Dicas de Fisioterapia para Pacientes e Fisioterapeutas

Leia nossos artigos. Melhore o seu estilo de vida agora!

Acupunturista: o que faz e os benefícios da profissão

O acupunturista é o terapeuta responsável pela aplicação de pequenas agulhas em pontos específicos do corpo humano. Este método tem suas origens na medicina tradicional chinesa, sendo considerada uma arte milenar.

Entre seus objetivos estão o tratamento de problemas emocionais, doenças físicas, alergias e o aumento da imunidade, através de uma série de interjeições realizadas pelo corpo com o auxílio de agulhas.

Muitas pessoas procuram uma clínica de acupuntura para tentar formas alternativas de tratamento, normalmente cansadas dos extenuantes e agressivos tratamentos convencionais.

A base da acupuntura baseia-se no conceito de que o corpo humano é composto de energia, também chamada Qi. Esta energia circula por todo o corpo através de regiões conhecidas como meridianos.

Toda vez que um meridiano entra em desequilíbrio, a energia do corpo fica desbalanceada e gera uma série de efeitos negativos, como:

  • Dor;
  • Fraqueza;
  • Cansaço;
  • Desgaste emocional.

Por isso, a ideia da acupuntura é utilizar as agulhas para reestruturar a energia nos meridianos e restabelecer o equilíbrio de Qi no corpo. Os efeitos principais que podem ser facilmente identificados são analgésicos e antiinflamatórios.

É importante ter em mente que a acupuntura não elimina a necessidade de acompanhamento médico tradicional. 

É comum que as pessoas a utilizem como um suporte para tratamentos tradicionais, e muitos médicos recomendam a prática, até mesmo um nutricionista esportivo, para quando a prática for aliada a um processo de emagrecimento, por exemplo.

Entretanto, o principal fator em caso de doenças físicas ou mentais é o acompanhamento profissional. Médicos, psicoterapeutas e outros especialistas devem continuar sendo consultados, bem como tratamentos paralelos devem ser mantidos.

Para quê serve e quais os benefícios da acupuntura?

Muitas pessoas ainda têm receio ou preconceito pela prática, mas a acupuntura é autorizada e recomendada por diversos médicos e especialistas.

Sendo uma importante ferramenta para conseguir tratamentos mais humanizados e menos invasivos e danosos ao seu corpo.

Através das técnicas de acupuntura, é possível eliminar uma série de problemas bucais, por exemplo, como a gengivite, faringite e a dor após a extração de um dente. 

Além disso, doenças de origem alérgica, como rinite, sinusite e asma também podem ter melhoras expressivas.

Um check up geral ainda é muito necessário quando você tem algum sintoma não conhecido, e pode inclusive ajudar a escolher o tipo correto de acupuntura que você utilizará.

O tratamento vai além, auxiliando até mesmo em tratamentos de desintoxicação, utilizando as agulhas como pontos de alívio de estresse e ansiedade que levam pessoas a consumirem tabaco, álcool ou drogas ilícitas.

Existem alguns tipos específicos de acupuntura, que podem ser utilizados para diversas finalidades. Entre eles, podemos citar:

1 – Acupuntura auricular

A acupuntura auricular, conhecida popularmente como auriculoterapia, é normalmente utilizada como um tratamento para doenças físicas e emocionais, e as agulhas, neste caso, são dispensáveis.

Isso porque alguns profissionais preferem o uso de sementes de mostarda ao invés da aplicação das agulhas, embora o objetivo seja o mesmo. Trata-se de uma terapia manual, com bons resultados no organismo.

A ideia é que estes pontos aliviem o estresse e diminuam a intensidade da dor.

Através de sessões de auriculoterapia, é possível identificar uma série de benefícios para o corpo, como a redução da ansiedade e uma sensação de satisfação, ideal para pessoas que estejam tentando parar de fumar.

Além disso, este método é ideal para dores nas costas, e sua eficácia já foi inclusive comprovada cientificamente, garantindo assim que haja diminuição na dor enquanto tem a sua energia corporal realinhada.

2 – Acupuntura estética

Este tipo de tratamento é ideal para pessoas que desejam melhorar a elasticidade da pele, diminuindo os efeitos do envelhecimento natural. 

A acupuntura estética é recomendada para estimular a produção de colágeno, bem como a recuperação de músculos e combate a rugas.

Para realizar um tratamento como esse, é comum que você tenha uma frequência maior na clínica de acupuntura, e as pequenas agulhas serão inseridas na região de sua cabeça, face e pescoço.

Esse tipo de tratamento é muito menos invasivo e perigoso do que aplicações de químicos como o botox, embora seja um procedimento mais longo. É preciso fazer diversas sessões de tratamento antes de começar a perceber os efeitos.

3 – Acupuntura de emagrecimento

Uma vez que a obesidade ocasiona uma série de problemas no fígado, baço, rins e outros órgãos, a tradição chinesa identifica o sobrepeso como um desalinhamento no Qi. Por conta disso, diversas técnicas de acupuntura foram criadas para auxiliar nestes casos.

Além de um bom plano alimentar para emagrecer, a acupuntura de emagrecimento pode ser muito útil se você pretende perder peso.

A base das técnicas de perda de peso permitem a redução do apetite e o aceleramento do metabolismo através da aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo.

Além disso, podem ser atingidos pontos que permitem que o fluxo de energia do corpo se movimente e altere os níveis de hormônios responsáveis pela sensação de fome, diminuindo a necessidade de comer.

É importante frisar que só a acupuntura não atrai resultados adequados para pessoas que desejam perder peso. É preciso aliar esse tipo de tratamento com uma dieta saudável e exercícios físicos para conseguir o resultado esperado.

Comprar uma esteira para academia para treinar em casa pode ser um bom aliado para ajudar no processo da acupuntura.

4 – Eletroacupuntura

A eletroacupuntura é a união do avanço tecnológico com a medicina tradicional chinesa. Tratam-se de pequenas placas com microagulhas que são acopladas em partes do corpo, onde elas emitem pequenos impulsos elétricos.

Esse tipo de tratamento é ideal para melhorar a dor, além de promover o relaxamento do corpo e diminuir quadros de estresse e ansiedade.

Para garantir o melhor uso desse tipo de equipamento, entretanto, é bom confirmar se o estabelecimento e o profissional são certificados especificamente para este tipo de operação.

Além disso, alguns dos principais benefícios da acupuntura estão na forma como ela pode ser usada como um tratamento complementar, muitas vezes auxiliando os processos tradicionais de medicina e aliviando diversos sintomas de pacientes.

Em muitos casos, uma pessoa em tratamento pode estar recebendo uma grande carga de medicamentos, o que pode ser bastante prejudicial ao corpo humano. Quando se inicia um tratamento de acupuntura, aos poucos vai possibilitando que o médico diminua essa carga.

Assim, o paciente fica apenas com os medicamentos essenciais para o tratamento, enquanto a acupuntura resolve elementos como a diminuição de dores, inchaços e a regulamentação do funcionamento corporal como um todo.

Ademais, cada vez mais psiquiatras e psicoterapeutas têm indicado a acupuntura como um tratamento contra mazelas mentais, como a ansiedade e a depressão. Os pontos de alinhamento da acupuntura podem fazer grandes mudanças na vida de uma pessoa.

É importante que o acupunturista e o psicoterapeuta estejam sempre em comunicação para definir a melhor forma de apresentar um tratamento adequado. 

Isso porque cada pessoa tem sua parcela de necessidade, e o tratamento acaba nunca sendo igual para duas pessoas.

Além disso, é indicado que o paciente procure por outras atividades de lazer que possam fazer o corpo reagir melhor ao tratamento.

Quanto mais soluções no dia a dia você encontrar, através de hobbies, esportes ou mesmo uma alimentação adequada, mais o tratamento com a acupuntura fará efeito.

A diminuição de dores crônicas também é um dos grandes trunfos da acupuntura. Pacientes com dores nas costas, enxaqueca e fibromialgia acabam sendo muito beneficiados com esse tratamento.

Logo, com um cartão de visita pessoal em mãos, o acupunturista pode acabar mudando a vida de um paciente.

Como se tornar um acupunturista?

Embora a acupuntura seja uma especialidade da medicina, não existe nenhuma legislação que restrinja o exercício de um profissional da acupuntura.

Além disso, diversos outros conselhos profissionais ligados a área da saúde, como o de enfermagem e o de biomedicina, reconhecem essa prática em suas categorias.

Portanto, especialistas com conhecimento certificado em anatomia e fisiologia estão propensos a participar de um curso de pós-graduação lato sensu (especialização) em acupuntura.

Você pode até mesmo comprar uma cadeira alta para escritório para ficar confortável nas horas de estudo que passará enquanto se prepara para tornar-se um acupunturista.

Dessa forma, diversos profissionais podem se tornar aptos a realizar os tratamentos adequadamente. 

A área de atuação de um acupunturista é bem ampla, e varia desde hospitais e clínicas até SPAs e resorts que oferecem tratamentos alternativos a seus clientes.

Se você é um trabalhador da saúde e está pensando em mudar de área para a acupuntura, é ideal que procure um curso de confiança e qualidade certificada, e que confira todo o conteúdo programático do curso para garantir que ele atende suas necessidades.

Quanto mais especializado você quiser ser, mais atenção deve dar às etapas de busca de conhecimento nas etapas para se tornar um acupunturista.

Considerações finais

Apesar de ser uma técnica milenar, a acupuntura ainda é uma forma extremamente efetiva para tratamentos médicos, e pode fazer a diferença na vida de um paciente.

A escolha de seguir esta profissão requer muito estudo e prática, mas os acupunturistas acabam tendo muito campo de trabalho, ajudando pessoas com diversas atividades.

Acupuntura: 4 benefícios para tratar a ansiedade

A acupuntura é uma técnica milenar originada na medicina chinesa tradicional. Existem diversos benefícios que esta técnica propõe, e os resultados dos tratamentos são cada vez mais reconhecidos.

Dentre as inúmeras áreas que a acupuntura tem lidado, a saúde mental tem ganhado muito destaque uma vez que é possível utilizar a técnica para auxiliar o tratamento de diversos elementos, como:

  • Depressão;
  • Transtornos de ansiedade;
  • Síndromes;
  • Dependência química.

Cada vez mais a medicina ocidental tem adotado esse tipo de terapia como um grande aliado no tratamento convencional, chegando até mesmo a aliviar o sofrimento do paciente a ponto de ele poder diminuir antidepressivos.

Existem diversos elementos que ajudam a melhorar um quadro depressivo, desde exercícios em uma esteira para academia até tratamentos alternativos.

É importante que nestes casos, entretanto, ainda exista um acompanhamento e psicoterapia. 

A acupuntura, assim como os remédios tradicionais, só tem efeito se estiver sendo utilizado junto de um acompanhamento seguro e próximo.

Princípios da Acupuntura

A medicina tradicional chinesa lida muito com a energia vital do corpo humano, a qual denomina-se Qi. 

O principal objetivo da acupuntura é restaurar o equilíbrio do que são chamados os canais meridianos, caminhos que o Qi utiliza para percorrer todo o corpo.

Portanto, a base da prática está no fato de que nossos problemas físicos e mentais podem ter sua origem no desequilíbrio da energia vital. 

É o caso, entretanto, de alinhar novamente o Qi para que você consiga retornar o corpo a seu perfeito funcionamento.

Até mesmo um plano alimentar para emagrecer pode se beneficiar do alinhamento do seu Qi para resultados mais adequados.

Os congestionamentos de Qi podem acabar causando uma série de doenças e distúrbios, tanto os que possuem efeitos físicos quanto transtornos e síndromes mentais.

As origens desse congestionamento são inúmeras, desde a má alimentação e o estresse até traumas passados e a herança genética podem ser responsáveis por uma série de problemas que geram a necessidade de realinhamento do Qi.

Acupuntura e os elementos

Quando lidamos com a medicina tradicional chinesa, existe muita correlação entre as doenças e transtornos psicológicos com o mau funcionamento do organismo. 

Para conseguir identificar os principais elementos utilizados no tratamento, é preciso entender a relação.

A acupuntura relaciona diretamente os órgãos do corpo aos estados emocionais para que seja realizada a aplicação do agulhamento. Por isso, deve-se atentar a teoria dos 5 movimentos.

Essa teoria faz um paralelo entre os principais elementos da natureza e o corpo humano, classificando os principais órgãos com estes elementos. 

Como resultado, temos as seguintes comparações:

  • Rins: Água;
  • Coração: Fogo;
  • Fígado: Madeira;
  • Pulmões: Metal;
  • Pâncreas: Terra.

Para criar paralelos com os transtornos mentais, a medicina chinesa segue o princípio de que cada emoção está associada a um dos elementos, e consequentemente, a um órgão.

Destas, as que mais se destacam são a Alegria (fogo), Tristeza (pulmão), Raiva (fígado), preocupação (pâncreas) e medo (rins). 

Para que seja identificado o principal método de tratamento em um quadro mental, é preciso vincular o problema a algum destes sentimentos.

Qualquer terapia manual precisa ter uma base de conhecimento, e a acupuntura não é diferente ao vincular elementos naturais com sentimentos e elementos físicos.

No caso da ansiedade, a acupuntura identifica como um problema de água e fogo. 

O excesso de medo, representado pela água, acaba apagando a possibilidade de ação do coração, o que gera o sentimento de ansiedade.

Para um tratamento adequado, o ideal é tonificar os rins e harmonizar o coração, para que os elementos se estabilizem e você consiga lidar com a situação de forma satisfatória. 

Quanto mais equilibrado seu Qi estiver, mais você conseguirá manter sua mente tranquila.

Benefícios da Acupuntura

A acupuntura tem sido cada vez mais bem aceita e até mesmo indicada na comunidade médica, principalmente, para tratamentos de transtornos mentais. 

Esse tipo de ação é fundamental para pessoas que buscam formas menos invasivas de tratamento.

Fazer um check up geral periódico ainda é uma excelente opção para se cuidar, e identificar quais elementos você deve programar-se para fazer junto ao acupunturista.

O acompanhamento psiquiátrico e psicoterapêutico não pode ser removido, mas é possível reduzir e até mesmo eliminar a necessidade de drogas prescritas ou outras ações mais brutas para o corpo após um período de tratamento.

1. Tratamento complementar

A utilização da acupuntura como tratamento complementar tem surtido muitos efeitos positivos, tanto em casos de transtornos mentais como doenças físicas, incluindo gastrite, asma e outras alterações do corpo.

A utilização de agulhas finas nos meridianos corretos libera o fluxo de energia no corpo, fortalecendo seu sistema e combatendo uma série de doenças. 

Ela também permite que o fluxo de Qi circule mais livremente, libertando o corpo de pensamentos negativos.

Quanto mais sessões você participar, mais alinhados seus pontos estarão. Dessa forma, você começará a se sentir melhor consigo mesmo e pronto para uma mudança em sua vida.

Vale lembrar que você precisa melhorar outros aspectos de seu dia a dia para conseguir resultados efetivos. 

A visita a um nutricionista esportivo pode ser muito boa para identificar uma nova dieta que auxilie o tratamento.

2. Redução de sintomas

A realização de sessões de acupuntura a longo prazo tende a reduzir sintomas, principalmente, aqueles relacionados a crises e acessos de ansiedade e pânico. É comum que o processo reduza o nível de estresse do paciente também.

Esse tipo de ação acaba ajudando muito a diminuir os riscos mais extremos, onde o paciente chega em níveis mais preocupantes. 

O ideal é que além desta atividade você consiga realizar ações do dia a dia como exercícios físicos, melhorar sua dieta, entre outros.

Por isso, escolher trabalhar o corpo com uma aula de pilates solo, por exemplo, pode acabar ajudando ainda mais no tratamento escolhido.

Cuidar de sua saúde mental não tem uma receita pronta, e é preciso muito cuidado para conseguir se curar completamente, por isso fique atento a variações de humor e identifique sempre a seus médicos se algo não estiver funcionando.

3. Sem efeitos colaterais

Não existe nenhuma contraindicação para a acupuntura, bem como não existe nenhum efeito colateral advindo do tratamento.

Por ser um processo completamente natural, você pode realizá-lo quantas vezes desejar e pelo tempo que for necessário.

Esse tipo de processo demanda tempo e paciência por conta do paciente, uma vez que não exibe resultados imediatamente. 

Entretanto, a possibilidade de se tratar de um mal maior sem correr riscos de danos à saúde e à integridade é um excelente incentivo.

Assim, o ideal é que você mantenha-se firme no tratamento, para que os efeitos de médio e longo prazo comecem a aparecer e fazer uma real diferença em sua vida. Quanto mais você conseguir explorar esses pontos, melhor.

4. Ajuda a diminuir vícios

Muitas pessoas com quadros de transtornos mentais, especialmente relacionados à ansiedade e depressão, acabam por consumir produtos que podem ser danosos como uma forma de escapar dos sentimentos que estão sentindo.

O problema é que estes produtos podem ter um alto poder viciante, e acabar gerando mais um problema ao invés de solucionar o anterior. 

Com a acupuntura você consegue aliviar a vontade de consumir esse tipo de item.

Além de ser uma excelente forma de relaxamento, existem aplicações especiais para diminuir o uso de tabaco, álcool e entorpecentes, o que ajuda a pessoa a se livrar dos vícios e começar a viver uma vida melhor.

Quanto mais você conseguir explorar em suas sessões de acupuntura, melhor acabará se sentindo, uma vez que você estará alinhando toda a energia de seu corpo e se livrando daquilo que te faz mal.

Quem pode se tratar com acupuntura?

Um dos principais pontos dessa técnica é justamente o fato de que ela pode ser utilizada por pacientes de todas as idades, incluindo crianças e idosos. Não há problema nenhum em qualquer tipo de utilização.

Você nem mesmo precisa de uma cadeira alta para escritório para ser atendido fora de um consultório. 

Normalmente, só de poder deitar ou sentar-se você já pode começar seu tratamento em casa mesmo, acompanhado de um profissional.

A única restrição sugerida é para pessoas que apresentem problemas de coagulação, uma vez que pode haver algum tipo de sangramento no momento da aplicação das agulhas.

O tratamento também não é o mais indicado para pessoas em estágios muito avançados de doenças crônicas. Para estes casos, os tratamentos mais convencionais ainda são os mais indicados.

Logo na primeira consulta, é comum que o acupunturista faça uma entrevista com o futuro paciente, identificando uma série de dados básicos sobre seu estilo de vida, suas rotinas e costumes e o tipo de sintomas que está sentindo, sejam eles físicos ou psicológicos.

A partir desta avaliação é possível traçar um plano de tratamento que será seguido em uma periodicidade combinada entre você e o profissional. 

Aproveite este momento para tirar dúvidas e confirmar os resultados e benefícios do tratamento.

Considerações finais

A acupuntura é um tratamento que tem cada vez mais ganhado notoriedade, por sua precisão aliada a ausência de efeitos colaterais. 

Por isso, muitos pacientes têm optado por este método como um apoio aos tratamentos mais tradicionais.

Encontrar uma clínica de acupuntura boa não é uma tarefa difícil, uma vez que cada vez mais profissionais qualificados estão à disposição.

No caso de tratamentos psicológicos para ansiedade, esse tipo de ferramenta é ainda mais fundamental, uma vez que remédios podem acabar sendo muito invasivos e tratamentos alternativos podem agir de forma mais humanizada.

Estamos em um bom momento para financiar imóveis?

Com juros reduzidos, o cenário para começar um financiamento é animador em 2021.

 

A crise sanitária trouxe instabilidade financeira para o Brasil em 2020. Com a mudança de rotina causada pelas especificidades do momento, muitas pessoas se viram diante de incertezas sobre seu futuro econômico. Isso as fez pensar se seria seguro realizar um grande investimento, como financiar um carro ou imóvel.

 

Apesar dessa insegurança, o momento para a aquisição de bens, como a casa própria, vive um cenário animador desde o último ano e no começo de 2021. Os financiamentos imobiliários bateram recorde nos meses finais de 2020, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

 

Por conta disso, o ano fechou com uma alta de 40% nesse interesse. Essa elevação é justificada pela criação de linhas de créditos imobiliárias por parte das instituições financeiras, assim como a redução dos juros cobrados. O isolamento social também contribuiu para que mais pessoas procurassem por um imóvel novo, em que pudessem ficar mais confortáveis.

Juros reduzidos

A redução dos juros é um fator fundamental que colaborou para esse aumento na procura do financiamento imobiliário. As taxas de juros cobradas pelos bancos são as mais baixas da história, o que torna o financiamento ainda mais atrativo e com mais vantagens para os clientes.

 

Essa redução tem duas consequências perceptíveis: o aumento do poder de compra, permitindo que as pessoas comprem imóveis melhores pagando um valor semelhante de prestação; e a redução do risco familiar, uma vez que o valor da prestação tem uma representação menor dentro da renda mensal da família.

 

Apesar dessa redução nos juros, é preciso ficar atento às taxas de juros cobradas por cada instituição, uma vez que elas variam de um para outro. Também é necessário ressaltar que essas taxas são maiores que a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic.

 

Quem faz esse alerta é Alberto Mattos de Souza, membro da Comissão de Negócios Imobiliários do Instituto Brasileiro de Direito Imobiliário (Ibradim). Ele explica que esse quadro mudou nos últimos anos, com os dois tipos de taxas invertendo de posição.

 

Para exemplificar, ele aponta que, em 2016, a taxa do financiamento era de cerca de 10,5% mais a Taxa Referencial (TR), enquanto a Selic terminou o ano com 13,75%. Em 2021, a modalidade do empréstimo com juros mais TR é de cerca de 7%, na média, enquanto a Selic se encontra em 2%.

 

Souza lembra que é preciso avaliar uma série de fatores antes de tomar a decisão pelo financiamento. A pessoa precisa se assegurar de que tem condições para pagar as parcelas do empréstimo, a fim de não assumir dívidas.

 

Outro conselho dado por ele é que a pessoa quite o financiamento o quanto antes, caso tenha condições para isso. Essa recomendação é a oposta ao que aconteceria no passado, quando era mais vantajoso aplicar o dinheiro em renda fixa.

Critérios para avaliação

Entre os principais critérios para avaliar se vale a pena iniciar um investimento, dois precisam estar no topo da sua lista. Um deles é o custo do financiamento e o quanto ele representa da sua renda mensal. A recomendação dos especialistas da área é que esse valor não ultrapasse 30% do que você ganha.

 

Outro fator é a comparação entre o aluguel e o financiamento. Normalmente, o valor de locação é em torno de 0,5% do valor total do imóvel. Assim, ao pesquisar sobre opções desejáveis, você pode checar o valor de mercado dele por essa métrica. Outra comparação importante é o valor da prestação com o pago pelo aluguel.

 

O fim que você tem em mente para o imóvel também pesa. Quem está comprando a primeira casa própria deve priorizar aspectos como localização, comércio local, acesso ao transporte público e proximidade com os mais variados serviços, como escolas.

 

Já quem pretende comprar um imóvel como um investimento, para ser uma renda complementar, deve avaliar outros aspectos, como a possibilidade de valorização no futuro. De qualquer forma, os critérios de escolha não são os mesmos nos dois casos.

5 dicas para decorar o escritório

Organização e iluminação do ambiente são alguns dos aspectos que precisam ser considerados.

 

Home office ou escritório corporativo, é importante que seja criado um ambiente apropriado para trabalhar. Ele deve ser confortável e sem incômodos, permitindo que o trabalhador não tenha sua produtividade prejudicada.

 

É preciso pensar em decorar o escritório para que ele seja um local elegante e aconchegante, que proporcione bem-estar aos seus usuários. Conheça algumas dicas valiosas de como decorar esse cômodo, corporativos ou residenciais.

Organização

A organização é um dos pontos-chave na decoração de um escritório. Ter um espaço próprio para cada objeto que o compõe é importante para não criar um ambiente desordenado. Além disso, quanto mais organizado, menos tempo se perde para encontrar o que se precisa, otimizando o tempo no trabalho.

 

Portanto, você pode escolher mesas que tenham gavetas, além de colocar estantes e prateleiras nas paredes. Outra boa solução é decorá-lo com caixas organizadoras, onde os funcionários podem guardar papéis e outros objetos, identificando cada caixa com etiquetas que facilitem a identificação.

Influência das cores

Um dos aspectos que precisam ser considerados é a cor dos objetos que fazem parte de um escritório, uma vez que elas têm certa influência sobre as pessoas. As cores mais fortes, por exemplo, ajudam no estímulo de ideias das pessoas, o que pode ser ótimo para escritórios de áreas como arquitetura, publicidade e design.

 

Por outro lado, se você planeja montar um escritório que seja mais calmo e sereno, o ideal é escolher cores mais claras. Esse tipo de decoração é uma boa indicação para escritórios de administração e advocacia. Essa dica também serve para aqueles que querem decorar um escritório em casa, de acordo com suas necessidades.

Cadeiras confortáveis e ergonômicas

Independentemente de você estar decorando um escritório em casa ou fora dela, é fundamental que você garanta que as cadeiras sejam confortáveis e ergonômicas. As pessoas passam a maior parte do tempo de trabalho sentadas nelas, portanto, é importante zelar por seu bem-estar e produtividade.

 

Por isso, antes de fazer a escolha, leve em consideração alguns critérios. As cadeiras dos trabalhadores devem ser preferencialmente giratórias, permitindo que eles tenham liberdade para se movimentar. A regulagem de altura também é fundamental, pois permite que cada pessoa possa posicionar a cadeira na melhor posição.

 

Também é desejável que a cadeira tenha um apoio para a cabeça e para os braços, além de ser inclinável. O encosto também deve ser agradável e ergonômico, para não prejudicar a postura.

 

Feita essa avaliação, você pode procurar por modelos que combinem com o restante da decoração. Por exemplo: optar por uma cadeira que tenha os pés no mesmo tom da mesa do seu escritório.

Espaço de convivência

O escritório corporativo não se resume ao espaço em que os funcionários trabalham. Você precisa pensar em criar um espaço de convivência agradável, no qual as pessoas possam conversar, trocar ideias e se sentir relaxadas.

 

Esses espaços ajudam a dar um toque de modernidade ao empreendimento. Além de prezar pelo bem-estar dos trabalhadores, é um local que propicia o surgimento de novas ideias e insights. Para isso, você pode investir na decoração com sofás e puffs coloridos, além de pensar em uma pintura de parede que seja distinta do escritório.

Iluminação

A iluminação é um aspecto muito importante em um escritório. Não é ideal que a pessoa trabalhe em um ambiente com pouca luz, onde deva forçar a vista para conseguir exercer suas atividades.

 

Assim, a recomendação é que você não poupe esforços para deixar o escritório bem iluminado. Posicionar mesas de trabalho próximas das janelas é uma das dicas, uma vez que, quanto mais iluminação natural, melhor. Caso você esteja construindo um escritório, opte por janelas grandes, que permitam a entrada de bastante luz.

 

Outra solução, principalmente para escritórios domésticos, é comprar uma luminária para a sua mesa de trabalho, já que ela permite que você tenha outro ponto de luz no cômodo. Nesse caso, vale a pena escolher uma que combine com a sua personalidade.

Como exercícios físicos podem te ajudar no seu período menstrual

Atividades físicas contribuem positivamente para o alívio das tensões menstruais.

Ainda que não possuam nenhuma doença ginecológica, a maioria das mulheres enfrenta diversos tipos de dores durante a menstruação. Para aliviar esses sintomas, a maior parte das mulheres faz uso de medicamentos.

No entanto, o que muitos não sabem é que a prática regular de atividades físicas pode proporcionar uma melhora significativa nos sintomas e na qualidade de vida de quem sofre todo mês com essas dores. Isso porque os exercícios trazem diversas vantagens para o organismo, que vão desde o aumento na taxa metabólica até a produção de hormônios benéficos para o corpo.

Portanto, mesmo com as dores, o mau humor e o desânimo típicos da TPM, vale a pena fazer um esforço físico extra para se sentir melhor.

Pesquisas apontam melhora nos sintomas

Diversos estudos científicos concluíram que a prática de atividades físicas ajuda a amenizar os sintomas do período menstrual. O principal deles, feito pela Universidade Politécnica de Hong Kong, na China, avaliou o efeito dos exercícios físicos em diversos campos afetados pelo ciclo menstrual.

No total, 70 mulheres — de 18 a 43 anos — com dores menstruais participaram do experimento. Elas foram divididas em dois grupos: o primeiro continuou vivendo normalmente, fazendo uso de analgésicos, e o segundo fez treinamento aeróbico em uma esteira elétrica 3 vezes por semana, durante 1 mês.

Depois desse período, os grupos foram orientados a seguir a mesma rotina em casa. Os exercícios eram praticados a partir do último dia do ciclo menstrual até o primeiro dia de menstruação.


Veja também : Como saber se estou grávida : veja os primeiros sintomas


Após 7 meses, as voluntárias foram questionadas a respeito das dores menstruais e o resultado foi o seguinte: o grupo que treinou afirmou sentir 20% menos dor em comparação ao grupo que somente fez uso de analgésicos. Além disso, quem praticou exercícios também relatou uma melhoria em relação à qualidade de vida e produtividade.

Mas, afinal, por que o exercício físico ajuda no período menstrual?

Dentre todos os benefícios gerados pela prática de exercícios durante o período menstrual, podemos destacar o aumento na taxa metabólica e a melhora na circulação sanguínea, que potencializa o transporte de oxigênio e de nutrientes essenciais para as funções vitais do organismo.

Além disso, outro fator que também pode explicar o alívio dos sintomas é a liberação de hormônios proporcionados pela prática de atividades físicas. Especialmente a endorfina, que está diretamente ligada às sensações de prazer e bem-estar.

Cólicas

A cólica é, certamente, a maior inimiga das mulheres durante o período menstrual. Quando ela ataca, a última vontade que surge é a de praticar exercícios. Entretanto, é importante saber que as atividades físicas, sobretudo os exercícios direcionados à região pélvica, geram um grande alívio para essas dores abdominais.

Um bom exemplo de exercício é deitar em um colchonete, apoiar os pés em uma bola ou estepe e elevar o quadril tirando o bumbum do chão, mas mantendo as costas apoiadas.

Embora não pareça, esse movimento ajuda a amenizar as cólicas e, junto a analgésicos, pode até fazer com que elas desapareçam efetivamente.

Mau humor, ansiedade e compulsão por doces

Ansiedade e alterações no humor também são bastante comuns durante o período menstrual e, felizmente, há atividades físicas que relaxam o corpo e a mente — como ioga, alongamento, técnicas de meditação e respiração —, contribuindo para amenizá-las.

No entanto, se o objetivo for diminuir a compulsão por doces, que é bastante comum durante o ciclo menstrual, o melhor a se fazer é investir em atividades aeróbicas, pois, além de impulsionarem a produção de endorfina, diminuem o cortisol — hormônio relacionado ao estresse, que pode aumentar o desejo por doces.

Centro-Oeste: o que conhecer?

Maravilhas naturais são alguns dos principais atrativos das cidades da região.

 

Muitas pessoas podem não ter essa impressão, mas o Centro-Oeste brasileiro é um ótimo destino turístico para quem planeja viajar pelo Brasil. Lar de incríveis maravilhas naturais, ele é a escolha certeira para quem procura fazer ecoturismo e se conectar com a natureza.

 

Outra vantagem é que, em relação a outras cidades turísticas do país, algumas das opções da região são exemplos de destinos baratos no Brasil. Assim, o visitante gasta menos e ainda consegue fazer uma viagem incrível. Neste texto, saiba quais são os principais destinos para visitar no Centro-Oeste.

Bonito (MS)

Se você quer se conectar com a natureza, precisa visitar a cidade sul-mato-grossense de Bonito. O município é uma das principais referências em ecoturismo no país, convidando turistas a realizarem trilhas que levam até piscinas naturais e rios. O passeio ainda permite que o visitante tome banho de cachoeira e possa se aventurar pelas corredeiras da região.

 

A prática de esportes radicais também é uma possibilidade, já que o turista pode fazer rapel ou andar de tirolesa. Um dos passeios mais recomendados é a exploração do Abismo Anhumas por meio de mergulho, permitindo que você conheça um lugar incrível.

 

Inclusive, os interessados em conhecer grutas têm muito a explorar na região. Uma das melhores indicações é a gruta do Lago Azul, uma das maiores cavidades inundadas do planeta.

Caldas Novas (GO)

A cidade goiana de Caldas Novas é conhecida no mundo todo pelas águas termais, portanto não poderia ficar de fora dessa lista. Como ela está localizada sobre o maior manancial hidrotermal do mundo, conta com piscinas de águas quentes, que variam entre 43º e 70º C. Assim, relaxar e descansar fica mais fácil para qualquer turista.

 

Os parques aquáticos da cidade também são um grande atrativo, garantindo a diversão com tobogãs, brinquedos e piscinas de variados tipos. Ao redor, ainda é possível praticar esportes radicais, como andar de jet ski e fazer canoagem.

 

O Parque Estadual da Serra de Caldas Novas é outra atração imperdível para quem procura se conectar com a natureza. Ele tem trilhas e cachoeiras, além de bonitos cenários naturais que irão encantar qualquer pessoa.

 

Cáceres (MT)

Você tem vontade de conhecer o Pantanal brasileiro? Então, o destino que você procura é a cidade mato-grossense de Cáceres. Localizada na fronteira com a Bolívia, ela atrai turistas pela natureza e pela prática de pesca esportiva.

 

O município fica às margens do Rio Paraguai, que serve de ponto de partida para navegar pelo Pantanal, conhecendo um pouco mais da fauna e da flora. Outro passeio recomendado é uma visita até Dolina Água Milagrosa, uma lagoa formada por água cristalina, localizada em uma gruta de 200 metros de altura.

 

Para conhecer mais da história do lugar, vale visitar a Catedral de São Luiz e o Marco de Jauru, localizados no centro da cidade.

Brasília (DF)

A capital nacional é um dos destinos que você precisa conhecer na região Centro-Oeste. A construção planejada, aliada às icônicas obras imaginadas pelo arquiteto Oscar Niemeyer, são alguns dos principais atrativos da cidade.

 

Entre essas construções, você não pode deixar de conhecer a Esplanada dos Ministérios e a Catedral Metropolitana. Se você quer um cantinho para relaxar, vale visitar a orla do Lago Paranoá, assim como o Parque da Cidade Sarah Kubitschek. Uma ida até a Ermida Dom Bosco garante a visão de um dos mais belos pôr do sol da capital.

 

Outros bons passeios incluem uma visita à Biblioteca Nacional e à Torre de TV de Brasília, que permite uma visão deslumbrante da capital em 360º. Para conhecer mais da história da cidade, separe tempo para conhecer o Memorial JK, que inclui uma estátua do casal Kubitschek.

Como investir no mercado de imóveis

Aproveitando que o mercado imobiliário está valorizado no início de 2021, é possível investir nesse setor e obter bons resultados.

 

O investimento no mercado imobiliário é um dos mais buscados em tempos de crise econômica. Isso porque os imóveis são considerados ativos seguros, com pouca variação de preço nesses períodos.

 

Se você está em busca de investimentos com rendimento maior que os atuais, talvez o mercado de imóveis seja a pedida ideal para ver a rentabilidade aumentar em 2021.

Recuperação do setor entre 2016 e 2019

Depois de um início de década em crise econômica, principalmente em 2013 e 2015, o mercado imobiliário começou a ensaiar uma recuperação em 2016. Esse crescimento atingiu o auge em 2019, quando o setor registrou um aumento de 1,6%, segundo dados da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção).

 

O crescimento em 2019 foi impulsionado por alguns fatores importantes, como a queda nos juros para financiamentos imobiliários. A Caixa Econômica Federal, que detém mais de 60% de participação no mercado de financiamentos, diminuiu suas taxas para até 7,5% ao ano.

 

Juros tão baixos eram inéditos na década, já que, sobretudo nos anos de crise, o setor sempre manteve as taxas acima dos dois dígitos. Com essa queda, a Caixa registrou um aumento de 3,6% em sua carteira de crédito habitacional, o que mostra que o consumidor voltou a investir em imóveis.

 

Mesmo que a passos lentos, o crescimento do setor imobiliário fez com que o PIB da construção civil aumentasse 0,3% em 2019, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), depois de 5 anos seguidos de queda.

Expectativa alta para 2020 acabou não se confirmando

Os números de 2019 elevaram a expectativa do setor para 2020, porém isso acabou não se confirmando como os investidores gostariam. O ano passado foi bem atípico por conta de todos os problemas que aconteceram globalmente, e isso fez o setor registrar queda nos resultados já no primeiro trimestre.

 

O que manteve o setor de pé foi a construção civil. Mesmo com pouca demanda e desempenho fraco nas vendas, as obras não pararam, dando um tempo para as construtoras trabalharem as estratégias com mais calma ao decorrer do ano.

 

O governo também ajudou a esquentar o setor com novos cortes na Selic, definindo a taxa em 2% ao ano. Isso fez com que o setor voltasse a crescer lentamente a partir de julho. Os resultados não foram os esperados, mas atingiram cerca de 85%, mesmo com um contexto desfavorável.

2021 é um ano bom para investir em imóveis

O ano de 2021 chega com boas expectativas de um mercado imobiliário aquecido e imóveis mais valorizados. A tendência é que haja uma migração de investimentos vindos da renda variável para o setor, feitos por quem busca segurança.

 

Como os imóveis não se desvalorizam pela inflação, 2021 é o ano de materializar os investimentos ao apostar no setor, ou seja, investir na compra de imóveis é uma alternativa excelente para lidar com a crise.

 

A tendência para o setor é que 2021 se caracterize como um ano de muita demanda com o aumento da busca por imóveis, e isso tende a valorizá-los. A dica é apostar na compra de imóveis para usá-los como ativos e participar de fundos imobiliários com uma gestão que foque na diversificação do portfólio.

 

Com mais facilidade de crédito, imóveis financiados podem ser usados para aluguel e devem valorizar bastante este ano. Prédios comerciais também são ativos estratégicos, já que, com o fechamento de muitas empresas em 2020, vários novos negócios devem surgir em 2021,alugando salas nesses espaços.

 

O investimento em imóveis deve ficar em alta durante 2021. Talvez, neste ano, as expectativas de 2020 confirmem-se. De qualquer forma, a segurança desse tipo de investimento tende a atrair investidores de diversos perfis.

A história do ar-condicionado

Saiba como este aparelho foi criado, tornando-se um dos queridinhos dos brasileiros.

 

Ele divide opiniões: tem gente que não vive sem, enquanto outros reclamam cada vez que ele é ligado. Trata-se do aparelho de ar-condicionado, eletrônico que deixou de marcar presença apenas no ambiente corporativo, indo parar nos lares de muitos brasileiros.

 

O ar-condicionado moderno conta com diversos recursos bacanas para poupar energia, como um termostato inteligente, que desliga o aparelho ao atingir certa temperatura, além de filtros tratados com substâncias antibactericidas, a fim de evitar a propagação de micro-organismos nocivos para a saúde.

 

No entanto, você sabe como esse aparelho surgiu? Confira um pouco da história do ar-condicionado a seguir.

Controle do clima

O aparelho de ar-condicionado foi inventado pelo engenheiro norte-americano Willis Carrier, em 1902, nos Estados Unidos. Aos 25 anos, Carrier desenvolveu uma forma de retirar a umidade do ar por meio de dutos resfriados para resolver o controle do clima em empresas de Nova Iorque.

 

O nome surgiu quatro anos depois, quando outro norte-americano, Stuart Cramer, desenvolveu um modelo de equipamento para climatizar sua fábrica de tecidos.

Popularização

No início, os consumidores e os inventores não entendiam bem como explorar o potencial dos equipamentos de climatização. O primeiro ar-condicionado foi instalado em uma residência em 1914, em uma mansão de Minneapolis. Foi na mesma época que os hospitais começaram a demandar aparelhos para manter a estabilidade climática em suas instalações.

 

A partir da década de 1920, locais de atendimento ao público passaram a climatizar os ambientes e, dessa forma, viram o movimento da clientela aumentar. O Grauman’s Metropolitan Theatre, de Los Angeles, era um desses estabelecimentos.

Nos dias quentes de verão, o cinema esvaziava e precisava fechar as salas. Ao instalar o aparelho de ar-condicionado, conseguiu o efeito inverso: salas lotadas e fila de clientes ávidos por provar o ar gelado do equipamento eletrônico.

 

Curiosamente, os primeiros modelos de ar-condicionado usavam gases altamente tóxicos e inflamáveis para refrigerar o ambiente. Amônia, propano e clorometano estavam entre eles! Pouco a pouco, o aparelho começou a conquistar cada vez mais espaço entre os americanos, chegando ao Senado, à Casa Branca e até aos vagões de trem.

Uso residencial

As versões domésticas do aparelho de ar-condicionado apareceram a partir da década de 1950. Em 1957, ganharam compressor rotativo. Dessa forma, tornaram-se menores e mais silenciosas que suas versões anteriores. Com a popularização, o custo do equipamento também baixou, e os gases tóxicos foram substituídos por Freon-12, um fluido refrigerante.

Carros e meio ambiente

Você já parou para imaginar como era enfrentar o trânsito pesado num dia de verão sem ar-condicionado? Pois, saiba que, antes da década de 1980, era assim. Foi só a partir daí que os veículos ganharam esse recurso tão indispensável — considerado um luxo!

 

Já presente em praticamente todos os ambientes corporativos, a indústria do ar-condicionado se viu diante de um impasse na década seguinte. O Freon-12 estava destruindo a camada de ozônio e passou a ser atacado pelos ambientalistas. Então, foi preciso repensar a tecnologia para um menor impacto no meio ambiente.

Split

A virada do século trouxe inovações em design e potência: o modelo split chegava ao mercado. Ele permitia a otimização do uso do espaço, uma vez que as unidades internas e externas ocupam áreas diferentes.

 

A tecnologia inteligente de desligar ao constatar que o ambiente atingiu a temperatura desejada promoveu economia, fazendo com que o aparelho passasse a pesar menos no bolso.

 

Dessa forma, o ar-condicionado conquistou cada vez mais adeptos, seja em casa ou no trabalho. Ele ainda gera embate quanto à temperatura ideal, mas, sem dúvidas, é um aliado no combate ao calorão do verão.

Saiba que bolsa usar em diferentes ocasiões

Conheça o modelo ideal para situações diversas.

 

Um dos acessórios queridinhos das mulheres é a bolsa. Existem modelos com tecidos, formatos e estampas diferentes que dão um toque mais que especial a qualquer look. O que gera muita dúvida é quanto ao modelo mais indicado para cada ocasião.

 

A clássica bolsa de mão, por exemplo, é uma boa opção para quem trabalha fora de casa e precisa carregar alguns itens básicos, como carteira, chaves, celular e agenda. Já em situações como cinema  ou um barzinho à noite, modelos mais compactos são mais interessantes.

 

Para facilitar a sua escolha, separamos os tipos de bolsas mais indicadas para cada momento, considerando as necessidades e o ambiente onde você estará.

Para o trabalho

Quem trabalha fora de casa sabe bem a falta que um simples objeto pode fazer. Justamente por isso é muito importante ter uma bolsa com espaço suficiente para carregar itens como agenda, batom, absorvente, escova de dente e álcool em gel.

 

Modelos com compartimentos bem divididos, a exemplo das bolsas baú e das bolsas estruturadas são os mais indicados para usar na rotina de trabalho. Para quem não leva tanta coisa, uma opção é a bolsa de mão. Para esses tipos de bolsa, opte sempre por materiais resistentes, como couro.

Para o dia a dia

Há pessoas que não têm o costume de sair na rua todos os dias, mas quando o faz acaba realizando diferentes tarefas de uma só vez. O mais indicado, portanto, é procurar por modelos que sejam um pouco mais leves e com espaço suficiente para levar até um guarda-chuva, caso esteja ameaçando chover.

 

As bolsas transversais e em formato de saco são excelentes para serem usadas no dia a dia porque oferecem praticidade sem pesar no ombro. Vale a pena optar por modelos lisos e com cores mais neutras, permitindo uma combinação variada com o seu visual.

Para sair à noite

Para a noite, os modelos mais indicados são os menores. Isso porque você vai precisar levar consigo uma quantidade consideravelmente menor de objetos. Cartão, documento, batom, celular e chaves de casa, provavelmente, serão os poucos itens necessários, seja para ir a uma balada, encontrar com as amigas em um barzinho ou ir ao cinema.

 

As bolsas em formato de carteira são um exemplo muito útil para uma saída à noite, exatamente por ser mais compacta. Modelos de bolsas transversais pequenas também são bem vindos, principalmente as redondinhas, que dão um toque extra de feminilidade a qualquer visual.

Para casamentos e festas

Para situações formais, é preciso investir em um tipo de bolsa que esteja à altura da ocasião. Nesse caso, as clutches são um ótimo exemplo, já que conseguem unir praticidade (lembrando que não precisará levar muitos objetos além de celular e chaves) e beleza em um único produto.

 

A ideia é criar uma composição que seja harmônica. Logo, se o vestido for muito brilhante, invista em uma clutch mais neutra. Caso contrário, capriche no glamour. As bolsas em formato de carteira também podem ser usadas, desde que feitas de um material mais sofisticado.

Para faculdade/escola

Para quem vive carregando livros, cadernos e agenda a mochila é uma peça essencial. Isso porque elas conseguem suportar uma quantidade maior de objetos, mantendo o peso dividido entre os dois ombros, não sobrecarregando apenas um.

 

É preciso tomar cuidado com o excesso de peso, que pode gerar dores nas costas e até mesmo problemas sérios de coluna. Para ter uma mochila que dure mais tempo, prefira modelos com alças acolchoadas e material resistente. Atente-se, ainda, à qualidade do zíper.

30% do e-commerce criado durante a crise sanitária permanecerá

Negócios podem desfrutar dos rendimentos obtidos, mas devem se atualizar com relação à concorrência.

 

Com crescimento de 47% apenas no primeiro semestre de 2020 (Ebit | Nielsen 2020), as lojas virtuais podem esperar estabilidade nos números durante os próximos meses. Quem chegou na internet com novos domínios e soube acompanhar o ritmo frenético de vendas, tem a chance de aproveitar os frutos do trabalho daqui para frente.

 

As empresas que ainda não tinham um site bem estruturado tiveram que correr contra o tempo, mas puderam contar com serviços que facilitaram bastante o processo. Um exemplo é o Hostgator, plataforma na qual é possível registrar o domínio e hospedar o seu site de forma bem descomplicada.

Das ruas para o digital: adaptação do comércio em tempo recorde

Era esperado que o comércio online sofresse um aumento exponencial nos próximos anos. Porém, com a chegada da crise sanitária, as perspectivas ficaram esfumadas. Empresas que já tinham forte presença digital se fortaleceram ainda mais, ao passo que quem estava por fora teve que se esforçar para acompanhar o ritmo.

 

Hoje, definitivamente, se sua empresa não possui um site, ela não existe. Graças a diversos serviços de hospedagem, criar um site ficou bem mais fácil.

O caminho para estabelecer um negócio online

Assim como as lojas físicas, os e-commerces precisam de um nome forte, que os diferencie da concorrência e seja de fácil memorização para os clientes. Na internet, podemos dizer que o domínio do site exerce esse papel.

 

Com diversos negócios online vendendo o mesmo produto ou serviço que o seu, a criação de um domínio objetivo e criativo é essencial para que ele atraia a atenção dos seus potenciais consumidores.

 

Assim como registrar um bom domínio corretamente e hospedar o site de forma segura,  escolher uma plataforma adequada ao seu perfil de negócio pode favorecer a sua entrada no mundo digital.

 

Sites como o Hostgator permitem que você realize cada uma dessas etapas de forma simplificada, além de oferecer preços bastante vantajosos. Isso vale para quem está começando e para quem está no ramo há mais tempo.

E-commerce: presente, passado e futuro

Até a metade da primeira década dos anos 2000 as compras online eram vistas com desconfiança e quase exclusivamente para compras internacionais, além de predominar apenas entre jovens. Hoje o cenário é bem diferente.

 

Pela popularização de sites de compras internacionais a preços possíveis e pelo aumento no uso de dispositivos móveis, como tablets e celulares, as compras online cresceram muito no Brasil. Nos últimos anos, o fenômeno da Black Friday atraiu ainda mais compradores para os sites varejistas, movimentando principalmente o setor de tecnologia e eletrônicos.

 

Em 2020, as vendas pela internet despontaram em quase o dobro do total de vendas realizadas online no ano anterior. O crescimento já era esperado, mas foi acelerado pelo contexto mundial de fechamento de lojas, shoppings e centros comerciais em geral.

 

Para 2021, a projeção do Global Outlook (Mastercard) é de que cerca de 30% das lojas virtuais que obtiveram sucesso durante o período continuem desfrutando da confiança dos consumidores.

Próximos passos

Se você foi um dos que investiu em um e-commerce do zero, criando um novo domínio, aplicando boas estratégias de marketing digital (como SEO) e, além disso, soube atingir seu público de forma positiva, saiba que o trabalho não acaba aqui.

Uma das grandes tendências para este ano é o mobile. Isso significa que os sites já existentes devem se adaptar cada vez mais aos dispositivos móveis, oferecendo experiências confortáveis e simples para seus usuários. Os aplicativos também seguem em alta, permitindo a compra em poucos cliques e de qualquer lugar.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

9 benefícios dos Coworkings para o bem-estar e o bem profissional

Os escritórios de coworking oferecem uma grande variedade de vantagens para quem começa sozinho, incluindo oportunidades …

Atendimento fisioterapêutico online: como realizá-lo da melhor forma

Existem diversas maneiras de conseguir aprimorar um negócio e graças às evoluções tecnológicas umas das áreas que …

Software de gestão: como pode auxiliar na organização de sua clínica

Vivemos a época da conexão 5G, da Internet das Coisas e dos smartphones, que podem trazer praticamente o mundo todo nas …