Blog

Dozen of articles. Improve your lifestyle now!

Entenda como a perda dos dentes afeta seu corpo

Por mais que não seja tão discutido, a saúde e higienização bucal são de extrema importância para o corpo humano. É pertinente o cuidado geral para evitar problemas bucais, como a perda dos dentes, e doenças que podem causar sérios danos, não se restringindo somente aos dentes, mas para o corpo inteiro.

Dessa forma, é preciso falar mais profundamente acerca dos problemas causados pela perda dos dentes, principalmente na velhice, já que pode causar também problemas estéticos, necessitando procedimentos para a devida recuperação, como o aparelho dental de porcelana.

Afinal, além de problemas estéticos, a perda dental pode causar problemas de saúde como:

  • Impactos na deglutição e digestão;
  • Dores articulares da mandíbula ;
  • Estomatites e úlceras;
  • Alteração no sistema imunológico;
  • Doenças bucais diversas;
  • Mudança na confiança e autoestima.

Principais fatores do edentulismo

O edentulismo (perda dentária em adultos) é um problema permanente, podendo ser resolvido somente com a substituição dos dentes perdidos.

Isso quer dizer que, embora a perda seja irreversível, é possível contornar esse problema, por meio da colocação de implantes, por exemplo. 

Para isso, é preciso compreender adequadamente o quadro, pois o aparelho de porcelana preço pode variar de clínica para clínica, quantidade de dentes perdidos, complexidade do tratamento e até a qualidade/resistência de massa óssea.

Por isso, neste ponto é pertinente também ressaltar quais são os principais fatores que resultam no edentulismo. 

Alguns dos problemas estão associados diretamente a doenças periodontais que, por sua vez, causam perda dentária. Confira abaixo 4 fatores que influenciam na qualidade e resistência dental.

Leia também : Os diferentes tipos de piercing na orelha

  1. Má higienização

O fator principal para a perda dos dentes é a má escovação. 

Além de acarretar diversos problemas como cáries, gengivite e periodontites, corrobora o enfraquecimento das raízes do dente, fazendo assim com que eles caiam se não tratados.

Por isso, a escovação diária e o uso de fio dental, tanto para as estruturas dentais e tecidos moles, como também em estruturas como aparelho ortodôntico safira, se faz necessário para a remoção de bactérias, resíduos e controle de inflamações.

Tal processo deve ser feito após cada refeição e antes de dormir, sendo uma peça fundamental para prevenir esses problemas. Mas caso desenvolva qualquer incômodo, é recomendado ir ao dentista o quanto antes.

Esses problemas também podem resultar na alteração da cor dos dentes, deixando-os mais amarelados. Por isso, é recomendado que, caso aconteça isso, você vá à clínica e faça algum procedimento como a limpeza profunda ou as facetas de porcelana em dentes tortos.

  1. Tabagismo e alcoolismo

O consumo de cigarro, bem como o de bebidas alcóolicas é extremamente danoso para sua boca. 

Caso você seja fumante, ou ex fumante, seu corpo será afetado de diversas formas, tornando-o mais suscetível a doenças gengivais, se tornando um fator de influência na perda dentária.

Por sua vez, o consumo desenfreado de bebidas alcoólicas favorece a perda de esmalte no dente, deixando a dentina, um tecido subjacente, mais propensa à cárie e à sensibilidade. 

Dessa maneira, é recomendado a diminuição ou até mesmo o corte total do álcool e do tabagismo, principalmente porque também podem favorecer o câncer bucal.

  1. Não ir ao dentista regularmente

Por mais que a saúde bucal dependa, principalmente, do indivíduo, é importante realizar consultas recorrentes ao dentista, a fim de manter uma boa saúde e avaliar possíveis ofensores para a qualidade da mucosa, evitando agravantes e procedimentos mais intrusivos.

  1. Problemas psicológicos e desgaste mental

A perda dos dentes também está muito associada ao mental do indivíduo. O estresse, por exemplo, pode resultar no ranger dos dentes, implicando no desgaste e fragilização da estrutura. 

Inclusive, o oposto também pode ocorrer, visto que a perda dentária pode acarretar no desconforto durante as interações, reforçando quadros de ansiedade e depressão.

Por isso, é importante que, juntamente ao dentista, também haja acompanhamento clínico e psicológico, caso necessário e indicado pelos profissionais, reduzindo danos e impactos mentais, e vice-versa.

Prevenção e tratamentos 

Para prevenir que todos esses problemas aconteçam, o mais recomendado é ter uma higienização bucal contínua, consistente e consciente. 

Escovar os dentes diariamente, após cada refeição e antes de dormir é crucial neste processo, e utilizar o fio dental e o enxaguante bucal também são importantes para auxiliar a higiene, removendo bactérias de locais de mais difícil acesso.

Não é incomum que, com o passar dos anos, os dentes caiam por conta do enfraquecimento ósseo e demais problemas/hábitos ao longo da vida. 

Contudo, é possível evitar a perda dentária com uma boa rotina de higienização e acompanhamento profissional.

Do mesmo modo, caso haja qualquer trauma ou inflamação, é necessário ressaltar que existem tratamentos que podem ser realizados para cuidar das estruturas e recuperar a cavidade após a queda, conferindo mais qualidade de vida e bem-estar na deglutição.

Nesses casos, conforme as necessidades observadas, pode-se recorrer a próteses parciais, implantes dentários e pontes dentárias

Dessa maneira, é preciso consultar o quanto antes um profissional odontológico de confiança, para que ele possa realizar um acompanhamento constante da saúde bucal, bem como identificar as necessidades com agilidade, realizando procedimentos desejados/necessários como a faceta em resina.

Por fim, junto a identificação da necessidade de colocação do implante, caso a perda tenha ocorrido há algum tempo, aspectos relacionados à mastigação e articulações também podem estar comprometidos.

Assim, com a recomendação antecipada, pode-se consultar junto ao odontologista um fisioterapeuta para reparar o processo mastigatório e auxiliar nos tratamentos musculares.

Por mais que pareça estranho, ele contribuirá com a diminuição de problemas relacionados à mastigação dolorosa.

Deste modo, poderá passar exercícios que auxiliam na articulação e nos movimentos realizados pela/pera a mandíbula, adequando a mordida e reduzindo os impactos causados na articulação pelo processo errado, para que problemas com DTM, por exemplo, sejam evitados/tratados.

Conteúdo originalmente desenvolvido pela equipe do blog Lógica de Mercado, uma rede de conteúdos para alavancar negócios e proporcionar mais qualidade de vida e saúde.

Write a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Quais instituições oferecem empréstimo pessoal para negativados?

A facilidade do meio virtual aumentou o número de empresas que fazem empréstimos online; veja quais delas também trabalham …

O que é e como funciona o leasing?

Modalidade é opção a mais para quem quer usufruir de um bem sem se endividar.   O leasing é uma modalidade …

8 ‌exercícios‌ ‌para‌ ‌fazer‌ ‌diariamente‌ ‌durante‌ ‌o‌ ‌seu‌ ‌tempo‌ ‌de‌ ‌trabalho‌

O tempo para a academia está escasso, mas é possível incluir exercícios no trabalho, durante o expediente e sem atrapalhar …