destinos que você precisa conhecer na região Centro-Oeste. A construção planejada, aliada às icônicas obras imaginadas pelo arquiteto Oscar Niemeyer, são alguns dos principais atrativos da cidade.

 

Entre essas construções, você não pode deixar de conhecer a Esplanada dos Ministérios e a Catedral Metropolitana. Se você quer um cantinho para relaxar, vale visitar a orla do Lago Paranoá, assim como o Parque da Cidade Sarah Kubitschek. Uma ida até a Ermida Dom Bosco garante a visão de um dos mais belos pôr do sol da capital.

 

Outros bons passeios incluem uma visita à Biblioteca Nacional e à Torre de TV de Brasília, que permite uma visão deslumbrante da capital em 360º. Para conhecer mais da história da cidade, separe tempo para conhecer o Memorial JK, que inclui uma estátua do casal Kubitschek.

Como investir no mercado de imóveis

Aproveitando que o mercado imobiliário está valorizado no início de 2021, é possível investir nesse setor e obter bons resultados.

 

O investimento no mercado imobiliário é um dos mais buscados em tempos de crise econômica. Isso porque os imóveis são considerados ativos seguros, com pouca variação de preço nesses períodos.

 

Se você está em busca de investimentos com rendimento maior que os atuais, talvez o mercado de imóveis seja a pedida ideal para ver a rentabilidade aumentar em 2021.

Recuperação do setor entre 2016 e 2019

Depois de um início de década em crise econômica, principalmente em 2013 e 2015, o mercado imobiliário começou a ensaiar uma recuperação em 2016. Esse crescimento atingiu o auge em 2019, quando o setor registrou um aumento de 1,6%, segundo dados da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção).

 

O crescimento em 2019 foi impulsionado por alguns fatores importantes, como a queda nos juros para financiamentos imobiliários. A Caixa Econômica Federal, que detém mais de 60% de participação no mercado de financiamentos, diminuiu suas taxas para até 7,5% ao ano.

 

Juros tão baixos eram inéditos na década, já que, sobretudo nos anos de crise, o setor sempre manteve as taxas acima dos dois dígitos. Com essa queda, a Caixa registrou um aumento de 3,6% em sua carteira de crédito habitacional, o que mostra que o consumidor voltou a investir em imóveis.

 

Mesmo que a passos lentos, o crescimento do setor imobiliário fez com que o PIB da construção civil aumentasse 0,3% em 2019, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), depois de 5 anos seguidos de queda.

Expectativa alta para 2020 acabou não se confirmando

Os números de 2019 elevaram a expectativa do setor para 2020, porém isso acabou não se confirmando como os investidores gostariam. O ano passado foi bem atípico por conta de todos os problemas que aconteceram globalmente, e isso fez o setor registrar queda nos resultados já no primeiro trimestre.

 

O que manteve o setor de pé foi a construção civil. Mesmo com pouca demanda e desempenho fraco nas vendas, as obras não pararam, dando um tempo para as construtoras trabalharem as estratégias com mais calma ao decorrer do ano.

 

O governo também ajudou a esquentar o setor com novos cortes na Selic, definindo a taxa em 2% ao ano. Isso fez com que o setor voltasse a crescer lentamente a partir de julho. Os resultados não foram os esperados, mas atingiram cerca de 85%, mesmo com um contexto desfavorável.

2021 é um ano bom para investir em imóveis

O ano de 2021 chega com boas expectativas de um mercado imobiliário aquecido e imóveis mais valorizados. A tendência é que haja uma migração de investimentos vindos da renda variável para o setor, feitos por quem busca segurança.

 

Como os imóveis não se desvalorizam pela inflação, 2021 é o ano de materializar os investimentos ao apostar no setor, ou seja, investir na compra de imóveis é uma alternativa excelente para lidar com a crise.

 

A tendência para o setor é que 2021 se caracterize como um ano de muita demanda com o aumento da busca por imóveis, e isso tende a valorizá-los. A dica é apostar na compra de imóveis para usá-los como ativos e participar de fundos imobiliários com uma gestão que foque na diversificação do portfólio.

 

Com mais facilidade de crédito, imóveis financiados podem ser usados para aluguel e devem valorizar bastante este ano. Prédios comerciais também são ativos estratégicos, já que, com o fechamento de muitas empresas em 2020, vários novos negócios devem surgir em 2021,alugando salas nesses espaços.

 

O investimento em imóveis deve ficar em alta durante 2021. Talvez, neste ano, as expectativas de 2020 confirmem-se. De qualquer forma, a segurança desse tipo de investimento tende a atrair investidores de diversos perfis.

iOS: saiba tudo sobre o sistema do iPhone

Sistema é considerado um dos melhores por manter atualizações constantes.   Quem é usuário de dispositivos Apple …

O que é geladeira frost-free? Conheça a tecnologia

  Entenda as vantagens, facilidades e diferenças em relação aos outros modelos.   Quem não se lembra da bagunça …

Combinação de metal e madeira é tendência de decoração

Saiba mais sobre o estilo industrial e como aplicá-lo no seu espaço.   Combinação entre o rústico e o urbano, o …