Dicas de Fisioterapia para Pacientes e Fisioterapeutas

Leia nossos artigos. Melhore o seu estilo de vida agora!

2 pratos brasileiros que moram no nosso coração e dão água na boca

Com influência africana, indígena e europeia, culinária nacional é uma das mais diversas e ricas de todo o mundo 

 A comida brasileira é uma das características culturais mais marcantes de nosso país. Diversificada e multicultural, as opções são tantas que fica mesmo difícil identificar um único prato típico do Brasil. 

 Mesmo assim, a verdade é que alguns deles, especialmente os mais conhecidos, moram em nosso coração. Hoje te apresentamos dois deles com a história e a receita tradicional para você terminar e a leitura e ir correndo para o supermercado comprar os ingredientes para saborear estas delícias. Confira. 

Pão de queijo 

Não há quem não goste do famoso pão de queijo. De origem mineira, surgiu no século XVIII, quando as cozinheiras das grandes fazendas da época resolveram utilizar a fécula de mandioca, ao invés da de trigo, para fazer o preparo dos pães e foram acrescentando sobras e lascas de diversos queijos ralados. 

 Além disso, como os ovos de galinha e o leite bovino eram igualmente abundantes nesse contexto, estes ingredientes foram também, aos poucos, incorporados à receita até que ela ficasse como conhecemos hoje: elástica, macia e cheia de queijo. 

 Existem diversas variações de receitas de pão de queijo hoje em dia. Há quem prefira a receita sem leite, apenas com água, como era feita nos primeiros testes na época em que surgiu. Há, ainda, o pão de queijo vegano, cada vez mais popular entre os adeptos da galera fitness. Mas a receita que te apresentamos aqui é a mais popular no estado de Minas Gerais. 

 Você vai precisar de 1 copo de leite, ½ copo de água, ½ copo de óleo, 1 colher de sobremesa de sal, ½ kg de fécula, 3 ovos e 100 gramas de queijo curado ralado. O primeiro passo consiste em ferver junto o leite, a água, o óleo e o sal e despejar a mistura sobre a fécula de mandioca em um recipiente. 

 Esse procedimento é conhecido como escalonamento e, há quem diga, é o segredo do pão de queijo mineiro. 

 Depois, acrescente os ovos e por último o queijo ralado. Com as mãos limpas, amasse bem até que a mistura comece a desgrudar da mão e deixe-a esfriar. 

 Com a massa já quase fria, chegou a hora de fazer bolinhas e colocar uma forma untada para assar em fogo pré-aquecido a 180º C e deixar, sempre observando, assar por 30 minutos em média. 

Feijoada 

Tal qual o pão de queijo, a feijoada tem origem no passado colonial brasileiro. O feijão preto, grão típico da América do Sul, foi introduzido à nossa alimentação pelos povos indígenas originários do território. Já o costume de se cozinhar algum grão com carnes e legumes é um hábito europeu que tem famosos correspondentes no velho continente, como, por exemplo, o cassoulet da França e o cozido de Portugal. 

 Por fim, a junção de cortes menos nobres dos porcos, como a orelha e o pé, foi especialmente introduzida à receita pelos povos escravizados, indígenas e africanos. E assim nasceu a feijoada. O prato mais servido por aqui é a feijoada completa, que é acompanhada de arroz branco, farofa, laranja e couve. 

 Você vai precisar de: 

  • ½ kg de feijão preto 
  • 2 pés de porco cortados em pedaços 
  • 1 orelha suína fatiada em pedaços pequenos 
  • ½ kg de costela de porco cortada em cubos pequenos 
  • ½ kg de carne de porco seca cortada em cubos pequenos 
  • 400 gramas de lombo de porco sem osso cortado em cubos 
  • 300 gramas de linguiça calabresa de porco cortadas em rodelas grossas 
  • 300 gramas de linguiça de paio cortada em rodelas grossas 
  • 1 cebola picada 
  • 2 colheres de sopa de óleo 
  • 2 litros de água fervente 

 

Para o preparo, um dia antes, você deve colocar a orelha e os pés de porco em um recipiente com água fria por 24 horas e trocar esta água quatro vezes nesse período. Da mesma forma, mas em outra tigela, coloque a carne seca e a costelinha de porco para dessalgar, igualmente trocando a água quatro vezes no mesmo intervalo. 

 O feijão preto, já no dia seguinte, deve ficar uma hora de molho na água fria para eliminar o excesso de oxalato. 

 Cozinhe na pressão todos os ingredientes que ficaram de molho por um dia, mas com uma nova água. Cozinhe por quinze minutos a partir do início da pressão e retire do fogo. Escorra a água novamente e reserve. 

 Na mesma panela, refogue a cebola no óleo e junte a linguiça, o paio e o lombo, mexendo por aproximadamente 3 minutos. Depois, coloque todos os ingredientes, incluindo o feijão, e cozinhe por mais 15 minutos contados da pressão. 

 Por fim, retire a panela do fogo até sair toda a pressão, destampe-a e volte para o fogo por trinta minutos, dessa vez sem pressão. Essa receita serve até 10 pessoas. 

Escreva um Comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

7 benefícios para criar um blog de fisioterapia

Muitas pessoas confundem blog com site, mas eles são diferentes em seu conceito, principalmente, no que diz respeito ao …

Óleos essenciais: confira 7 benefícios

Um prontuário médico digital pode encaminhar o paciente para os mais diversos tipos de tratamentos. 

4 benefícios do pilates para idosos

A prática de pilates para idosos pode ser uma ótima indicação, tendo em vista que a atividade é uma das que melhor se …