Blog

Dezenas de artigos. Melhore seu estilo de vida agora!

Ventosaterapia: entenda este conceito

Popular entre os centros de estética, a ventosaterapia é um procedimento que promete redução do estresse, regeneração muscular mais rápida e liberação de toxinas por seu estímulo à circulação sanguínea em determinados locais. 

 

O sangue é o principal fluído do organismo, responsável pelo transporte de oxigênio, nutrientes, células do sistema imunológico e água, irrigando órgãos e tecidos de músculos, ossos e pele, guiando substâncias até seus postos de uso e descarte. 

 

A ventosaterapia parte deste princípio e sua teoria implica o estímulo da circulação sanguínea em determinadas áreas como um método natural de restauração das suas condições originais, solucionando problemas sem a administração de medicamentos. 

 

Usar a circulação sanguínea como uma forma de minimizar danos em tecidos é uma prática antiga, empregada no tratamento de infecções simples, como faringites. Os gargarejos com água morna, por exemplo, servem para estimular o fluxo na região. 

 

Componentes químicos voltados para melhorar a distribuição de fluxo sanguíneo são desenvolvidos em uma farmácia de manipulação, demonstrando a presença de práticas semelhantes nas áreas mais conceituadas da medicina contemporânea.

 

Um fluxo mais intenso é um mecanismo natural do corpo, devido a sua capacidade de transportar células de defesa e concentrar calor nos locais mais importantes. Para o desgaste de tecidos causado por exercício intenso ou traumas, seu efeito é relaxante. 

 

A prática de ventosaterapia é apontada como um modo eficiente de melhorar o aspecto da pele, reduzindo os quadros de desidratação para pele seca e o potencial de formação de novas estrias ou marcas de celulite. 

 

Adotada por atletas e indivíduos que desejam uma melhor qualidade de vida, o funcionamento desta prática ainda é um mistério para muitos, sendo por vezes alvo de resistência, devido às manchas temporárias posteriores a uma sessão. 

Funções e funcionamento da ventosaterapia

A ventosaterapia é realizada com a aplicação de copos específicos, voltados para a produção de vácuos que permitem a sucção da pele. Desta forma, o fluxo sanguíneo na região é estimulado pelo estiramento dos tecidos musculares. 

 

O processo de liberação dos tecidos musculares, através da pressão exercida pela ventosa, estimula a absorção de oxigênio pelas células do sangue, nutrindo a região o suficiente para reduzir dores e nós causados pela tensão muscular. 

 

Um dos aspectos mais característicos da ventosaterapia são as marcas deixadas após a manipulação da técnica, usualmente aplicada sobre as costas do paciente. As cores são temporárias, e variam entre o amarelo e o vermelho. 

 

Isso indica sintomas no estado da pele, como o nível de oxigenação e o acúmulo de substâncias tóxicas na superfície cutânea. A aplicação constante da prática reduz, gradativamente, a coloração das manchas.

 

O exercício da terapia promete uma pele mais limpa, saudável e um fluxo melhor de nutrientes nas fibras musculares, reduzindo o estresse e aumentando o rendimento físico do paciente em suas tarefas diárias. As principais cores e seus respectivos diagnósticos, são: 

1 – Estase sanguínea moderada

Sinalizada por uma marca vermelha de intensidade média, a mais comum nas sessões de ventosaterapia oferecidas em um cartão de visita fisioterapia. Para compreender o conceito de estase, é necessário destinar um olhar para a medicina oriental. 

 

A ventosaterapia, junto a outras práticas, como a acupuntura, visualiza a atividade do corpo sob o conceito de energia vital, que deve ser proporcionalmente distribuída por todo o organismo, de modo a gerar equilíbrio. 

 

A energia vital pode ser definida como designar a força gerada pelos pensamentos e hábitos, e a maneira como estes afetam o comportamento fisiológico do corpo. É uma visão que trata a mente e os demais órgãos como uma coisa só. 

 

Na contramão da abordagem tradicional ocidental, a medicina oriental dá ênfase aos efeitos psicossomáticos de maus hábitos, como a mastigação incorreta. 

 

Na ventosaterapia, o conceito é aplicado na definição de estase, que é uma concentração anormal de energia vital, sinalizada pela intensidade de fluxo sanguíneo em uma área específica. 

 

Enquanto a leitura oriental considera o fenômeno uma patologia, a leitura ocidental visualiza a estase como um sintoma de algo. 

 

O fluxo exagerado de sangue, identificado por um profissional em sapato para enfermagem, pode simbolizar muitas condições que são ou podem evoluir para patologias, ou mesmo sinalizar comportamentos pouco recomendados para a saúde, como: 

 

  • Quadros de infecção (fluxo direcionado para combater o patógeno); 
  • Alterações estruturais na área; 
  • Maus hábitos alimentares e de sono; 
  • Ferimentos subcutâneos. 

 

Os copos usados na prática são de vidro e possuem um formato específico para sucção da pele. A realização de várias sessões de ventosaterapia reduz, aos poucos, a intensidade da marca, até o ponto de um amarelo médio, sinal de circulação saudável. 

2 – Estase sanguínea grave

A estase sanguínea grave é indicada por uma mancha vermelha profunda, possivelmente apresentando inchaço, no local onde foi aplicada a ventosa. Refere-se a uma condição grave de anomalia no fluxo sanguíneo. 

 

A estase sanguínea grave indica a estagnação de volume sanguíneo em determinada região, uma condição que pode indicar problemas ligados à trombose e até insuficiência cardíaca, além de lançar luz sobre os mecanismos de coagulação. 

 

Os distúrbios hemodinâmicos são um campo de estudo rico na medicina ocidental, voltados ao estudo das causas e consequências do desequilíbrio na velocidade do fluxo sanguíneo. Um dos pontos de análise é a coagulação. 

 

O desequilíbrio no fluxo sanguíneo causado pela má coagulação pode gerar problemas distintos, por causas distintas, relacionados à falta ou coagulação excessiva. Problemas hormonais, genéticos, alimentares e determinadas infecções podem desencadear isso. 

 

A coagulação, quando o número de plaquetas no sangue está além do recomendado, exerce uma pressão nos vasos e artérias como um cilindro de argônio, aumentando sua concentração em determinados locais. 

3 – Manchas puntiformes

As manchas puntiformes são marcas protuberantes, de tom escuro, espaçadas e arredondadas, de tamanho pequeno, na região onde foi aplicada a ventosa. Trata-se de uma reação associada a problemas na oxigenação do sangue. 

 

O sangue pode ser considerado em dois tipos: venoso e arterial. O processo de respiração passa pela absorção de oxigênio, um combustível importante para a realização de atividades celulares e a eliminação do dióxido de carbono, um componente tóxico. 

 

O sangue com altas concentrações de carbono é considerado venoso, o que é naturalmente revertido pela limpeza efetuada pelos pulmões durante a irrigação cardíaca. Quando a concentração de oxigênio se eleva, o sangue torna-se arterial. 

 

Distúrbios hemodinâmicos podem prejudicar o processo de limpeza sanguínea, tornando o fluxo cardiovascular rico em carbono. A presença excessiva de sangue venoso em uma região submetida à ventosaterapia provoca o aparecimento de manchas puntiformes. 

 

Assim, além de suas habilidades terapêuticas, a ventosaterapia é valiosa na identificação de sintomas que podem apontar para diagnósticos mais graves, como um relógio comparador milesimal.

 

Outros sinais na pele dignos de nota, são bolhas na pele, manchas azuis ou roxas e palidez. É válido salientar que a aplicação da ventosa dura entre cinco e dez minutos, sendo pouco recomendado a ultrapassagem desse período. 

 

Por essa razão é que a terapia deve ser manipulada por um profissional qualificado. As ventosas, se aplicadas na pele em demasia ou sob contraindicações, podem gerar lesões na camada mais profunda da pele, como fissuras geradas pela sucção. 

 

Além disso, os profissionais e clínicas habilitadas dispõem de um sistema de segurança que garante a higiene do espaço, dos objetos usados e a prevenção contra contaminação por contato, com uso de touca cirúrgica feminina pelo terapeuta responsável. 

Benefícios da ventosaterapia

A ventosaterapia é uma prática alternativa muito buscada por sua promessa de inúmeros benefícios para a saúde, desde a sinalização de problemas, o relaxamento muscular até a minimização do efeito de determinados quadros clínicos. Alguns de seus benefícios, são: 

Controle da corrente sanguínea

Como demonstrado, a ventosaterapia apresenta a capacidade de controlar o fluxo sanguíneo, identificar distúrbios hemodinâmicos e tratá-los. Para certos grupos, serviços de hospedagem para idoso podem disponibilizar locais para a técnica. 

Redução de dores de cabeça

As consequências da melhoria no fluxo sanguíneo podem reduzir drasticamente quadros de cefaléia, como muitos dos casos de enxaqueca. A ventosaterapia promove bem-estar físico e mental, eliminando condições de risco para crises. 

Melhoria no processo de digestão

A ventosaterapia estimula o fluxo sanguíneo para a região central do corpo, provocando uma maior irrigação dos órgãos do sistema digestivo. 

 

Seus efeitos são a melhoria na digestão de alimentos e diminuição de reações adversas durante as refeições. 

Relaxamento muscular

O relaxamento muscular é um dos principais benefícios buscados por muitos pacientes da ventosaterapia. Atletas, indivíduos que atuam em áreas de alto esforço físico, ou pessoas com fraca musculatura em banco para banho idoso são os mais contemplados. 

 

O relaxamento muscular reduz os níveis de estresse, melhora a qualidade do sono, estimula a regeneração de tecidos e diminui o risco de contusões provocadas por trauma.

Conclusão

A ventosaterapia faz parte de uma série de tratamentos alternativos onde o foco é trabalhar o corpo por completo. Advindos da medicina oriental, prometem a melhoria das funções do organismo com o uso de instrumentos naturais. 

 

Na contramão da medicina corretiva, repleta de intervenções agressivas e farmacológicas, ela surge como uma possibilidade de conhecer melhor o corpo, identificando sinais de problemas e estimulando uma abordagem para a prevenção. 

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 sintomas de Lombalgia: fique por dentro

Segundo a própria Organização Mundial da Saúde, a OMS, a lombalgia é uma dor que afeta cerca de 80% da população mundial, …

Lombalgia: saiba suas principais causas

É comum ouvir de pessoas ou até mesmo sentir dores nas costas de vez em quando, mas vale mencionar que existe um quadro …

Incontinência urinária: 3 exercícios para diminuir esse problema

É conhecida a afirmação de que quando estamos com saúde não percebemos, nem paramos para pensar nesses assuntos. Porém, …