Tag Archives: osteopatia

Quem é seu quiropraxista de confiança?

Ola, boa semana a todos!

Essa semana venho até vocês para falar sobre saúde. A Saúde não é privilégio para todos. Como diz o ditado, é só quando perdemos é que damos o real valor para o que tínhamos, e isso se reflete no cotidiano de consultório. Pessoas que buscam o tempo perdido em troca de dinheiro ganho a base de uma vida desregrada e excessiva. Claro que isso não ocorre com a maioria, aliás, a geração Y, diferente da anterior baby boom  tem grande preocupação com relação a saúde e a qualidade de vida na idade avançada, e com isso o mercado de prevenção, como academias, natação, pilates, yoga, funcionais diversos tem crescido exponencialmente.

Sempre que imaginamos algo relacionado a saúde vem a mente partes fragmentadas de especialistas diversos que tratam uma ou outra coisa e caso queiramos opinião sobre outra área do corpo a resposta é simplesmente – Chame um especialista!

No entanto, as terapias manuais como quiropraxia, osteopatia e a acupuntura são ferramentas que “enxergam” o ser humano de uma maneira mais geral, focando a atenção no ponto start que normalmente não coincide com o lugar sintomático. A busca desse profissional por uma visão de equilíbrio corporal e energético atua tanto na prevenção quanto no tratamento de condições desfavoráveis, e com isso tem grande importância na vida das pessoas modernas, que não querem perder tempo e ao mesmo tempo resolver rapidamente seus problemas, ainda mais quando esses problemas são limitantes.

Toda pessoa tem seu médico de confiança, muitos têm vários, um para cada assunto. Muitos têm o dentista de confiança, o farmacêutico de confiança, e portanto fica a pergunta, quem é seu quiropraxista de confiança?


Esporão de calcâneo – Osteopatia, quiropraxia e acupuntura

O pé é um estrutura fascinante que suporta todo o peso do nosso corpo, sofrendo, dessa maneira, um impacto intenso e constante.

Um dos motivos mais frequentes de problemas nos pés tem relação com dores no calcanhar. Microtraumatismos no osso calcâneo podem levar à formação do esporão. As mesmas lesões que, normalmente, desencadeiam o surgimento de uma condição chamada fascite plantar, isto é, inflamação da fáscia plantar – tecido que recobre a musculatura da sola do pé.

A planta do pé é composta por estruturas elásticas (músculo) e rígidas (fáscia) que aumentam a eficiência do impulso da marcha e potencializam a força dos músculos. O esporão de calcâneo é caracterizado por um calo ósseo na base do osso calcâneo (na sola do pé) ou ainda na região posterior do calcâneo, bem próximo à inserção do tendão de Aquiles. Pessoas com a curvatura dos pés acentuada, que sofrem com o sobrepeso ou que trabalham em pé durante muito tempo têm forte tendência a apresentar o problema. Outros fatores de risco para o surgimento do esporão de calcâneo como usar, excessivamente, salto alto ou calçados que sejam pouco apropriados para os pés. Praticar esportes com forte impacto nos pés. Dança e corrida, por exemplo; pisar com o pé torto por longos períodos também podem desencadear esse problema.

O tratamento para o esporão e para a fascite plantar é controlar a inflamação com repouso e gelo local. Mas nos casos em que há resistência, a melhor forma de tratamento é a fisioterapia que oferece exercícios e alongamentos bem específicos para os pés e as panturrilhas. A grande maioria dos pacientes responde muito bem ao tratamento com fisioterapia, assim como liberações miofasciais e manipulações de osteopatia e quiropraxia. A acupuntura pode ser associada sendo uma grande aliada no controle dos sintomas de dor.

A prevenção deve ser enfatizada como a melhor das opções, portanto controlar o excesso de peso do próprio corpo para reduzir o estresse provocado sobre os pés; usar calçados adequados nas práticas esportivas e no dia-a-dia; evitar permanecer de pé por longos períodos e fortalecer, regularmente, a musculatura da planta do pé, certamente irão contribuir para que o problema não ocorra.


Degeneração discal e a Osteopatia / Quiropraxia

Ha algum tempo venho falando sobre os benefícios da osteopatia e quiropraxia, citando sempre as duas técnicas juntas pois aprendi as duas e fica quase impossível separa-las pois têm grande parte das manobras compartilhadas.

O grande leque de possibilidades que essas ciências abrangem demonstra que em se tratando principalmente de coluna e dores, não ha hoje melhor opção para o tratamento não invasivo, isto é, não cirúrgico. É claro que em alguns casos quando o problema se tornou demasiadamente grave essa opção não é descartada, tudo em vista da melhor qualidade de vida do paciente.

O assunto que trago hoje é sobre a degeneração discal. O disco intervertebral é uma estrutura fibrogelatinosa localizada nos espaços entre cada uma das vértebras da coluna, e tem a função de amortecer e flexibilizar a coluna, permitindo o movimento e ao mesmo tempo preservando as articulações do peso corporal.

Em casos quando o disco sofre, seja por excesso do uso, em casos de pessoas que fazem trabalho braçal, ou em casos em que a postura corporal é desleixada, fazendo o peso incidir sobre algum disco em detrimento de outros, algo deve ser feito. Para a osteopatia dois passos são fundamentais nesse processo, que são: remover os bloqueios acima e abaixo do local lesionado, e por fim direcionar o centro de gravidade para a posição ideal, a fim de dividir a tarefa para as dezenas de discos que ainda estão saudáveis e por consequência eliminar a sobrecarga sobre o disco lesionado.

Os procedimentos levam em torno de 2 meses e devem ser feitos regularmente para que ocorra a remissão dos sintomas. O sobre peso e o excesso em atividades do dia a dia devem ser diminuídos assim como o aumento das atividades preventivas e de manutenção como o Pilates e o RPG.

Todos os comprometimentos que afetam a coluna devem ser tratados com prioridade, pois é la que se encontram as informações e comandos que percorrem o corpo, além de ser o eixo central de todo o corpo humano, gerando estabilidade e afetando todo o organismo.

 


3° Pilar da quiropraxia – Saúde Espiritual

Ola a todos, gostaria de apresentar a vocês o terceiro e ultimo pilar da quiropraxia, que juntamente com a saúde física e emocional, a saúde espiritual esta associada a bloqueios tratados na quiropraxia, osteopatia e acupuntura. Todo bloqueio na mente ou no corpo etéreo gera somatizações, ja descritas aqui como a forma física do problema que inicia no plano energético.

A nossa vida é repleta de sonhos, ambições, realizações e frustrações. Todas essas emoções são oriundas de uma mesma insatisfação constante que tentamos preencher com bens, compras e pessoas. Essa insatisfação é inquietante e não se sacia por muito tempo, fazendo com que entremos em um ciclo vicioso de compulsão e tristeza, nunca completamente suprida por muito tempo.

A humanidade moderna perdeu um pouco do contato com as forças formadoras, com as forças que nos movem enquanto seres pensantes, forças que nos elevam a qualidade de responsaveis pelo nosso livre arbitrio, portanto, conscientes das nossas escolhas. É muito mais facil me sedar em frente a uma televisão ou da internet e deixar as coisas escondidas debaixo do tapete, a base de antidepressivos e outros venenos que nos anuvia a visão, mesmo sabendo que a montanha formada um dia nos engolirá.

É necessário encontrarmos um equilíbrio entre as forças que nos regem, e para isso o silencio e a interiorização são importantes. Meditação e Yoga são apenas algumas das tecnicas milenares propostas para entrarmos em conexão com o nosso intimo adormecido e despertar a verdade absoluta que esta em nosso inconsciente e que pode ser resgatada quando a mente dissipa as nuvens e os barulhos da superficialidade. A caridade também nos faz enxergar o mundo pelos olhos de outras pessoas e tirar a atenção do nosso ego exigente insaciável.

O trabalho de ajudar extrai aquilo que é importante em nos, pois é com isso que iremos trabalhar na orientação do outro, e esse processo nos faz refletir sobre quem realmente somos além do que mostramos e gostaríamos de mostrar na sociedade.


2° Pilar da quiropraxia – Saúde emocional

 

2° Pilar – Saúde emocional

A saúde não se encontra apenas no que se vê, mas também no que se sente. A saúde emocional é tão ou mais importante que a saúde física (1° pilar da quiropraxia), pois as emoções podem desencadear somatizações que são justamente sintomas físicos decorrentes de desequilíbrios psíquicos.

Nosso organismo se comunica seguindo uma hierarquia bem específica, sendo o cérebro o grande “chefe” que gerencia todas as funções orgânicas. Ele atua tanto de forma consciente, como por exemplo a ativação muscular ou inconsciente, como o bater do coração. Dessa forma todo o processo de vida passa primeiro pelo cérebro.

A comunicação que o cérebro usa para enviar mensagens para o corpo é feita através de um sistema chamado endócrino, que tem hormônios como mensageiros dessa comunicação. A cada tipo de solicitação do nosso dia a dia ou de nossas emoções, são enviados mensageiros como adrenalina, cortisol, insulina, para que cumpram uma função específica num local específico, como por exemplo quando estamos em situação de perigo, nesse caso a adrenalina nos prepara para lutar ou correr; em situações de estresse ou irritação constante o hormônio cortisol age como anti-inflamatório atuando nas pequenas inflamações comuns na parte celular do corpo, e ainda a conhecida insulina que é liberada para auxiliar a entrada da glicose na célula. Dessa forma o cérebro consegue se comunicar e controlar todas as funções do corpo.

O segundo pilar da quiropraxia entende que esse mecanismo deve estar em harmonia, funcionando em homeostase e equilíbrio, favorecendo a saúde.

Quando nossas emoções estão alteradas e esse quadro se instala por um longo período de tempo, de forma crônica, nosso cérebro permite a liberação anormal de hormônios fazendo com que o corpo entre em conflito consigo mesmo, gerando problemas diversos como dores musculares e articulares, problemas reumatológicos que atacam olhos, pele, articulações, irritações gástricas, intestinais, desarranjos variados e causando o que chamamos anteriormente de somatizações no corpo físico.

Nosso pensamento tem um poder muito grande e ele está diretamente ligado a liberação de hormônios como vimos, portanto, para quebrar o ciclo vicioso entre dor e estresse é preciso entender o processo patológico e com isso procurar uma terapia adequada para cada casos.

A psicoterapia aliada a um conjunto de modificações na rotina diária tem um poder transformador, e é essa a chave pra a melhora de um paciente somático.


Pilares da pura vida

PURA VIDA – 3 pilares da quiropraxia

1° Pilar – Saúde Física

Oi amigos e amigas, hoje venho pelo meu blog falar de um assunto relevante, principalmente após um período de final de um ano, natal, agradecemos pelo que conquistamos e repensamos no que melhorar. E para o ano que entra, afirmamos nossos compromissos e pedimos por bênçãos.

Grande parte das tradições nos faz para, nem que por um instante, e prestarmos atenção ao que realmente importa na nossa vida como filhos, família, saúde, dinheiro, sucesso, paz, amor. Todos essas partes integrantes de um único ser somos nós. Para que as coisas caminhem bem é necessário que nossa vida tenha equilíbrio entre 3 pilares simples, fonte de pura vida que todos buscamos. Hoje falaremos do primeiro pilar, a saúde física.

A saúde física é aquela que envolve o corpo propriamente dito, a parte de músculos, ossos, nervos e sangue. Se imaginarmos um carro, a parte física seria o motor, carroceria, bancos, volante, painel. O combustível, ou a fonte da energia será o segundo pilar, o químico.

Em um carro que fica muito tempo parado sem cuidados a tendência é que ele enferruje, e trave, em um que é usado demais sem descanso, a tendência é esquentar e fundir. Bom, qual o segredo para se ter um carro que dure bastante e seja confiável? Pergunte a um mecânico e ele vai lhe dizer que colocar óleo, andar com o tanque cheio para evitar sua corrosão, fazer as revisões, balancear, são importantes mas principalmente se deve andar com ele periodicamente a fim de manter todas as peças lubrificadas em harmonia, exatamente como o carro o nosso corpo precisa gerar movimento, ativação muscular tanto em força quanto em alongamento, usar as articulações em diferentes ângulos para que o corpo seja flexível, ativo e saudável. Movimentos sedentários, robotizado, acostumado apenas com um par de movimentos de levantar e sentar em carros, escritórios, sofás são péssimos para a saúde física.

A quiropraxia atua na manutenção e aprimoramento do alinhamento dos segmentos vertebrais no nosso esqueleto a fim de eliminar bloqueios que geram dores e limitam a qualidade de vida das pessoas.

 


Acupuntura, osteopatia e quiropraxia no SUS

Ola pessoal!

Hoje trago pra vocês um assunto que vai além do que hoje podemos ter nos dias atuais.

o SUS brilhante na teoria, fere os direitos oferecidos na prático por não se estruturar corretamente prevendo as necessidades de cada um a fim de evitar o gargalo nos plantões e emergências espalhadas pelo pais.

O SUS tem um sistema que abrange a cobertura de “terapias complementares” ao repasse do sistema aos municípios. Porem são pouco os que atuam de forma correta nessa questão, liberando profissionais das áreas de acupuntura, osteopatia, quiropraxia, massoterapia, para a realização de procedimentos iniciais em um sem numero de casos em que poderia desafogar as queixas simples de dores crônicas, psicossomáticas e leves que tanto custam ao sistema.

Espero que algum dia o sistema corresponda ao que ele foi criado e de uma chance aos profissionais não médicos atuarem de forma multidisciplinar no combate a escassez de saúde no Brasil.


Trabalho multidisciplinar em Franca

  Ola a todos! É sempre um prazer vir aqui e esclarecer duvidas e expor conteudo a respeito de saúde, esse assunto tão extenso e complexo. Gostaria hoje de falar sobre o trabalho multidisciplinar. Isso é o trabalho feito em conjunto com profissonais de diversas áreas da saúde e que de alguma forma complementam o tratamento de um mesmo paciente, tendo o enfoque na orientação completa e multidirecional, abrangendo portanto todos os aspectos que estejam envolvidos em seu problema. O tema pode ser de grande importancia e as vezes, tem-se a impressão que isso nao é bem seguido na nossa sociedade. A tendencia muitas vezes tende a ser o isolamento de uma área segmentada e tão especifica que fica contido em um unico olhar, perdendo assim a complexidade que o individuo é. darei um exemplo do que acontece no cotidiano: Na area da fisioterapia, osteopatia e quiropraxia em Franca é muito comum recebermos pacientes indicados de outros profissionais como médicos e psicólogos, porque o individuo que adoece geralmente passa pelo médico que lhe encaminha a fazer exames e a tomar medicamentos. Tais sintomas podem ser remissivos mas podem recidivar, ou seja, voltar, sendo necessário nesse caso o acompanhamento do fisioterapeuta. Se esse paciente, por exemplo, deixa de trabalhar, praticar esportes ou fazer algo que gostava antes de lesionar, possivelmente vai desenvolver um quadro de melancolia e isso pode gerar problemas psicologicos, sendo necessario o encaminhamento para o profissional da area. Se esse paciente tem dificuldades em voltar a se relacionar em sociedade, seja por conta de sequelas do tratamento ou por conta de uma dificuldade fisica, entra ai a terapia ocupacional, importante na reestruturação social desse individuo. Quando ha de fato o interesse na recuperação integral do paciente é de suma importancia o pensamento multidiscipinar, é impossivel e altamente enviesado que um unico profissional seja capaz de abranger toda a necessidade de todos os casos de adoencimento de um individuo, pois é cada vez mais comum a especialização aguda em áreas de conhecimento e isso promove, de fato, um enfoque bem mais especifico nos problemas, mas também retira do foco areas que nao estao relacionadas. É preciso que o profissional reconheça os limites de sua atuação e conceda a outros colegas e ao paciente a oportunidade de dar continuidade com vistas ao bem estar e qualidade de vida do individuo que nos procura. Hoje ha ainda, infelismente, uma grande distancia entre as profissões, tanto por receio de não estar fazendo a coisa certa, ou por não conhecer o profissional certo para o caso, quanto por questões financeiras, entendendo que estaria “perdendo” aquele paciente. Ora, a visão estreita sempre afeta aquela que mais precisa e menos entende, portanto é importante que o profissional esteja atento as outra profissoes complementares a fim de pode ter mais autonomia e confiança na indicação e obter feedbacks em troca, fazendo um acompanhamento de perto e com um olhar amplo para com quem nos procura.


Dor ciática ou dor no ciático? Causas, sintomas e tratamento

O que é do ciática? Como acontece? Como prevenir?

Dor ciática ou “dor no ciático” é uma condição dolorosa que afeta grande parte da população mundial, sendo altamente incapacitante. A dor é relatada como um “choque” que percorre a perna, do glúteo podendo chegar até o pé na parte de posterior (atrás) das pernas.

A ciatalgia, como é formalmente conhecida, não é uma doença, mas sim um sintoma que pode vir acompanhada de formigamentos, e diminuição de força e coordenação motora no membro afetado.

Para que o nervo doa é necessário que aja alguma força ou pressão o comprimindo, isto é, o nervo não se inflama do nada, sempre há algo por traz dessa inflamação e portanto deve ser tratada a sua causa e não apenas a dor.

Existem duas maneiras de compressão do nervo ciático, são elas:

1-      Compressão da raiz nervosa: esse tipo de pressão ocorre na raiz do nervo, assim que ele sai da coluna e pode ser causado ou por hérnia de disco, espondiloartrose, espondilolistese, espondilólise, osteófitos (bicos de papagaio), tumores, fraturas, desidratação discal ou diminuição do espaço intervertebral.

 

2-      Compressão no trajeto do nervo: Após sair da coluna o nervo passa por um trajeto sinuoso, próximo a articulações, ossos e músculos. Em qualquer ponto desse trajeto ele pode ser “incomodado”. As causas mais comuns pra disparar esse “incomodo” são: Espasmos musculares, principalmente do musculo piriforme, posições viciosas no trabalho ou em exercícios e bloqueios articulares, que são tratados com quiropraxia ou osteopatia.

Todos podemos estar sujeitos a ter uma dor ciática em algum momento de nossas vidas. Os fatores de risco que aumentam essa probabilidade são, idade avançada, sobrepeso/obesidade, jornadas de trabalhos desgastantes, exercícios feitos em excesso (overtrainning), e sedentarismo.

No tratamento deve ser levado em conta, primeiramente, a desinflamação do nervo, usando para tanto medicamentos associados a fisioterapia anti-inflamatória. Após passada a inflamação inicial deve ser avaliado qual fator desencadeou essa compressão e nesse caso os exames de imagens são importantes ferramentas esclarecedoras e munidos disso a osteopatia, ou a quiropraxia são altamente resolutivas em poucas sessões.

A fisioterapia ortopédica é uma área em franco crescimento na cidade de Franca, surgem a cada dia novos estudos e técnicas eficazes no tratamento de diversas patologias como a osteopatia, a quiropraxia, a acupuntura, antes só resolvidas por meio de cirurgias, evitando assim o aumento do custo com saúde e ao mesmo tempo diminuindo o tempo de coalescência dos pacientes.